sábado, 27 de fevereiro de 2021

Incêndio no semi-árido: aliados dos Ferreira Gomes confraternizam com Bolsonaro

A visita do presidente Jair Bolsonaro expôs a potencial divisão política no Ceará. Isso porque o chefe do Executivo nacional acabou confraternizando, no mesmo jatinho, com deputados federais e estaduais apoiadores de 1ª e 2ª hora do grupo político liderado pelos irmãos Ferreira Gomes.

O deputado federal Capitão Wagner, que, tanto quanto possível, tentou dissociar sua imagem à de Bolsonaro na campanha para prefeito de Fortaleza, aparece sorridente ao lado do presidente. O deputado estadual André Fernandes, expoente espelho do bolsonarismo rastaquera na Assembleia Legislativa, se fez presente. Seu colega, o deputado Dr. Jaziel, posou esfuziante para a foto na cabine do avião rumo à Tauá.

Em especial, uma presença chamou a atenção: AJ Albuquerque, filho do deputado estadual licenciado e atual secretário das Cidades do Governo Camilo, ex-presidente da Assembleia, Zezinho Albuquerque, foi citado por Bolsonaro como sendo um dos nomes que trazem recursos para o Ceará. A família Albuquerque é uma das mais antigas e tradicionais aliadas dos FGs.

Curiosidade: nas fotos distribuídas pelas redes sociais bolsonaristas, AJ foi subtraído. É o stalinismo de direita. Afinal, não interessa aos dito cujos a intercessão. No fim das contas a politica como ela é.

Também estava no grupo o deputado federal Domingos Neto, relator do Orçamento 2020 e uma das lideranças nacionais do PSD. Seu pai, Domingos Filho, é tradicional aliado de Cid e Ciro Gomes. Tanto que foi vice-governador de Cid. Neto aprendeu rápido que é preciso ocupar os espaços.

Pragmático, o parlamentar trabalha para manter bom trânsito com o presidente (seja quem for o de plantão). Tanto que, entre outras ações, já intermediou reunião de empresários cearenses com Bolsonaro e o presenteou com uma manta de carneiro, corte de carne típica do município de Tauá (será que Bolsonaro soube aproveitar o regalo?).

Na análise dos prosaicos acontecimentos, há teses para todos os gostos. Entre as quais, as mais clássicas: a política é dinâmica; a farinha vem da mesma plantação de mandioca ou, uma velha máxima do pensamento político: tudo precisa mudar para que as coisas continuem as mesmas. No caso em questão, “as mesmas”  apenas refletem a reprodução do atraso.

Fonte: Focus

Postagem anterior
Próximo Post

Postado por:

0 comentários:

As opiniões expressas aqui não reflete a opinião do Blog Primeira Coluna.