segunda-feira, 9 de julho de 2018

Liberdade de Lula é alvo de críticas dos pré-candidatos à presidência


O pedido de liberdade de Lula, aceito pelo desembargador plantonista do TRF4, Rogério Favreto, dividiu as opiniões dos pré-candidatos à presidência da República. Lula teve, entre eles, quem o defendesse, mas a maioria dos postulantes ao Planalto se posicionou contra a liberdade do ex-presidente.
Henrique Meirelles, do MDB, por meio de sua assessoria, disse que "respeita as decisões judiciais de última instância" e que "o sistema judicial é o pilar da democracia".
Marina Silva, da Rede Sustentabilidade, afirmou nas redes sociais que "juiz não sendo natural na causa e plantonista não deveria provocar turbulências políticas que coloquem em dúvida a autoridade de decisões judiciais colegiadas, como a do STF".
Geraldo Alckmin, do PSDB, também nas redes sociais, postou que manter Lula preso não pode ser uma decisão política, mas sim de Justiça. Ele completou dizendo que o país precisa de ordem e segurança jurídica.
Manuela D’Ávila, do PC do B, afirmou que se no Brasil ainda houver Justiça, Lula será solto.
Guilherme Boulos, do PSOL, demonstrou apoio ao desembargador Rogério Favreto e criticou Sérgio Moro e o desembargador relator do processo de Lula no TRF4, Gebran Neto. Boulos disse ainda que Moro e Gebran desmoralizam o Judiciário do país.
Álvaro Dias, do PODEMOS, falou que a decisão de Favreto, de soltar Lula, "anarquiza o Judiciário e revolta a sociedade".
Jair Bolsonaro, do PSL, publicou vídeo nas redes sociais onde criticou o pedido de liberdade de Lula, dizendo que "questões ideológicas estão aparelhando o Judiciário".
Os demais pré-candidatos à presidência não tinham se manifestado sobre o assunto até o fechamento dessa edição.
Fonte: Agência do Rádio
Postagem anterior
Próximo Post

Postado por:

0 comentários:

As opiniões expressas aqui não reflete a opinião do Blog Primeira Coluna.