sábado, 18 de novembro de 2017

O antagonismo de um "cuspidor de microfone"


A rádio comunitária é para exercer um papel de identidade importante na sociedade, sendo utilizada como instrumento de educação para os ouvintes. Na perspectiva legal do poder concedente, uma emissora comunitária tem como objetivo proporcionar informação, cultura, entretenimento e lazer à comunidade.

Antes de mais, um radialista é um profissional do rádio. Assim sendo, o comunicador na prática deve ser um profissional com um amplo escopo de atuação.

A função de alguns comunicantes que atuam na radiodifusão comunitária em Ipueiras, e estes não tem o registro profissional, é distorcer as informações, coagir, mentir e tentar ludibriar os ouvintes, não desempenhando nenhum projeto social e atacam de forma irresponsável a administração pública municipal.

Além de desinformados, se comportam como verdadeiros “cuspidores de microfone”. Usufruindo de um vocabulário chulo, com ausências verbais e de concordância medíocre, se colocam como verdadeiros entendidos dos problemas sociais e políticos de Ipueiras.

Pra chamar a audiência é válido vender até a “mãe”. Discorrem de assuntos repetitivos e enfadonhos, tentam atacar e desconstruir algo que a opinião pública aprova. A administração do prefeito Nenem do Cazuza.

Por tanto meus “queridos”, sugiro um curso de capacitação com urgência para terem um a boa voz, boa dicção e facilidade para se expressar. O rádio é um veículo dinâmico e responsável, não tolera amadores. Respeitem seus ouvintes, fica a dica!

Carlos Moreira é radialista 
Postagem anterior
Próximo Post

Postado por:

0 comentários:

As opiniões expressas aqui não reflete a opinião do Blog Primeira Coluna.