quinta-feira, 20 de julho de 2017

Dragão do Mar entra no Livro dos Heróis da Pátria


O nome do líder abolicionista Francisco José do Nascimento (1839-1914), conhecido por Dragão do Mar, entrou para o Livro dos Heróis da Pátria, que está depositado no Panteão da Pátria e da Liberdade Tancredo Neves, em Brasília. A homenagem havia sido aprovada em maio deste ano e foi sancionada por meio de decreto no Diário Oficial da União (DOU) de ontem. Dragão do Mar é o segundo cearense a ser agraciado pela comenda, após o brigadeiro Antônio de Sampaio (1810 - 1866), patrono da Arma de Infantaria do Exército Brasileiro (EB).
A homenagem ao cearense está prevista no Projeto de Lei 4626/16, do Senado Federal, e recebeu parecer pela aprovação do relator na CCJ, deputado Danilo Forte (PSB-CE), maio de 2017. O projeto é de autoria do senador José Pimentel.
O senador destaca a coragem do abolicionista cearense em um período difícil. "A inclusão do Dragão do Mar no Livro dos Heróis da Pátria é uma questão de justiça. Francisco José do Nascimento teve a coragem de impedir o tráfico negreiro em nossas terras, por meio de uma ação apoiada pelos intelectuais e a população. Esse processo permitiu que o Estado do Ceará fosse o primeiro da federação a libertar o negro escravo, em 1884, quatro anos antes da abolição da escravatura no Brasil. Precisamos valorizar os heróis da luta popular", pontua.
Já o deputado federal afirma que a homenagem quebra preconceitos e paradigmas, além de dogmas construídos ao longo dos anos. "Quando se trata de alguém de uma origem humilde, com bravura e coragem de enfrentar os escravocratas, é algo incrível. Somos um País que tem memória curta, e isso deve mudar", explica o parlamentar.
"A homenagem é mais que justa. Dragão do Mar é um dos nomes mais importantes da história do Ceará, onde liderou processo de abolição da escravatura no Brasil. Ele pregava a liberdade e conseguiu como poucos exercer esse direito. É a celebração da memória de luta pela libertação", ressalta o secretário de Cultura do Estado do Ceará, Fabiano dos Santos.
Destaque
De acordo com a historiadora Patrícia Xavier, o abolicionista Dragão do Mar conseguiu um papel de destaque no processo de abolição no Ceará pelo seu bom relacionamento com as camadas mais altas da sociedade. "Apesar de ser negro, ele tinha uma penetração com grandes escritores e nomes importantes que apoiaram o processo de abolição", destaca.
Dragão do Mar é considerado o maior herói a favor da libertação dos escravos no Ceará. Nascido em Canoa Quebrada, José do Nascimento foi pescador e marinheiro, e liderou os jangadeiros de Fortaleza para que estes não transportassem os cativos até os navios que faziam o tráfico negreiro para as províncias do Sul. O levante acarretou no trancamento do porto cearense por duas vezes em 1881. A recusa do transporte dos escravos levou à decretação da Abolição da Escravatura na então Província do Ceará em 1884, quatro anos antes do restante do Brasil.
O Livro dos Heróis da Pátria homenageia pessoas que serviram ao País. Tiradentes foi o primeiro nome inscrito no documento. Zumbi dos Palmares e Dom Pedro I também participam da lista. Entre as poucas mulheres que integram o documento está Anita Garibaldi (1821-1849). Foi incluído o nome da estilista Zuzu Angel (1921-1976) por sua atuação contra o Regime Militar.
Fonte: Diário do Nordeste
Postagem anterior
Próximo Post

Postado por:

0 comentários:

As opiniões expressas aqui não reflete a opinião do Blog Primeira Coluna.