quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

Vereador Marcelo Mourão reúne-se com secretária de Educação e coordenadores para discutir os desafios da Educação Inclusiva em Ipueiras


Temos constantemente verificado a dificuldade enfrentada por famílias na busca da escola que acolha seu filho com necessidade de atendimento diferenciado. Educação para todos, aceitação das diferenças, combate ao bullying são alguns dos temas que envolvem o processo de escolarização dos alunos com necessidades especiais. Escolas do município de Ipueiras se disponibilizam a atender crianças e adolescentes na execução de políticas públicas voltadas para este segmento. Pensando nisso, reuniram-se na sede da secretaria de Educação, nessa quarta-feira (16), a titular da pasta, Judite Moreira, a adjunta, Michelle Veras, a coordenadora Elieuda Mendes e o professor Carlos Mourão, referência na linguagem de sinais, acompanhado do vereador Marcelo Mourão (PSB), para discutir o tema: Educação Inclusiva e Especial.

Para fazer a inclusão de verdade e garantir a aprendizagem de todos os alunos na escola, é preciso fortalecer a formação dos professores e criar uma rede de apoio entre alunos, docentes, gestores escolares, famílias e profissionais de saúde que atendem as crianças com Necessidades Educacionais Especiais.

De acordo com a Declaração de Salamanca (documento da UNESCO em  1994): O princípio fundamental da escola inclusiva consiste em  que todas as pessoas devem aprender juntas, onde quer que isto seja possível, não importam quais as dificuldades ou diferenças  que possam ter…” Mas, depois de receber alunos de diversos perfis de  desenvolvimento, como é possível incluí-los efetivamente no processo de escolarização? Para garantir que um trabalho pedagógico propicie a aprendizagem de todo o grupo, significa que nem todo o planejamento pedagógico será o mesmo. E viabilizar a aplicação de diferentes planejamentos na mesma sala de aula é um grande desafio para as escolas, mas está é a única opção para a instituição que pretende incluir e contemplar a diversidade.

A escolarização que respeita a singularidade enxerga o educando como parte integrante do grupo classe. O mesmo é trabalhado a partir de um currículo apropriado, que elenca estratégias de ensino diferenciadas, para assim, propiciar a verdadeira INCLUSÃO.

A escola que faz a inclusão de alunos com diferentes particularidades precisa reconhecer e responder às necessidades de cada aluno de maneira singularizada, garantindo que todos tenham educação de qualidade, com currículos apropriados, mudanças organizacionais e estratégias de ensino específicas. A educação inclusiva está distante do que seria ideal, porém, é necessário reconhecer que a busca por um excelente trabalho de inclusão é desafio diário de muitos educadores.

Grande parte das escolas “tradicionais” é estruturada inicialmente a partir da premissa de que todos os seus alunos aprendem da mesma forma, em um mesmo ritmo. Para essas escolas fazerem a inclusão, é necessário um sistema adaptado, profissionais capacitados e uma comunidade escolar disponível para o trato com a diversidade, este assunto esta sendo debatido pela secretaria de Educação de Ipueiras.


De acordo com vereador Marcelo Mourão (PSB), “a luta será diária para que este público que necessita de um olhar especial, tenha seus direitos garantidos para que desta forma, nosso município venha crescer  na educação  e inclusão social, estendendo-se também aos demais cidadãos ipueirenses”, finalizou.
Carlos Moreira é radialista
Postagem anterior
Próximo Post

Postado por:

0 comentários:

As opiniões expressas aqui não reflete a opinião do Blog Primeira Coluna.