terça-feira, 7 de julho de 2020

"Cidadão não, engenheiro civil, melhor do que você": mulher que ofendeu fiscal no RJ é demitida


Após ser flagrada pelo programa "Fantástico", da Rede Globo, nesse domingo, 5, ofendendo um agente sanitário da Prefeitura do Rio de Janeiro, uma mulher foi demitida da empresa onde trabalhava. Em nota, a Taesa, que atua no setor elétrico, afirmou que "compartilha a indignação da sociedade em relação a este lamentável episódio" e que considera que a ex-funcionária "desrespeitou a política vigente na empresa". As informações são do jornal O Estado de S. Paulo. 
Na ocasião, após fiscal chamar o marido dela de "cidadão", ela retrucou: “Cidadão não, engenheiro civil, formado. Melhor do que você”. A cena viralizou nas redes sociais.
O homem ofendido foi Flávio Graça, Superintendente de Inovação, Pesquisa e Educação em Vigilância Sanitária, Fiscalização e Controle de Zoonoses da Prefeitura do Rio de Janeiro. Ele é formado e possui doutorado em Medicina Veterinária.
No momento que ocorreu a ofensa, Flávio fiscalizava a área da Barra da Tijuca, na Zona Oeste, a fim de evitar aglomerações. A moça que o agride, cuja identidade foi preservada, não usava máscara.
Ao jornal carioca Extra, o engenheiro, que não quis se identificar, disse que não agrediu Flávio, e vem recebendo ameaças, juntamente com a esposa, desde que o caso foi divulgado. Ele afirmou, ainda, que pretende registrar boletim de ocorrência e pedir proteção policial.

Confira a nota da Taesa na íntegra

"A TAESA é uma companhia comprometida com a segurança e a saúde não apenas de seus empregados, mas também com o bem-estar de toda a sociedade. Desde o início da pandemia da Covid-19, a Taesa implementou inúmeras iniciativas para proteger a saúde de seus profissionais e seus familiares, como o home-office para 100% do seu quadro administrativo, e a adoção de diversas outras medidas de proteção para as equipes que operam em campo.
A companhia não compactua com qualquer comportamento que coloque em risco a saúde de outras pessoas ou com atitudes que desrespeitem o trabalho e a dignidade de profissionais que atuam na prevenção e no controle da pandemia.
A TAESA tomou conhecimento do envolvimento de uma de suas empregadas em um caso de desrespeito às leis que visam reduzir o risco de contágio pelo novo coronavírus e compartilha a indignação da sociedade em relação a este lamentável episódio, sobretudo em um momento no qual o número de casos da doença segue em alta no Brasil e no mundo.
A TAESA ressalta que segue respeitando o isolamento e as mais rigorosas regras de prevenção ao coronavírus e que a empregada em questão desrespeitou a política vigente na empresa. Diante dos fatos expostos, a TAESA decidiu por sua imediata demissão."
Fonte: O Povo
Postagem anterior
Próximo Post

Postado por:

0 comentários:

As opiniões expressas aqui não reflete a opinião do Blog Primeira Coluna.