segunda-feira, 22 de fevereiro de 2021

Áudios atribuídos a padre Robson, ex-reitor do Divino Pai Eterno, sugerem novos crimes

Mensagens de áudio apreendidas no celular, computadores e HDs do padre Robson de Oliveira Pereira, da Basílica do Divino Pai Eterno, em Trindade (GO), foram divulgadas no programa Fantástico, da Rede Globo, neste domingo (21), e sugerem a ocorrência de novos crimes relacionados ao sacerdote. Nelas, por exemplo, o padre supostamente participaria de negociações suspeitas e até sugeriria o assassinato de um desafeto. "Se você pudesse matar ele pra mim, eu acharia uma bênção", diz o padre.

A reportagem afirmou que todas as conversas passaram por perícia técnica e ficou comprovado que era o padre Robson falando, segundo os investigadores. O material foi apreendido pelo Ministério Público em uma operação no ano passado.

A defesa do padre garante que as gravações são "fruto de montagens e adulterações feitas por pessoas inescrupulosas" e lembra que o religioso tem sido vítima de extorsão.

As investigações do Ministério Público de Goiás sobre o suposto envolvimento do padre Robson no desvio de R$ 120 milhões culminaram com a Operação Vendilhões, realizada em 2020. O religioso se afastou da presidência da Associação Pai Eterno e Perpétuo Socorro (Afipe) e também da Basílica do Divino Pai Eterno.

O valor teria sido usado, segundo o MP, para aquisição de imóveis, entre os quais uma fazenda de R$ 6 milhões na cidade goiana de Abadiânia e uma casa de praia, no valor de R$ 3 milhões, em Guarajuba (BA). A investigação teve início em 2018, quando padre Robson foi vítima de extorsão e teria pago cerca de R$ 2 milhões para não ter vídeos expostos na internet.

De acordo com o Fantástico, haveria uma rede de corrupção e crime em torno do padre Robson, incluindo desembargadores e uma delegada, além de funcionários da Afipe. A reportagem mostrou ainda um áudio de uma suposta conversa entre o padre e um de seus advogados, na qual eles falam em pagamento de propina a desembargadores.

Segundo o secretário de Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda, é possível ver com clareza "obstrução de Justiça, tráfico de influência, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Segundo ele, é a "ação de uma quadrilha que se apoderou de uma igreja".

Sobre a menção aos desembargadores, o Tribunal de Justiça de Goiás enviou nota ao Fantástico em que afirma: "A Presidência do Tribunal desconhece os fatos narrados na reportagem. Não foram utilizados os meios próprios para trazer ao Poder Judiciário informações ou indícios de eventual conduta inadequada de magistrados para regular apuração. Não se pode presumir a ocorrência de irregularidades no julgamento de processos a partir de conversa entre advogado e cliente".

Em nota, a Afipe afirmou que desconhecia os fatos relatados na reportagem exibida no domingo e reafirmou que o padre Robson não tem contato com a atual diretoria da associação.

Delegada afastada

Em um dos casos de chantagem contra o padre Robson investigados pela então delegada de Trindade, Renata Vieira da Silva, os áudios a que o Fantástico teve acesso sugerem que o sacerdote iria ameaçar um dos homens que estavam tentando extorqui-lo e que levaria com ele um policial e mais uma pessoa armada. O padre também pediu para a delegada que o liberasse daquela "situação", caso o "extremo" viesse a ocorrer. Segundo a reportagem, o sacerdote e o homem não chegaram a um acordo sobre o valor que seria pago para evitar que mensagens do padre Robson fossem tornadas públicas. Também não houve nenhum ato violento entre as partes.

Ainda de acordo com as mensagens de áudio relevadas pelo programa da Rede Globo, o padre pediu que a delegada corrigisse um dos depoimentos dados por ele à Polícia Civil. Em troca desses "favores", o Fantástico afirmou que a delegada ganhou um contrato para vender fragrâncias aromatizantes na igreja em Trindade.

Em nota enviada ao Fantástico, a delegada Renata Vieira da Silva afirmou que era amiga do padre Robson de 2009. Ela salientou que o padre era a vítima do crime do inquérito policial que ela presidiu - sobre eventual crime extorsão contra o religioso - e que todos os ditames legais foram seguidos.

Na sexta-feira (19), a Polícia Civil de Goiás afastou a delegada do comando do distrito policial de Trindade. A delegacia de Trindade está sob intervenção.

Fonte: Gazeta do Povo

Postagem anterior
Próximo Post

Postado por:

0 comentários:

As opiniões expressas aqui não reflete a opinião do Blog Primeira Coluna.