quarta-feira, 8 de abril de 2020

Auxílio emergencial da Caixa: problemas no CPF devem impedir recebimento do dinheiro


As pessoas que não têm CPF ou que tiverem o documento suspenso podem não receber o auxílio emergencial de R$ 600 oferecido pelo Governo Federal. Com pagamento realizado pela Caixa Econômica Federal (CEF), é preciso estar com a situação do CPF em dia já que deve ser criada uma conta virtual por onde ocorrerá o recebimento do dinheiro.
Desta forma, quem estiver com o documento cancelado, ou mesmo não tê-lo, não terá como receber o pagamento, que visa auxiliar autônomos, microempreendedores individuais e beneficiários do Bolsa Família em meio à pandemia provocada pelo novo coronavírus.
No caso de pessoas com o CPF irregular diante da Receita Federal, é possível regularizar a situação por meio do site do próprio órgão fiscal. Para acessar o site da receita e verificar a situação cadastral, basta clicar aqui.
Durante coletiva de imprensa na tarde desta terça-feira, 7, representantes do Ministério da Cidadania, da Caixa Econômica Federal e da Dataprev divulgaram informações relativas ao auxílio emergencial concedido pelo Governo Federal durante a pandemia da Covid-19.
Divididos em três agrupamentos, os beneficiários que poderão receber o auxílio são aqueles que possuem Cadastro Único (CadÚnico), trabalhadores que cadastrados pelo aplicativo ou pelo site “Meu CadÚnico” e as pessoas que já recebem o Bolsa Família.

Aplicativo da Caixa do auxílio emergencial tem mais de 10 milhões de acessos em seis horas


site e o aplicativo da Caixa Econômica Federal (CEF) que permitem o cadastramento para o recebimento do auxílio emergencial para autônomos tiveram mais de 10 milhões de acesso até por volta de 15 horas desta segunda-feira, 7, cerca de seis horas depois de seu lançamento oficial. A informação foi repassada durante coletiva de imprensa pelo ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, e pelo presidente da Caixa, Pedro Guimarães.
Até o fim do dia, são esperados entre 15 e 20 milhões de acessos à plataforma, o que pode causar instabilidade no acesso. Para Pedro Guimarães, entre 60% e 80% dos brasileiros que tem direito ao benefício devem estar com o cadastro completo até o final da primeira semana.
Durante a entrevista, o ministro indicou que há previsão de que os dois primeiros pagamentos estejam ainda em abril na conta. Com o dinheiro na conta, será possível a realização de transações e pagamentos, mas o saque só será realizado sob cronograma.
"A retirada do dinheiro seguirá um cronograma, visando evitar aglomerações em agências bancárias. Imaginem, 20 ou 30 milhões de pessoas indo realizar o saque num mesmo dia", justificou o presidente da Caixa.
Lorenzoni também informou que, mesmo aqueles que estão com débitos em suas contas, o valor do auxílio não será descontado para o pagamento da dívida. "Cheque especial, por exemplo, não será descontado. Esse auxílio será utilizado para a compra de alimentos, de medicamentos, de itens necessários", explicou.
O presidente do Dataprev, Gustavo Canuto, explicou que as pessoas que já estão no Cadastro Único (CadÚnico) terão os dados analisados de forma automática para determinar o direito de recebimento do auxílio. "Quem tem CadÚnico não precisa do aplicativo", frisou.
Fonte: O Povo
Postagem anterior
Próximo Post

Postado por:

0 comentários:

As opiniões expressas aqui não reflete a opinião do Blog Primeira Coluna.