sábado, 30 de outubro de 2010

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Frase do dia
"Quando os projetos políticos contemplam, aberta ou veladamente, a descriminalização do aborto ou da eutanásia, o ideal democrático - que só é verdadeiramente tal quando reconhece e tutela a dignidade de toda pessoa humana - é atraiçoado nas suas bases."

Papa Bento XVI
Nota fiscal é sempre solicitada por 46% dos brasileiros - Por Lilian Ambar / S.Paulo



O hábito de pedir comprovante fiscal é mais comum entre pessoas mais velhas, do sexo masculino e das classes mais altas, segundo pesquisa da GfK

Quanto maior a idade, mais está presente o hábito de pedir nota fiscal após uma compra. É o que aponta um estudo realizado pela GfK, 4ª maior empresa de pesquisa de mercado no Brasil e 4º maior grupo mundial do setor.A pesquisa revela que 46% dos entrevistados sempre solicitam o documento fiscal, 20% na maioria das vezes, 19% algumas vezes, 6% quase nunca e 9% nunca.Entre aqueles que pedem sempre ou na maioria das vezes (66%), os mais velhos com idades acima de 45 anos se destacam, com 69% das citações. O índice, no entanto, cai para 60% entre os que têm de 18 a 24 anos.Os homens também se sobressaem em relação às mulheres.

Entre os entrevistados do sexo masculino a porcentagem é de 70%, enquanto que entre as mulheres é de 62%.Merece destaque ainda a diferença de comportamento entre as classes sociais. Os integrantes das classes A e B têm mais costume de solicitar o documento fiscal que os das classes C e D, 70% e 62% respectivamente.

Os dados fazem parte de uma pesquisa realizada em julho deste ano, com 1.000 pessoas a partir dos 18 anos, de cidades das regiões metropolitanas brasileiras.

Lilian Ambar

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Novo milagre de Irmã Dulce - O Globo


O Vaticano reconheceu a autenticidade de um milagre atribuído à Irmã Dulce, cumprindo a última etapa do processo de beatificação da religiosa.

O colégio de cardeais e bispos da Congregação para a Causa dos Santos deu voto favorável e unânime ao reconhecimento. Com isso, Irmã Dulce receberá o título de beata eou Bem-

Aventurada e o processo de canonização já poderá ser iniciado.

Segundo o médico Sandro Barral, um dos peritos que participou do processo de análise do milagre, a graça ocorreu em 2001, em uma cidade do interior do Nordeste do Brasil.

- Foi um caso de pós-parto, onde a paciente apresentava um quadro de forte hemorragia não controlável. Em um período de 18 horas, por exemplo, ela chegou a passar por três cirurgias, mas o sangramento não cessava. Contudo, sem nenhuma intervenção médica, a hemorragia subitamente parou e a paciente passou a ter uma impressionante recuperação - explicou o médico.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Até o final do ano, cada brasileiro terá pago R$ 6,7 mil em tributos - Por Rosângela Longhi / S. Paulo
Pelo terceiro ano consecutivo a arrecadação tributária brasileira ultrapassará a marca de R$ 1 trilhão em impostos, taxas e contribuições. Segundo levantamento do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário – IBPT e da Associação Comercial de São Paulo - ACSP, neste ano, em comparação a 2009, a marca foi atingida 49 dias antes e, em comparação a 2008, 50 dias. Até hoje, 26 de outubro de 2010, cada brasileiro já pagou R$ 5.207,22 em tributos e, até o final do ano, terá pago aproximadamente R$ 6.700,00.

Terça-feira, dia 26 de Outubro, o IBPT e a ACSP divulgaram um estudo em que demonstra, individualmente, que o tributo de maior arrecadação é o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços - ICMS, com 21,47% do total; seguido da contribuição previdenciária para o INSS com 17,51%; do Imposto de Renda com 16,60%; e da
Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social - Cofins com 10,93%. Revela ainda que a média de arrecadação diária totaliza R$ 3,35 bilhões, sendo que por segundo é arrecadado o valor de R$ 38.709,28.

