terça-feira, 2 de julho de 2013

Contas Gotas - Por Lúcio Albuquerque / Rondônia

PERGUNTAR NÃO OFENDE
Depois desse movimento nas ruas você acredita mesmo que algo vá mudar no país?
 
E O FLU, HEIN?
Pois é: na decisão deste domingo só deu Fluminense. Como?, perguntarão os eternos insatisfeitos. É só ter prestado atenção: No meio da zaga o Tiago Silva e na lateral esquerda o Marcelo, ambos ex-jogadores do Flu. E na frente o Fred-gol, fazendo dois e ainda abrindo espaço para que o Neumar anotasse o dele.
 
GENIAL
Andei lendo muitos cartazes e faixas sobre esses problemas nas ruas durante essas semanas anteriores. Gostei daquela em que a Educação pedia à presidente Tratamento FIFA. Mas a que mais chamou minha atenção foi a inserida num cartaz e era composta apenas por cinco palavras: A Pátria muda não muda. Pense um pouco e veja a grandeza dessa frase.
 
DESCRÉDITO
As instituições brasileiras precisam de uma reengenharia que esteja em sintonia com o que chamam de a voz rouca das ruas. Não é preciso ser muito arguto para perceber o que está claro. A pesquisa feita pelo site oglobo.globo.com revelou bem isso: em cinco perguntas, a que teve 65% de votos favoráveis foi: O que você acha da reação do Congresso e do Governo após os protestos?. Pois bem: Esses 65% optaram pela seguinte resposta: (As reações serão) previsíveis pois agem sob pressão e voltarão logo a atuar como antes. Alguém duvida?
 
CONSTITUINTE
Dia 6 de agosto o Estado tem o que comemorar: sua primeira Constituição estará completando 30 anos de promulgada. E a Assembléia Legislativa está com uma programação comemorativa em grande estilo. Pelo visto, ao contrário de outros órgãos, especialmente voltados à Educação e à Cultura – que não lembram datas históricas, a ALE já colocou o 6 de agosto na agenda positiva.
 
“BURGUESIA” E/OU “DIREITA”. OUTRA VEZ?
A coluna da semana passada, com esse título, valeu por telefone e email diversas manifestações, inclusive de gente xingando. Ora, conforme chegou ao meu conhecimento figuras locais que dizem entender de política e movimentos sociais, teriam retornado com o velho chavão de direita  e esquerda, de burguesia, etc. Houve em todo o país quem afirmasse estar sendo um novo golpe, o besteirol de sempre. Interessante citarem burguesia, porque burguês certamente não anda de ônibus. Citar direita  ou esquerda é raciocínio retrógrado, por falta de meios para uma discussão ou, então, o que me parece muito provável, incapacidade de entender o que está acontecendo.

José Lúcio Cavalcante de Albuquerque. É presidente da Academia de Letras de Rondônia. Ex-editor dos jornais Tribuna, Alto Madeira, e com passagens em outras publicações como o Estadão do Norte, Lúcio Albuquerque, egresso da imprensa amazonense, tem projeção nacional, desde a década de 80, quando foi correspondente do Estadão de São Paulo.
Postagem anterior
Próximo Post

Postado por:

0 comentários:

As opiniões expressas aqui não reflete a opinião do Blog Primeira Coluna.