sexta-feira, 10 de abril de 2020

"Prazo de negativação de pessoas físicas e jurídicas é ampliado para 45 dias" Leia mais em: https://www.gazetadopovo.com.br/economia/breves/teles-proibe-cortes-inadimplentes/ Copyright © 2020, Gazeta do Povo. Todos os direitos reservados.


"A Associação Nacional dos Bureaus de Crédito (ANBC) informou nesta quinta-feira (9) que as empresas do setor estenderão o processo de negativação, em geral de 10 dias a partir da comunicação ao devedor, para 45 dias. Assim, devedores e credores terão prazo alongado para realizar a renegociação. A medida passa a valer em 17 de abril, por período de 90 dias. O objetivo, segundo a ANBC, é "proporcionar o tempo necessário para as renegociações entre as partes nesse momento crítico e garantir a proteção de consumidores e empresas"."

"A Agência Nacional de Telecomunicações comunicou as teles de que os cortes de serviços de telefonia de clientes inadimplentes estão proibidos em razão de decisões judiciais. O órgão regulador informou ainda às empresas que reconectem consumidores que tiveram serviços interrompidos por falta de pagamentos em 24 horas. O ofício foi enviado a todas as operadoras de telefonia fixa e móvel do país, em cumprimento a liminar do dia 2 de abril, da 12ª Vara Cível Federal de São Paulo. A decisão vale para todo o território nacional, enquanto perdurar o estado de calamidade em razão da pandemia do novo coronavírus - ou seja, até o fim do ano. No documento enviado às teles, a Anatel informa que apresentou argumentos contrários e tentou recorrer da decisão judicial, mas a liminar foi confirmada e teve a multa majorada em caso de descumprimento. A sanção era de R$ 10 mil e passou a R$ 50 mil por cliente e por dia."

"O fluxo de veículos pelas praças de pedágio nas estradas recuou 18,4% em março, na comparação com fevereiro, já descontados os efeitos sazonais. O indicador contempla o efeito de apenas dez dias de quarentena pela Covid-19. Os dados foram apresentados pela Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR) e Tendências Consultoria Integrada. A queda é maior que a vista na greve dos caminhoneiros em maio de 2018 e a maior desde a criação do índice em 1999. No acumulado do ano até março, o fluxo total de veículos nas estradas pedagiadas caiu 4,8% e o dos leves, 6,7%. A circulação dos pesados, ao contrário, cresceu 1,3%."

Fonte: Gazeta do Povo
Postagem anterior
Próximo Post

Postado por:

0 comentários:

As opiniões expressas aqui não reflete a opinião do Blog Primeira Coluna.