O presidente do IBPT, João Eloi Olenike, destacou que a motivação para carga tributária tão alta em 2010 se deve ao crescimento econômico; redução da sonegação fiscal, por meio da Nota Fiscal Eletrônica, Sped Eletrônico; e a forma como os tributos são cobrados no Brasil, um verdadeiro efeito cascata. “Temos uma previsão de que o PIB possa chegar a 7% e a carga tributária em relação ao PIB apresente um aumento de aproximadamente 0,7 ponto porcentual neste ano, com isso o volume da arrecadação pelo governo reflete os recordes atingidos atualmente. Para a vice-presidente do IBPT, Letícia do Amaral, a população deve reivindicar um retorno de benefícios referentes a serviços públicos de qualidade proporcionalmente aos tributos pagos anualmente.

A Região Sudeste concentra 63,52% de toda a arrecadação, seguida da Região Sul com 14,21%, Região Nordeste com 9,79%, Região Centro-Oeste com 9,11% e Região Norte com 3,37%. São Paulo é o estado com maior arrecadação, com 38,61%, seguido do Rio de Janeiro com 15,22%, Minas Gerais com 7,73%, Rio Grande do Sul com 5,64%, Distrito Federal com 5,33% e Paraná com 5,07%. Os estados com menor arrecadação são Roraima e Amapá com 0,10% do total e Acre com 0,12%. O Distrito Federal apresenta a maior arrecadação “per capita”, de R$ 20.386,20, seguido do Rio de Janeiro com R$ 9.478,56, São Paulo com R$ 9.309,18, Santa Catarina com R$ 5.703,44, Espírito Santo com R$ 5.604,16, Rio Grande do Sul com R$ 5.152,54 e Paraná com R$ 4.730,57. Os estados com menor arrecadação por habitante são Maranhão com R$ 1.111,85, Piauí com R$ 1.268,02, Alagoas com R$ 1.326,87 e Pará com R$ 1.402,06.

O estudo ainda aponta no que poderia ser investido R$ 1 trilhão. Entre as possibilidades estão: mais de 48 mil casas populares de 40m²; mais de 83 mil salas de aula equipadas; cerca de 4 mil postos de saúde equipados; além de aproximadamente 12 mil redes de esgoto; 21 mil postos policiais; contratar mais de 86 mil professores do Ensino Fundamental; fornecer cestas básicas para toda a população brasileira por 26 meses, entre tantos outros.

Rosângela Longhi
Frase do dia
"Nenhuma campanha (desde a redemocratização) chegou a este nível de transgressão das regras do jogo democrático, de utilização de órgãos do governo para se ganhar uma eleição. Eu nunca vi uma máquina da mentira funcionando como agora."

José Serra

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Espinhenta paixão - Por Dalinha Catunda / Rio de Janeiro
Dois pés de mandacarus
Em uma vereda se via.
Ali cresceram juntinhos
É assim que se noticia.
Não sei se é bem verdade,
Ou lenda que o povo cria.
.
O povo que passa por lá,
Fazendo sua romaria,
Diz que um, é o tal João,
O outro, é a bela Maria,
Filha de um fazendeiro
Que o namoro não queria.
.
Ela uma moça bonita!
João um bonito rapaz...
Que fora abatido a tiros,
Pelas mãos de um capataz.
A mando do fazendeiro,
Que nada entendia de paz.
.
Maria ficou desesperada,
Com a morte de sua paixão,
De posse de um punhal
Sangrou o seu coração,
E caiu em cima do moço,
Que estava morto no chão.
.
O velho pai desesperado
Acabou por enlouquecer.
Vendo sua filha única
Daquele modo morrer,
E teve ali o seu castigo
Porque fez por merecer.
.
Pouco tempo depois
Nascia naquele lugar.
Um par de mandacarus
Frente a frente a namorar.
Marco da velha história
Que eu acabo de contar.

Dalinha Catunda é escritora e natural de Ipueiras, Ceará

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Frase do dia
"Vou votar nela [Dilma] porque estou satisfeita com o governo dele [Lula]. A gente tem que pensar positivo e ter esperança de que ela vai continuar [o governo do petista]. "

Maria de Fátima Carvalho, dona de casa carioca

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Conta Gotas - Por Lúcio Cavalcante / Rondônia
PERGUNTAR NÃO OFENDE
Por que uma campanha eleitoral orçada em 150 milhões de reais pretende autorização do autorização do TSE para gastar mais 40 milhões?

