terça-feira, 30 de abril de 2013

Montada no cavalo do cão - Por Dalinha Catunda / Rio de Janeiro

Resolvi dar umas voltas

Pras bandas do meu sertão

Por falta de um bom cavalo

Fui no cavalo do cão

O bicho era tão ligeiro

E com seu jeito lampeiro

Quase me jogou no chão.

*

Eu vi um cachorro d’água

Com seu jeitinho apressado

Ele tentava fugir

Do negro cavalo alado

O cachorrinho com medo

Acabou ganhando o bredo

Pra não ser atropelado.

*

Um rola-bosta errante

Atravessou meu caminho

Avistando a montaria

Foi saindo de mansinho

Bem pertinho d’uma cuia

Ele encontrou uma tuia

E enfiou o seu focinho.

*

O cavalo em disparada,

Arrumava confusão

Esbarrou num Mané magro

Vejam que situação

Só de ver o Bicho-pau

Nas garras dum inseto mau

Sofreu o meu coração.

*

Eu vi a Tiranaboia,

Besouro bem afamado

Para evitar desavenças

Tirando o corpo de lado,

Sem querer ficar aqui

Se mandou pro Piauí

Temendo o endiabrado.

*

O pobre do caga-fogo

Que brilhava noite e dia

Apagou sua lanterna

Que quase sempre luzia

Com medo do furacão

O tal Cavalo do cão

Que comigo se exibia.

*

Eu agradeci a Deus

Quando o dia amanheceu

Estava toda suada

Com tudo que aconteceu

Pois esta minha aventura

Não foi surto de loucura!

Foi somente um sonho meu.

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Frase do dia
"Por que esse medo? Ela [Dilma] não precisa disso! Tem todos os partidos grandes ao seu lado, uma popularidade alta, 39 ministérios, o Bolsa Família, o PAC, o Renan, o Sarney. (,...) Nunca imaginei que o PT fosse usar o mesmo punhal enferrujado usado por eles [ a ditadura de 64] para ferir Lula quando tentava criar o partido - agora, contra um grupo que, com a mesma legitimidade, tenta se organizar."

Marina Silva, sobre as dificuldades impostas pelo governo para a criação de novos partidos

domingo, 21 de abril de 2013

Charge da semana
Sinfrônio - Diário do Nordeste (CE)

quinta-feira, 18 de abril de 2013

Projeto do PSDB propõe mais rigor na punição de adolescentes autores de crimes hediondos - Por  Alessandra Galvão
O PSDB apresentou nesta terça-feira (16) projeto de lei que estabelece instrumentos para combater a crescente violência praticada por menores de idade. Entre os principais pontos da proposta, estão a ampliação de três para oito anos do período máximo de internação de jovens infratores de crime hediondo e a criação do chamado Regime Especial de Atendimento.
 
O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, se reuniu com o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), e parlamentares tucanos para pedir urgência na votação do projeto por sua gestão.

Conforme destacou o líder, a medida vai ao encontro do sentimento da sociedade. “A proposta apresenta uma alternativa que vai ao encontro do sentimento da nação, que não aceita mais que adolescentes pratiquem crimes hediondos, fiquem internados apenas três anos e voltem para o convívio da sociedade”, avaliou. “O projeto não demanda a redução da maioridade, o que implicaria em mudança do texto constitucional. Ele propõe uma medida, visando a ressocialização do adolescente, sem ferir os princípios do ECA para dar uma resposta à sociedade, que não aceita mais esse sentimento de impunidade que muitas vezes reina inclusive com menores de 18 anos praticando atos de covardia”, acrescentou.

Para Alckmin, o projeto foi muito bem elaborado. De acordo com ele, o ECA é da década de 90 e, de lá para cá, muita coisa mudou. “A lei é boa para proteger os direitos da criança e do adolescente, mas ela não dá resposta para casos graves como os crimes hediondos. Muitos menores vêm sendo utilizados pelos maiores e a impunidade estimula a atividade delituosa. Acreditamos que essa proposta é um clamor da sociedade”, declarou em entrevista coletiva após a reunião (assista trecho abaixo). Alckmin também se encontrou com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).

