segunda-feira, 24 de junho de 2013

Estudantes são impedidas de utilizar transporte público em Ipueiras - Por Clecio Farias / Ipueiras



Duas estudantes do ensino médio, com idade de 14 anos, residentes no distrito de Charito, em Ipueiras, a 306 km de Fortaleza, iniciaram o ano letivo impedidas de utilizar o transporte público municipal, sem justificativa legal.

O episódio se deu com a opção das alunas estudarem em escola na sede do Município, porém, logo nos primeiros dias de aula, não puderam fazer uso do ônibus que faz o trajeto de 12 km, ligando o distrito à área urbana. Segundo as estudantes, o motorista barrou a entrada das adolescentes. Procurado, o condutor do veículo escolar afirmou que cumpriu determinação da Secretaria de Educação do Município de Ipueiras.

O comerciante e ex-vereador do Município, Eurico Farias, pai de umas das alunas, procurou a Secretária de Educação, Marlúbia Sampaio, a qual justificou que todas as escolas estão no mesmo nível de ensino e que no distrito funciona a mesma série, sendo desnecessário o deslocamento. Não convencido, o pai da estudante pediu uma justificativa legal e a Secretária finalizou que se trata de uma determinação.

Para Márcia do Vale, mãe da outra aluna, o ato causou indignação. “Não há explicação para tamanha arbitrariedade, sendo que outra estudante com a mesma opção das impedidas se matriculou no turno da tarde e foi permitida ir e voltar no ônibus”. Na insistência em fazer uso do transporte, Márcia foi procurada pelo motorista para reafirmar a decisão da Secretária e que o mesmo poderia se complicar, caso as alunas ainda entrassem no ônibus sem autorização. “É tão estranho, porque permitem outras pessoas que não são estudantes ir e voltar todos os dias, e as meninas não podem ir” completa a mãe muito chateada.

“O que queremos é dar mais opções de aprendizado para nossas filhas, no Município tem biblioteca melhor, trabalhos acadêmicos, apoio tecnológico, enfim, são vários fatores. Os danos causados pelo constrangimento às duas adolescentes, são irreversíveis, mas vamos até aonde a justiça e o bom senso nos permitir ter esperança” finalizou Eurico Farias.

O caso foi levado à Justiça. Já se encerra um semestre sem solução para o problema. As estudantes estão pagando ou pegando carona para fazer o trajeto de ida e volta.

Clecio Farias é publicitário
Postagem anterior
Próximo Post

Postado por:

0 comentários:

As opiniões expressas aqui não reflete a opinião do Blog Primeira Coluna.