PESQUISA
É risível o esforço dos institutos de pesquisa para tentar mostrar que acertam sempre. No turno uma candidatura presidencial estava dando um banho de altos índices. E eu disse a algumas pessoas que esperassem, porque próximo à eleição isso iria mudar, para alegarem que estavam certos, o que acontece sempre. Um experiente pesquisador porto-velhense, cujas pesquisas têm acertado muito e com dois meses de antecedência, ria muito do esforço de grandes institutos nacionais em se explicar.

APRESENTE-SE
Eu não conheço uma pessoa que tenha sido pesquisada, nessas eleições presidenciais, pelos grandes institutos nacionais. SE você conhecer, apresente, mas, por favor, que realmente falem sério.

ANIVERSÁRIO
A Academia de Letras de Cacoal realizou no sidsef, naquela cidade, a solenidade do segundo ano de criação da entidade, num ato que contou com boa participação de público.

EXTORSÃO
O aumento do preço do combustível em Porto Velho está subindo a todo vapor enquanto não vemos qualquer reação de parte de autoridades. A “culpa” é atirada sobre as condições de tráfego no Rio Madeira. Mas pelo visto funciona mesmo o “olho gordo”. Vamos reclamar ao bispo?

RAPIDEZ
Moradores de Ji-Paraná estão estranhando muito a velocidade com que as obras da ponte, que liga os dois lados da cidade, foram realizadas nos últimos dias. E ninguém descarta que seja em razão da anunciada vinda do senhor Luiz Inácio, para inaugurar a obra que andou a passos de preguiça depois de um lauto almoço. Como me disse um taxista, “foi só anunciarem o nome do patrão deles que a obra foi completada”. Pode ser, pode não ser, mas que dá para desconfiar, quem duvida?

CACOAL
Grande centro econômico do Estado, Cacoal se ressente de um hotel urbano de melhor qualidade. Mas não só o prédio. Também precisa melhorar, e muito, o atendimento. Da maneira como está vai ter quem prefira trafegar mais 100 quilômetros e se hospedar em Ji-Paraná, onde a estrutura hoteleira e de atendimento é muito melhor.

FLAMENGO
Até os locutores do canal que transmitiu o jogo Flamengo 3x0 Internacional estranharam o pênalti que resultou no primeiro gol. Interessante como se marca pênalti a favor de Flamengo e Corinthians nesses campeonatos brasileiros. Dá até para desconfiar.

Inté outro dia, se Deus quiser!

José Lúcio Cavalcante de Albuquerque. É presidente da Academia de Letras de Rondônia. Ex-editor dos jornais Tribuna, Alto Madeira, e com passagens em outras publicações como o Estadão do Norte, Lúcio Albuquerque, egresso da imprensa amazonense, tem projeção nacional, desde a década de 80, quando foi correspondente do Estadão de São Paulo. Com um dos currículos mais completos do jornalismo rondoniense, Lúcio Albuquerque, graças ao seu diligente trabalho de apuração, ganhou prestigio e credibilidade na imprensa regional. Pela relevância do seu trabalho escreve para uma rede de sites e jornais de todo o Estado, honrando o gentedeopinião, com artigos de sua lavra. Jornalista e historiador, Albuquerque é testemunha ocular da explosão rondoniense, seja como repórter, ou fundador da primeira entidade representativa dos jornalistas, ainda no final dos anos 70.
Precipitar-se e cair - Por Dalinha Catunda / Rio de Janeiro
Não faz muito tempo liguei para um amigo. Amigo este que zela pelo bem falar e traz a elegância das palavras como regra em sua vida..

--- Olá Seu Gonçalo! Tudo Bem?

--- Ó nobre acadêmica que bons ventos lhe trazem?

---Liguei para saber do senhor e das novidades da Academia.

---Bom, tenho duas notícias, uma é que o projeto de termos um espaço na feira de São Cristovão saiu, já assinei até os papéis.

--- E a outra Seu Gonçalo?

---É que infelizmente precipitei-me ao solo!!!!!

---Precipitou-se ao solo?!...

---Exatamente!

---Mas como?

--- Sai da feira tão exultante que esqueci-me de minha deficiência visual, que não me permite uma ampla visão de espaço. Assim sendo, ao tropeçar inadvertidamente numa protuberância acabei por precipitar-me ao solo. Mas diante do acontecido pessoas solícitas socorreram-me. O que agastou-me foi que já erguido e refeito, vejo um ébrio ao lado perguntando-me:

--- O senhor não perdeu uma ferradura? Foi aí que me dei conta que em um de meus pés faltava o sapato.

