quinta-feira, 4 de maio de 2017

Ceará bate Ferroviário e fica com a taça do Cearense de 2017


Em um time com tantas glórias, muitas delas conquistadas à base de angústia e sofrimento, não dá para dizer que o 44º título estadual do Ceará foi obtido a duras penas. Nem mesmo o terceiro jogo se fez necessário. 

O Vovô saiu do Castelão na noite de ontem com mais uma taça para sua galeria. As duas vitórias sobre o Ferroviário — 1 a 0 no dia 30 e 2 a 0 ontem — deram a tônica do que foi a edição 2017 do Campeonato Cearense: sem oferecer adversários à altura de um Alvinegro que não precisou encantar para vencer.

Um personagem se mostrou fundamental para este título. Com jeitão de professor que não dá mole para a turma do fundão, o técnico Givanildo Oliveira foi também a cara do Ceará no Estadual. Vale lembrar que Gilmar Dal Pozzo, seu antecessor, saíra em fevereiro, sofrendo ameaças da torcida no aeroporto.

Givanildo trouxe consigo a calmaria a Porangabuçu. Recuperou o respeito da torcida pelo time que fora eliminado pelo Boavista na 1ª fase da Copa do Brasil e equilibrou a equipe o suficiente para conseguir mais um título cearense.

Com o treinador “raiz” no comando, o Ceará passou a ser um time seguro defensivamente. O Alvinegro encarou os três jogos da semifinal e os dois da final do Estadual sem sofrer gols.

Verdade seja dita que, em um campeonato fraco tecnicamente, os outros times não ofereceram resistência durante a competição. Nem mesmo o rival Fortaleza, que não fez nada certo em 2017 a não ser impor a única derrota do Ceará no campeonato (ainda sob o comando do técnico Dal Pozzo).

Rival na decisão, o Ferroviário fica, sim, triste pelo vice-campeonato. Mas orgulhoso de sair de uma perspectiva zero, montar um time às pressas e chegar à final, garantindo calendário cheio para 2018 com Copas do Nordeste e do Brasil e Série D do Brasileiro.

Mas isso não foi o suficiente para vencer um time melhor tecnicamente e comandado por um treinador talhado para vencer campeonatos estaduais. O de ontem foi nada menos que o 14º na carreira como técnico — como jogador Givanildo acumula 11.

Depois da ressaca do título, a concentração do Ceará se volta para mais uma tentativa de acesso à Série A do Brasileiro. O time estreia no dia 12, em Alagoas, contra o CRB.

No torcedor mais pessimista fica a desconfiança de como vai a campo um time pouco exigido até agora em 2017.

No mais otimista, a esperança de que Givanildo leve para o restante do ano outra característica sua. As cinco promoções nacionais obtidas como treinador que lhe deram a alcunha de “rei do acesso”.

É apostar como fez o presidente Robinson de Castro. “Tudo que ele toca (Givanildo) vira ouro”, diz.
Números
44
É o número de títulos estaduais do Ceará. O Fortaleza tem 41 e nove são do Ferroviário
Fonte: Jornal O Povo
Postagem anterior
Próximo Post

Postado por:

0 comentários:

As opiniões expressas aqui não reflete a opinião do Blog Primeira Coluna.