quarta-feira, 12 de agosto de 2020

Agenda com pedido de obras ao Governo Federal e ausência da bancada do Ceará deixa novas leituras no cenário político

A reunião das lideranças empresariais com ministros do Governo Federal, com a presença de apenas um dos 25 parlamentares do Ceará, dá uma sinalização sobre os novos rumos da política com vistas às eleições de 2022. Há uma redefinição de agenda com novos personagens e, nesse cenário, está o deputado federal Domingos Neto, filho do ex-vice-governador Domingos Filho, mandatário do PSD, que se insere cada vez mais na agenda do Governo Bolsonaro.
Domingos entra como porta voz dos empresários que querem maior proximidade com a administração federal e, com isso, uma agenda de reivindicações para o Ceará, como demonstra o documento entregue, nessa terça-feira, aos ministros da Economia, da Infraestrutura e do Desenvolvimento Regional que receberam as lideranças empresariais comandadas pelo presidente da FIEC, Ricardo Cavalcante.
O documento lista como prioridades a conclusão das obras do Anel Viário na Grande Fortaleza e obras complementares da Transposição do Rio São Francisco e do Cinturão das Águas que possibilitem estabilidade no fornecimento de água para a população e para os setores produtivos – da irrigação à indústria, especialmente, no Complexo Portuário do Pecém.
A imagem da foto, retratando o entusiasmo dos empresários e, ao lado o deputado Domingos Neto, com o pai, Domingos Filho, tem uma simbologia: a ausência da maioria dos deputados federais e dos três senadores em um encontro que dá uma demonstração de interesse do Governo Federal por uma agenda com obras que se arrastam há mais de uma década no Ceará.
A foto deixa uma pergunta mais polêmica em meio a tantas outras dúvidas: por quais razões nenhum outro parlamentar, deputado federal ou senador, estava presente a um encontro que tem uma pauta política e parlamentar e que depende, em muito, do crivo do Congresso Nacional? Afinal, entre os 22 deputados federais, muitos apoiam o Governo Federal. Esses foram parlamentares desdenharam ou não receberam convite? Dos três senadores, um, que é bolsonarista – Eduardo Girão, estava ausente. Foi ou não avisado da reunião?
Surge, também, outra dúvida: o deputado federal Domingos Neto – único parlamentar cearense a acompanhar a visita do presidente Bolsonaro ao Cariri para solenidade da chegada das águas do Rio São Francisco ao Ceará e, dessa vez, articulador do grupo empresarial recebido no Palácio do Planalto, não teve força para convencer os colegas deputados sobre a importante reunião em Brasília ou esses deputados – muitos ligados ao PDT e ao Governo Camilo, , deixaram bem claro que o caminho é outro? São dúvidas que ficam na caminhada rumo a 2022.
Fonte: Ceará Agora 
Postagem anterior
Próximo Post

Postado por:

0 comentários:

As opiniões expressas aqui não reflete a opinião do Blog Primeira Coluna.