quinta-feira, 7 de maio de 2020

CORONAVÍRUS: Número de pessoas curadas da doença pode ser maior do que os 48 mil registrados por estados e municípios


O Ministério da Saúde atualizou o número de casos a respeito da Covid-19 no Brasil. De acordo com os dados de estados e municípios, a quantidade de pessoas com a doença está em mais de 114 mil e o número de mortes por conta da Covid-19 passa dos 7 mil casos. Apesar disso, o número de pessoas que conseguiu se recuperar da doença, passou das 48 mil, mas de acordo com o secretário Nacional de Vigilância em Saúde, Wanderson Oliveira, esse número pode ser bem maior. 
“É impossível termos um número preciso de cura, porque cura é quem não evoluiu para o óbito. Se eu peguei coronavírus e não evolui para o óbito, eu evolui para a cura porque essa não é uma doença crônica, ela é uma doença aguda. Então, lembrem-se: de cada 100 pessoas não vão desenvolver nenhum sinal ou sintoma mas pegou a doença, foi infectado. Então o número de curados é imensamente maior do que o número de pessoas que evoluem para casos graves, não tenham dúvida disso”.
Ainda de acordo com o secretário Nacional de Vigilância em Saúde, Wanderson Oliveira, o tempo de internação também varia quando a pessoa está em um estado mais crítico da doença e quando tem sintomas mais leves do coronavírus. 
“Nós observamos que até o dia cinco de maio, as pessoas que evoluíram para alta, a mediana, ou seja, 50% das pessoas, tinham menos de seis dias de internação. Variando de um dia, ou seja, entrou e foi liberado logo, até 48 dias. Então 50% menos de seis dias e os outros 50% mais de seis dias”. 
Esse número, divulgado pelo Ministério da Saúde, de pessoas que estavam doentes mas conseguiram se recuperar da doença diz respeito às pessoas confirmadas com coronavírus e internadas em hospitais, o que significa aproximadamente 42% de pessoas recuperadas. 
Para mais informações sobre a Covid-19, acesse coronavirus.saude.gov.br. 
Fonte: Agência do Rádio
Postagem anterior
Próximo Post

Postado por:

0 comentários:

As opiniões expressas aqui não reflete a opinião do Blog Primeira Coluna.