O governador tucano disse acreditar que a matéria será votada rapidamente pelo Congresso. “As mudanças são muito objetivas e não demandam modificações na Constituição. Amplia a internação de três anos para até oito anos. Quando o jovem faz 18 anos, ele vai para o Regime Especial de Atendimento na própria Fundação Casa. Ele não vai para a penitenciária justamente para atender aos objetivos da ressocialização”, explicou. O texto trata ainda da possibilidade de inserção no REA do jovem maior de 18 anos que participar de motins ou rebeliões com destruição de patrimônio público ou manutenção de servidores em cárcere privado.

Deputados tucanos elogiaram a proposta. Na avaliação de Vaz de Lima (SP), a sugestão é sensata. “O governador de SP está trazendo uma contribuição importante neste momento em que o país vive comoções em função de crimes praticados por jovens adolescentes.

Segundo Antonio Imbassahy (BA), o objetivo da matéria é reduzir a criminalidade. “Essa proposta preserva o ECA no sentido de permitir o processo de ressocialização, mas atinge diretamente o objetivo de punir crianças e jovens que são criminosos e adultos que utilizam esses jovens para a prática de crimes. Ela também separa o convívio entre jovens e adultos nos órgãos de assistência após os 18 anos”, ponderou.

Walter Feldman (SP) destacou a importância de atualizar a legislação. “É necessário alterar o ECA depois de tantos anos da sanção, até porque fatos novos aconteceram. Não havia o crack nem a incorporação da juventude pelo crime organizado como existe hoje. A proposta é consistente, agradou não apenas a bancada do PSDB como também o presidente da Câmara, que se comprometeu a ajudar na aprovação da urgência para que a matéria seja rapidamente pautada”, declarou.
 
Mara Gabrilli (SP), por sua vez, considera que o projeto torna a legislação mais rígida. “A proposta faz com que aquele menor que completa 18 anos passe a um regime especial, mas não junto com os outros penitenciários. Acredito que é uma questão de segurança pública e proteção aos menores brasileiros. Estou esperançosa que a gente consiga evoluir”, ressaltou.

O presidente da Câmara afirmou que a proposta deve tramitar em regime de urgência e será analisada por uma comissão especial antes de ir ao plenário, em vez de ter que passar por várias comissões antes da deliberação final. “De maneira muito consciente essa proposta responde a anseios, clamores, ao desespero da sociedade brasileira. Os líderes vão encaminhar a urgência”, disse.Henrique Alves elogiou a postura do governador de vir ao Congresso para explicar o texto.
Frase do dia
"A presidente Dilma foi eleita como uma grande especialista em gestão, mas na prática faz uma administração extremamente centralizadora e o governo não anda."

Eduardo Campos (PSB), governador de Pernambuco

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Ceará: 2 torcedores morrem antes de jogo em estádio da copa
A violência entre torcidas organizadas no Brasil fez duas vítimas neste domingo. Horas antes do duelo entre Ceará e Fortaleza, dois homens foram assassinados, na capital do estado. Ambos eram torcedores do Ceará e morreram com um tiro na cabeça. Um deles foi identificado como Glauber de Souza Damasceno, de 30 anos.

O confronto aconteceu na Praça do Itapery, quando uma van fretada pela Cearamor parou e teve início uma batalha campal com integrantes da Jovem Garra Tricolor. O local fica a, praticamente, quatro quilômetros do estádio, que será uma das sedes da Copa das Confederações, em junho, e da Copa do Mundo, ano que vem. O clássico deste domingo, aliás, seria um teste para as duas competições.

Frase do dia
"Não reconhecerei o resultado da eleição até que sejam recontados todos os votos."

 Henrique Caprilles, candidato da oposição a presidente da Venezuela, derrotado

sábado, 13 de abril de 2013

sexta-feira, 12 de abril de 2013

No lume da esperança - Por Dalinha Catunda / Rio de Janeiro
Foto: Dalinha Catunda

Vou seguindo minha vida
Tentando não complicar
E se o sol não brilhar hoje
Esperarei o luar
Tenho a luz da esperança
Acesa a me nortear.

***

Escorrego mais não caio
Mas se cair me levanto
Se o sorriso não brotar
Não deixo cair o pranto
E para espantar os males
Nada melhor do que o canto.

