sexta-feira, 24 de julho de 2020

Novo debate dos prefeituráveis do PDT resulta em propostas superficiais e crítica ao Governo Federal


Ontem, o PDT realizou a segunda 'live' entre seus pré-candidatos à Prefeitura de Fortaleza. O tema foi Saúde e o tom do debate acabou sendo outro, na comparação com o primeiro dia, em que houve tema mais livre aos concorrentes. Neste segundo evento virtual, houve algumas críticas à atuação do Governo Federal na pandemia, mas no campo das propostas todos acabaram sendo superficiais. Faltou aprofundarem mais, por exemplo, uma questão central que é o financiamento do sistema público de Saúde e o papel do Município na tarefa de fortalecer o caixa para atender às demandas de um setor de atendimento que cresceu nos últimos anos. Faltou contrapor cenários e modelos. Todos os pré-candidatos, a rigor, foram medianos. E o debate careceu de mais elementos.
Desempenho individual
Samuel Dias, mais por dentro dos projetos da gestão em curso, pareceu mais seguro ao apontar alguns caminhos. Ele tem se preparado para o embate, mostra nova postura política, mas ainda não se destacou. Como médico, Dr. Sarto demonstrou conhecimento do sistema, mas em análise dos dois debates, transmite pouca confiança de que esteja com energia para tocar um projeto de candidatura majoritária. Ferruccio Feitosa tem apresentado argumentos críveis. Resgatou as intervenções no sistema de Saúde no interior nas gestões passadas, mas ainda tem passado uma imagem de estar restrito à Regional II. Salmito Filho tem apresentado ideias coerentes. Avançou, mas ainda precisa abandonar o tom um tanto quanto docente. Idilvan, destaque pela capacidade comunicativa do primeiro debate, fez comparações entre Saúde e Educação, mas demonstrou que precisa se preparar melhor para a área. No geral, esta 'live' não serviu para que algum deles se destacasse.
Bastidores da AL
Debates ocorridos na tribuna da Assembleia Legislativa, de volta às atividades presenciais ontem, nem de longe mostraram de fato a conversa dos bastidores. A maior parte das tratativas entre os parlamentares é sobre as disputas eleitorais na Capital e no interior. Só se fala nas possíveis alianças, nos embates entre deputados em disputas localizadas e na atuação dos colegas longe do plenário da Casa, de olho nas disputas pelo voto. Ainda há muita indefinição, mas da própria Assembleia pode sair fortes concorrentes a vencerem o embate às prefeituras em municípios importantes do Estado: Fortaleza, Caucaia, Maracanaú, Juazeiro do Norte, Iguatu e Tauá. As conversas envolvem, inclusive, a sucessão da Mesa Diretora e até em relação aos suplentes que poderiam ser beneficiados com a vitória de alguns deputados nas urnas. O clima eleitoral já está a todo vapor na Assembleia.
Questões partidárias
Fiel escudeiro do presidente Jair Bolsonaro na Assembleia Legislativa, o deputado estadual delegado Cavalcante ainda não resolveu sua situação partidária. Segue no PSL, mas só de corpo presente, pois não participa de nenhuma atividade. Ainda aguarda entendimentos para deixar a legenda. O que ele já definiu, porém, foi como vai se portar na eleição de Fortaleza. Será em apoio ao pré-candidato Capitão Wagner na disputa à Prefeitura. Já André Fernandes, outro aliado do presidente da República no Legislativo Estadual, já formalizou sua saída do PSL.
Fonte: DN
Postagem anterior
Próximo Post

Postado por:

0 comentários:

As opiniões expressas aqui não reflete a opinião do Blog Primeira Coluna.