terça-feira, 24 de dezembro de 2019

Natal de Luz sem Jesus


“Eu sou a luz do mundo. Aquele que vem em meu seguimento não andará nas trevas; Ele terá a luz que conduz à vida” (Jo 8, 12).

Nestes dias estive na Praça do Ferreira (em Fortaleza) para prestigiar a abertura do evento “Natal de Luz”. Uma multidão: idosos, adultos, crianças, jovens, jovens... muitos jovens. Todos a procura da luz.

Do palco o apresentador gritava:

− Onde está o Papai Noel? Onde está o bom velhinho?

O povo direcionava o olhar para todos os lados. E o apresentador continuava:

− Ele está aqui em algum lugar!

Repentinamente, do alto de um prédio, surge o ladrão: de vestes vermelha e barba branca. Não se assuste com o termo que usei!

As pessoas aplaudiam, acenavam, sorriam, alegravam-se.

Pensei que Natal fosse o nascimento de Jesus, a festa da Luz que veio dissipar as trevas. Aquela animação não deveria ser para o aniversariante?

O usurpador se tornou deus; deus das compras, dos lucros... consumismo. E o Deus, descido do céu, passou a ser uma lenda, só uma lenda...

Quem estava lá percebeu a “onipresença” do deus Noel. Ele aparecia em um prédio, depois noutro, quase instantaneamente. Mas há um detalhe: o “bom velhinho” não desceu dos prédios; não ficou no meio do povão. Ainda bem que o nosso verdadeiro Deus deixou a sua habitação, não se apegou a sua condição divina e veio habitar no meio de nós; veio ser um conosco. O Emanuel, Deus conosco, veio nos amar! “O Verbo era a verdadeira luz, vinda ao mundo, ilumina todo o homem.” (Jo 1,9).

Naquela praça estavam pessoas com sede de Deus, que buscavam algo para iluminar suas vidas. No entanto, elas não foram saciadas. Luzes, de todos os lados e de todas as cores, porém tais luzes não foram capazes de clarear os seus corações.

Não pode existir Natal de Luz sem Jesus. Se sua casa está repleta de luzes, não há problema, desde que em seu coração seja iluminado pela Luz verdadeira. “Deixemos, pois, as obras das trevas e revistamos das armas da luz” (Rm 13, 12). Permitamos que o centro do Natal seja Jesus e ninguém mais! E que Ele seja o presente do Pai para a nossa salvação!

Pe. Aurenilson Carvalho

Postagem anterior
Próximo Post

Postado por:

0 comentários:

As opiniões expressas aqui não reflete a opinião do Blog Primeira Coluna.