sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

Anvisa proíbe e suspende 8 produtos de limpeza em todo o país; veja quais


A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu e suspendeu nesta quinta-feira (21) oito produtos de limpeza em todo o país. Saneantes como álcool gel, desinfetante, desengraxante e água sanitária de diferentes marcas integram a lista. Confira a relação e os motivos que levaram à sua proibição e suspensão.

Desinfetante

O vencimento do registro junto à Anvisa, ocorrido em junho de 2013, levou a agência a proibir a fabricação, distribuição, divulgação, comercialização e uso do Desinfetante Estrela, fabricado pela Estrela Produtos de Limpeza LTDA-ME.

Álcool gel

Três marcas de álcool gel também tiveram seus produtos proibidos ou suspensos pela agência de vigilância. O Álcool Gel 70 Higienizante Antisséptico fabricado pela empresa Aditti Cosméticos LTDA-ME teve proibida a distribuição, divulgação, comercialização e uso de seus seguintes lotes: 040116, 080116, 080216, 060316, 090316, 010416, 030416, 040416, 050416, 070416, 020516, 050516, 080516, 020616, 030716, 080816, 081216, 110217, 020317 e 050317. A proibição decorreu do fato de o produto apresentar teor alcoólico abaixo do valor declarado, segundo laudo emitido pelo Laboratório de Saúde Pública do Paraná.

Outros álcool em gel que apresentaram resultados insatisfatórios nas análises de laboratório foram o Álcool Gel Ciclo Gel 70 e o Álcool Gel Xô H1, fabricados pelas empresas Ciclo Farma e Nutracom Indústria e Comércio Ltda. Ambos tiveram os lotes 16043615 e 1607650, respectivamente, suspensos por não terem sido aprovados na análise de rotulagem e no ensaio de Teor Alcoólico a 20°C, segundo a Anvisa.

Para o Gel Higienizante para as Mãos – Fixed, por sua vez, a proibição ocorreu pela falta de registro do produto junto à Agência de Vigilância. A MZ3 Indústria e Comércio de Cosmético LTDA – EPP, responsável pelo álcool gel, foi proibida de fabricá-lo, distribuí-lo e comercializá-lo.

Os resultados insatisfatórios no que se refere ao aspecto, teor de cloro ativo e rotulagem do produto também levaram à proibição do lote 1A216 da Água Sanitária Flora, fabricada pela Solar Brauna Produtos Químicos LTDA.

Desengraxante

Todos os lotes do Desengraxante Imbrasquim fabricados pela Química do Brasil LTDA-ME antes de 23 de agosto de 2017 tiveram sua comercialização suspensa pela Anvisa, que também determinou seu recolhimento do mercado. A restrição se deve à falta de registro do desengraxante junto à Anvisa antes deste período – o que ocorreu a partir desta data.

falta de registro na Anvisa também acarretou a proibição de todos os produtos fabricados pela empresa Rodrigo Borges Dias – ME. A fabricação, distribuição, comercialização e uso deles foi impedida pela dificuldade em se apontar se apresentam ou não riscos à saúde, uma vez que, pela falta do registro, eles não passaram pela análise da Anvisa.

Fonte: Gazeta do Povo
Postagem anterior
Próximo Post

Postado por:

0 comentários:

As opiniões expressas aqui não reflete a opinião do Blog Primeira Coluna.