segunda-feira, 27 de maio de 2013

Bolsa-Família: A culpa não foi da oposição - Por Lúcio Albuquerque / Rondônia

O jornal Folha de São Paulo, conforme o site UOL.com.br neste sábado, deixou bem claro que no episódio da confusão gerada pelo pagamento do programa bolsa-família, a oposição nada teve a ver com isso. E se houve algum tipo de mal-estar no Alvorada isso se deu em razão do que em combate é chamado de fogo amigo.

Pelo menos duas membros do Ministério da presidente Dilma acusaram a oposição (ainda existe isso no Brasil?) de ser responsável pelo que classificaram de boatos causadores do imbróglio, mas o jornal descobriu que a oposição passou bem ao largo disso tudo, e as acusações foram mais um episódio de um Ministério onde se faz muito mais política partidária do que trabalho em benefício do bem comum.

Segundo a Folha de São Paulo, quem causou todo o tumulto foi um órgão do próprio Governo, a Caixa Econômica Federal. Citando como fonte uma beneficiária do município de Caucaia, CE, diz o texto: "Recebo Bolsa Família há anos e nunca pagaram antecipado. Aí achei estranho, mas fiquei feliz e peguei o dinheiro. Acho que outras pessoas também conseguiram receber antecipado, foram avisando aos conhecidos e virou essa confusão", disse. Confrontada pela “Folha” a Caixa mudou a versão oficial. Afirmou que, por causa de ações em busca de "melhorias no Cadastro de Informações Sociais", o banco "optou por permitir o saque pelos beneficiários independentemente do calendário individual" na sexta-feira, dia 17.”.

E agora? Quem acusou a oposição de ser responsável pelo boato vai ter coragem de vir a público e admitir que pinoquiou? E quem disse que o boato foi obra de gente do mal, vai admitir que a gente do mal está dentro do Governo?

Outro personagem que me parece ter pecado nessa coisa toda é a própria Imprensa que, não sei se por comodismo ou apenas por outro motivo, tem se apegado mais à versão do que ao fato, e não foi essa a primeira vez, o que deixa a ideia de que o interesse público também vem sendo jogado fora por quem tem o dever de informar.

E quero deixar ao leitor bem claro o seguinte: não estou aqui defendendo a oposição - um instituto político que não funciona há muito tempo no país. e nem que só esse Governo que está aí em alguns pontos falta com a verdade: isso é prática comum)

Inte outro dia, se deus quiser!
  
José Lúcio Cavalcante de Albuquerque. É presidente da Academia de Letras de Rondônia. Ex-editor dos jornais Tribuna, Alto Madeira, e com passagens em outras publicações como o Estadão do Norte, Lúcio Albuquerque, egresso da imprensa amazonense, tem projeção nacional, desde a década de 80, quando foi correspondente do Estadão de São Paulo.
Postagem anterior
Próximo Post

Postado por:

0 comentários:

As opiniões expressas aqui não reflete a opinião do Blog Primeira Coluna.