segunda-feira, 8 de maio de 2017

Na costa africana, Karina Oliani visita museu submarino com 300 esculturas

Foto: Alexandre Socci
Karina Oliani é médica, mas a verdadeira paixão dela é a aventura. Você já viu a Karina em ação aqui no Fantástico: em 2013, ela escalou o monte Everest, e, em 2015, ela fez um ensaio fotográfico no Mar do Caribe, cercada de tubarões, para chamar a atenção do mundo para a matança desses animais. Desta vez, o destino dela é a costa africana, mais precisamente a ilha de Lanzarote, que faz parte dos arquipélagos das Canárias. Lanzarote é conhecida como "a ilha dos vulcões". Em apenas um parque, há mais de 25 vulcões; a última erupção foi em 1824.

A lava formou boa parte da planície que hoje abriga pouco mais de 100 mil habitantes e ainda moldou cavernas como a Cueva de los Verdes, que hoje abriga um auditório de música clássica por conta da acústica perfeita das paredes rochosas. Mas, apesar dos cenários fantásticos e das belas praias, a maior atração desse lugar não está na vista. Lanzarote abriga um museu inusitado.


Para chegar até o Museu Atlântico, é preciso roupas especiais, cilindros de ar comprimido e barcos. São mais de 300 esculturas, obras do artista plástico britânico Jason deCaires Taylor. As primeiras estátuas foram instaladas há cerca de um ano, e, de lá para cá, o que antes era apenas um leito de areia sem vida começou a abrigar algas e corais e a atrair imensos cardumes.
Fonte: G1
Postagem anterior
Próximo Post

Postado por:

0 comentários:

As opiniões expressas aqui não reflete a opinião do Blog Primeira Coluna.