***

 Dalinha Catunda é escritora e natural de Ipueiras, Ceará

Frase do dia
"Faremos uma campanha permanente de oposição clara ao governo do PT porque, para o Brasil, esse ciclo de governo do PT precisa e deve ser interrompido."

Senador Aécio Neves (PSDB-MG), sobre a postura do partido nas eleições do ano que vem.

quarta-feira, 10 de abril de 2013

Brasileiro - Por Arnaldo Jabor

- Brasileiro é um povo solidário. Mentira. Brasileiro é babaca.
 

Eleger para o cargo mais importante do Estado um sujeito que não tem escolaridade e preparo nem para ser gari, só porque tem uma história de vida sofrida.
 

Pagar 40% de sua renda em tributos e ainda dar esmola para pobre na rua ao invés de cobrar do governo uma solução para pobreza; ... Aceitar que ONG's de direitos humanos fiquem dando pitaco na forma como tratamos nossa criminalidade. . .
 

Não protestar cada vez que o governo compra colchões para presidiários que queimaram os deles de propósito, não é coisa de gente solidária.
É coisa de gente otária.

- Brasileiro é um povo alegre. Mentira. Brasileiro é bobalhão.

Fazer piadinha com as imundices que acompanhamos todo dia é o mesmo que tomar bofetada na cara e dar risada.
 

Depois de um massacre que durou quatro dias em São Paulo, ouvir o José Simão fazer piadinha a respeito e achar graça, é o mesmo que contar piada no enterro do pai.
 

Brasileiro tem um sério problema.
 

Quando surge um escândalo, ao invés de protestar e tomar providências como cidadão, ri feito bobo.

- Brasileiro é um povo trabalhador. Mentira.

Brasileiro é vagabundo por excelência.
 

O brasileiro tenta se enganar, fingindo que os políticos que ocupam cargos públicos no país, surgiram de Marte e pousaram em seus cargos, quando na verdade, são oriundos do povo.
 

O brasileiro, ao mesmo tempo em que fica indignado ao ver um deputado receber 20 mil por mês, para trabalhar 3 dias e coçar o saco o resto da semana, também sente inveja e sabe lá no fundo que se estivesse no lugar dele faria o mesmo.
 

Um povo que se conforma em receber uma esmola do governo de 90 reais mensais para não fazer nada e não aproveita isso para alavancar sua vida (realidade da brutal maioria dos beneficiários do bolsa família) não pode ser adjetivado de outra coisa que não de vagabundo.
 

- Brasileiro é um povo honesto. Mentira.

Já foi; hoje é uma qualidade em baixa.
Se você oferecer 50 Euros a um policial europeu para ele não te autuar, provavelmente irá preso.
 

Não por medo de ser pego, mas porque ele sabe ser errado aceitar propinas.
O brasileiro, ao mesmo tempo em que fica indignado com o mensalão, pensa intimamente o que faria se arrumasse uma boquinha dessas, quando na realidade isso sequer deveria passar por sua cabeça.

- 90% de quem vive na favela é gente honesta e trabalhadora. Mentira...

Já foi.
Historicamente, as favelas se iniciaram nos morros cariocas quando os negros e mulatos retornando da Guerra do Paraguai ali se instalaram.
 

Naquela época quem morava lá era gente honesta, que não tinha outra alternativa e não concordava com o crime. Hoje a realidade é diferente.
 

Muito pai de família sonha que o filho seja aceito como 'aviãozinho' do tráfico para ganhar uma grana legal.
 

Se a maioria da favela fosse honesta, já teriam existido condições de se tocar os bandidos de lá para fora, porque podem matar 2 ou 3 mas não milhares de pessoas.
 

Além disso, cooperariam com a polícia na identificação de criminosos, inibindo-os de montar suas bases de operação nas favelas.

- O Brasil é um pais democrático... Mentira.

Num país democrático a vontade da maioria é Lei.
A maioria do povo acha que bandido bom é bandido morto, mas sucumbe a uma minoria barulhenta que se apressa em dizer que um bandido que foi morto numa troca de tiros, foi executado friamente.
 

