terça-feira, 26 de fevereiro de 2019

Ciro,Tasso e a dinâmica da política: divórcio que pode dar em casamento


Conforme notícia veiculada pelo Focus em 09 de janeiro de 2019, Ciro Gomes (PDT) e Tasso Jereissati (PSDB), que protagonizaram uma das relações políticas mais longevas da história política do Ceará, voltaram a conversar. O fato foi declarado pelo próprio Ciro em entrevista concedida ao programa do jornalista Fernando Maia (Rádio Assunção) na citada data.
Nesta segunda-feira, 25 de fevereiro, ocorreu outro sinal da reaproximação: Ciro foi ao programa do jornalista Nonato Albuquerque, na Tribuna Band News, e concedeu longa entrevista ao apresentador e ao articulista Wanderley Filho. Numa das respostas, Ciro reafirmou a reaproximação, mesmo sem maiores detalhes. A emissora compõe o Grupo Jangadeiro, que tem Tasso entre seus proprietários.
Ressalte-se que Cid Gomes (PDT), antes mesmo de assumir se mandato de senador, já havia quebrado o gelo político com Tasso ao trabalhar pela candidatura do tucano a presidente do Senado, que acabou não se concretizando. A ruptura política entre Tasso e os Ferreira Gomes se deu em 2010, quando Ciro e Cid, então governador, apoiaram as candidaturas de José Pimentel (PT) e Eunício Oliveira (MDB) em detrimento da reeleição de Tasso ao cargo parlamentar.
“Tive a alegria e a honra de revê-lo. Fazia anos que a gente não conversava. Tomei um susto. Fez 70 anos. Eu não sabia. A gente está ficando velho. Fiquei feliz demais em dar um abraço nele”, declarou Ciro em janeiro.
Antes, em junho de 2018, Tasso emitiu sinais de que as relações poderiam se amenizar ao sugerir que votaria em Ciro para presidente em um possível segundo turno contra Jair Bolsonaro. Na época, Focus ouviu a seguinte frase de um interlocutor muito próximo do tucano: “Tasso não vacilará em votar no  Ciro se do outro lado estiver o Bolsonaro. Nem que seja só um ato frente à urna”.
Na época em que a foto acima foi tirada, Ciro chegou a dizer em uma entrevista para uma TV do Ceará que já não tinha idade “para trocar de amigos” na política. Era uma resposta a respeito de sua relação longeva com Tasso. Porém, pouco tempo depois as injunções políticas se mostraram mais fortes que o vigor de uma velha amizade.
Hoje, no que pese a longa aliança que os dois mantiveram, o maior antagonismo é a concepção de Estado. Tasso nutre uma ideia de Estado forte, porém menos tentacular. Ciro, em muitas situações, faz a a apologia do Estado grande.
Fonte: Focus
Postagem anterior
Próximo Post

Postado por:

0 comentários:

As opiniões expressas aqui não reflete a opinião do Blog Primeira Coluna.