terça-feira, 9 de abril de 2019

Luizianne muda tom ao falar de irmãos Ferreira Gomes


A ex-prefeita de Fortaleza, deputada federal Luizianne Lins, afirmou ontem que o PT terá candidato próprio para disputar o Paço Municipal em 2020. Ela não descartou diálogo com o grupo político de Ciro e Cid Gomes, ambos do PDT, até então adversários políticos.
Ela e lideranças locais do partido, além do quadros do Psol-CE e PCdoB e movimentos sociais, estiveram no auditório na Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores Familiares do Ceará (Fetraece) para lançamento do comitê Lula Livre.
"Majoritariamente, o PT tomou a decisão de que terá candidato, vai ter protagonismo nesse processo eleitoral e nós vamos discutir os diversos nomes que estão postos", adiantou.
A parlamentar diz que quer explicar ao eleitorado o que as gestões petistas à frente de Fortaleza, com a eleição e reeleição dela (2005-2012), representaram para a Capital: "muito diferente do que está posto aí", disse, comparando-se a Roberto Cláudio (PDT).
Questionada se poderia celebrar acordo com o PDT e, especificamente, com os irmãos Ciro e Cid Gomes, desconversou: "é um debate a ser feito. É um debate a se fazer para o bem da cidade".
Indagada outra vez se a fala implica possibilidade de aliança com os irmãos, Luizianne disse que "sempre nós vamos estar abertos a todos que queiram se somar a um projeto democrático e popular".
E o grupo de Ciro e Cid é compatível com esta ideia? "Não vou entrar nessa discussão, você está querendo que eu entre numa discussão que, na verdade, ainda vai ser feita. Vai criar mais problemas do que soluções", encerrou.
Durante a corrida eleitoral de 2018, Luizianne disse, em Live do O POVO, que o então candidato Ciro "nunca foi de esquerda" e que não reunia qualidades para governar o País. "Muito menos acho que o PT o apoiaria ou sairia como vice dele", disse em 12/05/2018.
Ciro Gomes, por sua vez, tem afirmado em entrevistas não ter problemas com o PT. As falas do ex-governador têm mirado o que chama de "cúpula petista" ou "burocracia petista".
Um dos integrantes dessa "cúpula", o ex-senador Lindbergh Farias (PT-RJ) limitou-se a dizer que, mais do que polemizar, a maior preocupação do PT, hoje, é o engajamento na campanha pela liberdade do ex-presidente Lula. Segundo ele, "a eleição está longe". Farias assegura ainda que a decisão sobre a sucessão de RC será objeto de deliberação do PT cearense.
O principal adversário do grupo intitulado progressista será o deputado federal Capitão Wagner (Pros). Na última sexta-feira, na Assembleia Legislativa, ele disse que o PSL deverá indicar a vice na chapa dele, em razão do tamanho adquirido pelo partido. Destacou, entretanto, quadros do PSDB, como Carlos Matos e a secretária de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, Mayra Pinheiro.
Fonte: O Povo
Postagem anterior
Próximo Post

Postado por:

0 comentários:

As opiniões expressas aqui não reflete a opinião do Blog Primeira Coluna.