Num país onde todos têm direitos mas ninguém tem obrigações, não existe democracia e sim, anarquia.
Num país em que a maioria sucumbe bovinamente ante uma minoria barulhenta, não existe democracia, mas um simulacro hipócrita.
 

Se tirarmos o pano do politicamente correto, veremos que vivemos numa sociedade feudal: um rei que detém o poder central (presidente e suas MPs), seguido de duques, condes, arquiduques e senhores feudais (ministros, senadores, deputados, prefeitos, vereadores).
Todos sustentados pelo povo que paga tributos que têm como único fim, o pagamento dos privilégios do poder. E ainda somos obrigados a votar.

Democracia isso? Pense !

O famoso jeitinho brasileiro.
Na minha opinião, um dos maiores responsáveis pelo caos que se tornou a política brasileira.
 

Brasileiro se acha malandro, muito esperto. 
Faz um 'gato' puxando a TV a cabo do vizinho e acha que está botando pra quebrar.
 

No outro dia o caixa da padaria erra no troco e devolve 6 reais a mais, caramba, silenciosamente ele sai de lá com a felicidade de ter ganhado na loto.... malandrões, esquecem que pagam a maior taxa de juros do planeta e o retorno é zero. Zero saúde, zero emprego, zero educação, mas e daí?
Afinal somos penta campeões do mundo né?
Grande coisa...

O Brasil é o país do futuro. 


Caramba , meu avô dizia isso em 1950. Muitas vezes cheguei a imaginar em como seria a indignação e revolta dos meus avôs se ainda estivessem vivos.
Dessa vergonha eles se safaram...
Brasil, o país do futuro !?
Hoje o futuro chegou e tivemos uma das piores taxas de crescimento do mundo.

Deus é brasileiro.
Puxa, essa eu não vou nem comentar.

Arnaldo Jabor é jornalista.
Frase do dia
"Você é hoje a única pessoa em condições de liderar uma cruzada internacional para transformar o Bolsa Família num programa planetário, que atenda a todos os pobres do mundo."

Bono Vox, vocalista da banda irlandesa U2, sobre Lula

domingo, 7 de abril de 2013

Novo perdão - Agora é 4 Bi - Por Lúcio Albuquerque / Rondônia
O ministro dos Esportes Aldo Rebelo não nega que a política principal do neo-Partido Comunista seja, como sessentão PC cubano e dos patrões dele, os petistas, essa política seja clientelista e populista, tudo na base do fazer benemerência com dinheiro do trabalho dos outros, enquanto arrotam a balela de que esse (Deus que nos perdoe) governo que está aí lute a favor dos interesses nacionais, e não de amealhar mais votos para as próximas eleições.

Vejamos só: o senhor Aldo Rabelo já se posicionou favorável a que o Brasil perdoe os débitos que clubes de futebol tenham com o fisco, com a previdência e outros, proposta apresentada pelo deputado federal do PT (tinha de ser...) Vicente Cândido, da bancada paulista.

Em troca, a mesma cantilena de outras benesses já cedidas em outros agrados: investimento em projetos de esporte-educação, cessão de instalações esportivas para escolas, etc, o que realmente não acontece, mas a Timemania está aí mesmo para provar (apenas uma prova) que a receita já foi testada e não funciona.

Ah! Mas às vésperas da Copa do Mundo vale tudo, inclusive, como sites noticiaram nesta quinta-feira, o Senado atropelar a legislação e permitir que obras para a Copa possam receber recursos sem passar pelos processos normais de fiscalização. Dane-se a lei, vale o circo!

Ora, o projeto, que conta com a adesão imediata do ministro dos Esportes permitirá que clubes devedores fiquem zerados, para começar tudo de novo e, como todas as outras vezes, daqui a alguns anos, outro deputado federal, ou senador, e outro ministro, batam palmas para essa benemerência que não sai de seus bolsos, mas do cidadão que trabalha e paga todos seus impostos e, a quem, não lhe é nada perdoado – é só lembrar que estamos na época de prestar contas ao “leão”.

