quarta-feira, 20 de março de 2013

Saúde, direito cerceado - Por Carlos Moreira / Ipueiras



A Constituição Federal no seu art. 196 na seção II da saúde  diz que é direito de todos, garantindo mediante políticas sociais e econômicas que visem a redução de risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para a sua promoção, proteção e recuperação. Em Ipueiras este artigo não está sendo cumprido. Tudo isto deve-se a arrogância e prepotência que a atual administração municipal vem conduzindo a saúde pública.

O então diretor do Hospital e Maternidade Otacilio Mota, o Sr. Carlos Pereira de Oliveira, irmão do Prefeito Raimundo Nonato de Oliveira,  decidiu criar normas que descumprem a Constituição e fere o direito de ir e vir do cidadão brasileiro.

As ações implantadas pelo Sr. Carlos são absurdas e ditatoriais. No inicio da sua administração no H.M.O.M o seu primeiro ato, foi retirar todas as imagens de santo que estavam nos corredores , não respeitando a opção religiosa dos demais. O mesmo é pastor evangélico. Como o caso tomou as ruas da cidade e isto politicamente seria o inicio da derrota do atual gestor municipal , por livre e espontânea pressão o diretor do Hospital recolocou as imagens, algumas em lugares menos visíveis.

As reclamações são inúmeras. A indignação é constante. O Sr, Carlos baixou recentemente portaria proibindo a companhia de pessoas do sexo oposto e uso de shorts e mini saia nas dependências  do H.M.O.M.  Segundo relatos de uma funcionária  do Hospital, a administração esta esquecendo o principal, promover saúde para todos.

Aconteceu ontem um fato que é digno de denúncia. O diretor do Hospital, usou  da força policial contra a senhora Ana Maria Mota Oliveira, a mesma foi visitar o seu irmão Francisco Marcio Mota Oliveira, que passa por sérias complicações decorrentes de espancamento ocorrido nas ruas de Ipueiras. A acompanhante foi convidada a se retirar das dependências pelo simples fato de está trajando um “capri”, bermuda de uso comum pelas mulheres. Que mal tem isso? Cadê o direito de igualdade? Definitivamente não tem! Este fato além de vergonhoso foi imoral.

Esperamos que os nossos excelentíssimos vereadores tomem alguma providência e parem de serem inertes. Atitude, é isto que nós esperamos ! A sociedade merece uma resposta, merece respeito.

Carlos Moreira, radialista, blogueiro e sertanejo
Postagem anterior
Próximo Post

Postado por:

0 comentários:

As opiniões expressas aqui não reflete a opinião do Blog Primeira Coluna.