terça-feira, 8 de setembro de 2020

Auxílio de R$ 300 começa a ser pago em 17/09 a quem recebe Bolsa Família


A sexta parcela do auxílio emergencial, agora de R$ 300 (ou R$ 600 para mães chefes de família), começará a ser paga a partir de 17 de setembro aos beneficiários do Bolsa Família, seguindo o calendário do programa federal divulgado no início do ano.

Como aconteceu nas parcelas anteriores, os primeiros a receber são aqueles com NIS (Número de Identificação Social) de final 1. No dia seguinte, os de final 2 — e assim sucessivamente.

As datas de pagamento para os demais, que estão inscritos no CadÚnico ou apenas se cadastraram no site da Caixa Econômica Federal, ainda não foram divulgadas.

Confira o calendário de pagamento da sexta parcela do auxílio de R$ 300 para quem recebe o Bolsa Família

  • 17 de setembro - NIS de final 1
  • 18 de setembro - NIS de final 2
  • 21 de setembro - NIS de final 3
  • 22 de setembro - NIS de final 4
  • 23 de setembro - NIS de final 5
  • 24 de setembro - NIS de final 6
  • 25 de setembro - NIS de final 7
  • 28 de setembro - NIS de final 8
  • 29 de setembro - NIS de final 9
  • 30 de setembro - NIS de final 0

No início do mês, o governo publicou uma MP (Medida Provisória) que prorroga até o final do ano o auxílio emergencial pago a desempregados e trabalhadores informais de baixa renda durante a pandemia. O valor caiu pela metade e há regras mais rígidas para definir quem tem direito.

Os beneficiários poderão receber até quatro parcelas adicionais de R$ 300. Nem todo mundo terá direito a todas elas, uma vez que quem começou a receber o auxílio mais tarde ficará com menos parcelas no total. Os beneficiados já em abril, por exemplo, devem receber mais quatro; já aqueles que receberam a primeira em julho terão direito a apenas mais uma parcela.

Quem conseguiu um emprego formal (com carteira assinada) enquanto recebia as primeiras parcelas não poderá receber as próximas. O mesmo vale para aqueles que obtiveram benefício previdenciário ou assistencial, como aposentadoria, BPC (Benefício de Prestação Continuada) ou pensão por morte.

Fonte: UOL 
Postagem anterior
Próximo Post

Postado por:

0 comentários:

As opiniões expressas aqui não reflete a opinião do Blog Primeira Coluna.