A imprensa está cheia de denúncias envolvendo jogadas ilícitas de dirigentes esportivos (não só deles, claro, mas o assunto agora é com eles). Mas que ninguém se iluda: quem vai advogar mesmo a proposta com certeza vai ser o senhor Luiz Inácio (que conforme noticiário já teria se posicionado a favor). E com a falta de coragem política de senadores e deputados federais, o Congresso do sim senhor não terá coragem de ser contra. Duvido muito que a proposta não passe, porque ninguém vai querer desagradar o grande soba se ele for a favor.

4 bi para os clubes. Pois é: mas quando é para dar um salário melhor ao trabalhador aí o rombo na previdência é a alegação contínua para justificar o posicionamento contrário do governo. Agora, para fazer benemerência e mandar a viúva de Cabral dê seu jeito isso eles sabem.

Para finalizar, sugiro ao leitor a leitura da música Caixinha Obrigado!, do poeta,  cantor e compositor Juca Chaves:

Caixinha, obrigado!

"A mediocridade é um fato consumado
Na sociedade onde o ar é depravado
Marido rico, burguesão despreocupado
Que foi casado com mulher burra, mas bela
O filho dela é político ou tarado
Caixinha, obrigado!
A situação do brasil vai muito mal
Qualquer ladrão é patente nacional
Um policial, quase sempre, é uma ilusão
E a condução é artigo racionado
Porém, ladrão, isso tem pra todo o lado!
Caixinha, obrigado!
O rock'n'roll, nesta terra é uma doença
E o futebol, é o ganha-pão da imprensa
Vença ou não vença, o Brasil é o maioral

E até da bola, nós já temos general
Que hoje é nome de estádio municipal
Caixinha, nacional!
A medicina está desacreditada
Penicilina, já é coisa superada
Tem curandeiro nesta terra pra chuchu
Rio de Janeiro tá pior que Tambaú
E de outro lado, onde está o delegado
Caixinha, obrigado!
Dramalhão, reunião de deputado
É palavrão que só sai pra todo lado
Se um deputado abre a boca, é um atentado

E a mãe de alguém é quem sofre toda vez
No fim do mês, Cento e Vinte de ordenado
Caixinha, obrigado!"


Inté outro dia, se Deus quiser!
José Lúcio Cavalcante de Albuquerque. É presidente da Academia de Letras de Rondônia. Ex-editor dos jornais Tribuna, Alto Madeira, e com passagens em outras publicações como o Estadão do Norte, Lúcio Albuquerque, egresso da imprensa amazonense, tem projeção nacional, desde a década de 80, quando foi correspondente do Estadão de São Paulo.

sexta-feira, 5 de abril de 2013

Frase do dia
"É inviável. Exceção virar regra, proibindo a participação popular, contraria a formação e inspiração da Casa."

Henrique Alves (PMDB-RN), presidente da Câmara dos Deputados, ao criticar a decisão de Marco Feliciano (PSC-SP) de proibir a presença de público nas reuniões da Comissão de Direitos Humanos

quinta-feira, 4 de abril de 2013

ELE ADORA COMER MARIA - Por Dalinha Catunda / Rio de Janeiro
A Maria é seu chamego
Desde que era criança
Desde novo ele comia
Afirmava a vizinhança
Falando mal do seu vício
Que hoje virou lambança.
*
Quando chega do trabalho
Chega cheio de euforia
Vai direto pra cozinha
Pensando em comer Maria
Se não comer não sossega
Até perde a alegria.
*
Come na boca da noite
E come ao raiar do dia
Briga com todo mundo
Caso não ache Maria
Quando acha se empanturra
E sua fome sacia.
*
Quando ele cai de boca
Acaba com a Maria
Quem desejava comer
Aquilo que apetecia
Dando meia volta sai
Frustrado se contraria.
*
Um dia tasquei a boca
Provei, mas que beleza!
A danada era gostosa
Maria da Fortaleza...
Bolacha de qualidade
Que o Ceará tem na mesa.

 Dalinha Catunda é escritora e natural de Ipueiras, Ceará

quarta-feira, 3 de abril de 2013

Foto do dia
Bica do Ipu
Foto: Carlos Moreira

segunda-feira, 1 de abril de 2013

Frase do dia
"Pela primeira vez na história, um pastor cheio de Espírito Santo conquistou o espaço que até ontem era dominado por Satanás."

Deputado Marco Feliciano (PSC-SP), presidente da Comissão de Direitos Humanos