terça-feira, 20 de junho de 2017

Ceará celebra avanços na política de alfabetização ao longo de 10 anos do Paic


Dando início às festividades em comemoração aos 10 anos do Programa de Alfabetização na Idade Certa (Paic), a Secretaria da Educação (Seduc) promoveu uma manhã de homenagens na sede do órgão e em cada uma das 20 Coordenadorias Regionais de Desenvolvimento da Educação (Crede). A cerimônia na Capital contou com a presença do secretário Idilvan Alencar, da secretária adjunta Márcia Campos, de técnicos, professores e alunos da rede municipal de Fortaleza, que representaram as escolas de ensino fundamental cearenses. A Banda Juvenil Luíza Távora, composta por estudantes do Centro Educacional Piamarta, animou a celebração.
A principal marca do Programa, que se tornou uma política pública consolidada ao longo da década, é o espírito de cooperatividade. “O Ceará não possui mais nenhum município com alfabetização incompleta. O segredo é a união e a cooperação, com a adesão dos 184 municípios. Para isso acontecer, é preciso ter uma rede bem estruturada e com credibilidade. O ponto mais forte do Paic é a governança”, avalia Idilvan Alencar.
O secretário lembra que, antes da implantação do Programa, o analfabetismo escolar era uma realidade na educação do Ceará. “É preciso lembrar dessa história. Hoje celebramos 10 anos e fazemos questão de para olhar para o presente e para o futuro. Os resultados atuais são bons, mas precisamos ter ânimo para mantê-los. Não é fácil ter 77 escolas entre as 100 melhores do Brasil, nem 24 primeiros lugares nacionais. Mas, o que mais nos honra é o resultado geral”, explica o gestor.
A secretária adjunta Marcia Campos, que participou da elaboração do Paic em 2007, enquanto coordenadora de Cooperação com os Municípios, destaca que a iniciativa vem se fortalecendo ao longo das gestões. “Seria muito difícil mudar os indicadores do ensino médio sem um trabalho forte no ensino fundamental. Precisamos investir nesta etapa e ter uma visão integrada. Esta história vem sendo feita a muitas mãos, com a participação do Governo do Estado, das gestões municipais, de professores e alunos”, observa.
O atual gestor da Coordenadoria de Cooperação com os Municípios da Seduc (Copem), Márcio Brito, defende o fortalecimento da política. “É uma iniciativa necessária e certamente produzirá ainda muitos frutos para a educação pública cearense. Não me sinto o coordenador do Paic, e sim, mais um dentre tantos que contribuem para esta política dar certo”, considera.
Histórico
O Programa Alfabetização na Idade Certa (Paic) foi criado, em 2007, com a meta de garantir a alfabetização dos alunos matriculados no 2º ano do Ensino Fundamental da rede pública cearense. Entre as suas atividades estão a oferta aos municípios de formação continuada aos professores, apoio à gestão escolar, entre outros aspectos. Juntamente com outras experiências, o PAIC contribuiu para a estruturação, por parte do Ministério da Educação, do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (PNAIC).
A partir de 2011, para expandir essas ações ao 3º, 4º e 5º anos, foi lançado o Programa Aprendizagem na Idade Certa (Paic +5). Em dezembro de 2015, o governador Camilo Santana lançou o Mais Paic – Programa de Aprendizagem na Idade Certa, que além da Educação Infantil e do 1º ao 5° ano, passou a atender também do 6° o 9° ano nas escolas públicas cearenses.
Ao todo, o Mais Paic recebe investimento de R$ 43 milhões do Governo do Estado, por meio da Seduc, sendo R$ 22,5 milhões distribuídos em premiação para as melhores escolas; R$ 7 milhões para a realização da avaliação; R$ 7 milhões para aquisição de material didático; R$ 5 milhões em bolsas; e R$ 1,5 milhão em apoio logístico para a execução das formações.
Fonte: Ceará Agora
Postagem anterior
Próximo Post

Postado por:

0 comentários:

As opiniões expressas aqui não reflete a opinião do Blog Primeira Coluna.