terça-feira, 2 de outubro de 2018

As peripécias de um “moleque traquino”


Quanto vale um beijo de um traidor? Nada. Sabe por quê? Porque a política abomina os traidores. “O beijo de Judas foi, de acordo como os evangelhos sinóticos, a forma que Judas Iscariotes identificou a Jesus aos soldados que vieram prendê-lo”.

Notadamente o momento politico revelou o nosso “Judas”, aquele que se rebelou contra o seu criador, este, por sua vez, lhe concedeu a oportunidade de torna-lo um politico, mais ainda, um “vereador eleito”, e não passou disso. Ao tentar se reeleger, não obtendo êxito, tornou-se um politico sem expressão, sem voz, sem nada. Pobre de espirito, de dignidade, de caráter. Hoje não passa de um “moleque traquino” querendo se dar bem. O usurpador age de má fé, tentando ludibriar e enganar os “filhos da terra”. Sem eloquência, se perde nas palavras, nas ações.

De uma ignorância colossal, o “traquino” acredita que engana à todos ao sair vendendo “gato por lebre”. Tem apresentado candidatos e mente ao dizer que estes, tem o apoio do prefeito, que por sua vez, o desmentiu nas redes sociais.

Os ipueirenses reconhecem os verdadeiros representantes do povo. Os deputados estadual Jeová Mota (PDT) e federal Leônidas Cristino (PDT), estes sim, tem o apoio do grupo politico do prefeito Nenem do Cazuza (PDT).

Por tanto, cuidado meus amigos com este transgressor contumaz. Logo, trata-se de um embuste. Só falta agora o “moleque traquino” dizer que já foi “osculado no entrudo”. Será?

Carlos Moreira é radialista 

Postagem anterior
Próximo Post

Postado por:

0 comentários:

As opiniões expressas aqui não reflete a opinião do Blog Primeira Coluna.