---Que horror seu Gonçalo!...

---Agora eu vou dizer uma coisa para o senhor: - eu, quando levo uma queda, taco mesmo é o rabo no chão! Me lasco toda! E ainda por cima chingo o maior palavrão e dou o dedo para quem estiver rindo da minha cara, e o senhor me cai com essa elegância toda? Diabo é isso Seu Gonçalo?

Dalinha Catunda é escritora e natural de Ipueiras, Ceará
Frase do dia
"Todo mundo sabe que o jornalista Amaury Ribeiro Jr. estava a serviço do Aécio para se contrapor à sujeira do Serra e montar um dossiê."

André Vargas, secretário de Comunicação do PT

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Pesquisa mostra mudança de comportamento do homem brasileiro em relação ao sexo - Por Cibele Pereira / S. Paulo
A pesquisa “Sexualidade e Saúde Masculina”, realizada pela Bayer Schering Pharma, em parceria com a Sociedade Brasileira de Urologia – Seccional São Paulo (SBU-SP), e conduzida pelo Ambulatório de Sexualidade (AmbSex), ouviu durante o mês de junho deste ano 3.026 homens com idades entre 16 e 90 anos, em cinco capitais: São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ),

Porto Alegre (RS), Goiânia (GO) e Salvador (BA). O resultado comprova que, quando o assunto é sexo, o grau de satisfação do brasileiro é alto: 86,95% dos pesquisados afirmaram estar satisfeitos com sua vida sexual. E eles não querem só quantidade (61,70% dizem ter relações de 2 a 4 vezes por semana), mas também querem qualidade e estão preocupados em dar prazer à mulher.

Esses dois últimos quesitos ficaram em segundo (43,33%) e terceiro (33,93%) lugares, respectivamente, quando os entrevistados classificaram o que é mais importante no sexo. Só perderam para a própria satisfação do homem, item mais importante para 46,60% dos entrevistados.

De acordo com a coordenadora do levantamento, a sexóloga Carla Cecarello, a mudança de comportamento em relação à satisfação da parceira é algo importante. “Mas, é preciso considerar que a satisfação feminina é, para o homem, uma afirmação de sua masculinidade”, comenta a pesquisadora.

Outro traço significativo do comportamento masculino tem se modificado segundo a pesquisa: 31,09% dos pesquisados revelaram falar sobre sexo com a parceira. “Essa é uma característica mais presente entre os homens casados, com mais de 30 anos e, geralmente, a conversa é iniciada pela mulher”, explica a coordenadora da pesquisa. “No entanto, independente de qual dos dois aborda o assunto, esse diálogo é muito importante para o relacionamento se manter saudável”, completa Carla Cecarello.

Eles não assumem que já falharam na cama
Embora as estatísticas oficiais apontem para o fato de que mais da metade dos homens apresenta algum grau de disfunção erétil (DE), especialmente na maturidade, os brasileiros ainda resistem em assumir que já enfrentaram a situação. De acordo com a pesquisa “Sexualidade e Saúde Masculina”, 81,36% dos participantes afirmou nunca ter tido problemas de ereção.

“Embora ainda exista muita dificuldade do homem para admitir a disfunção erétil, é muito importante conscientizá-los de que a DE pode ser um dos primeiros sinais de que algo não vai bem com a saúde”, enfatiza ArchimedesNardozza Junior, presidente da SBU-SP. O urologista lembra que, atualmente, a comunidade médica considera a dificuldade de ereção como um marcador de doenças cardiovasculares.

A pesquisa também mostrou que, entre os participantes que afirmaram já ter tido dificuldade de ereção (13,22%), apenas 26,50% procuraram o médico para solucionar o problema. Entre os motivos para não ir ao consultório, foram citados: achar que é um problema psicológico, considerar a DE normal, falta de tempo e vergonha.

Quando o assunto é duração da ereção, 51,56% dos pesquisados colocaram esse item entre 4º e 6º lugar em um ranking que elencou seis fatores relacionados ao sexo. O tempo que dura a ereção masculina já foi tema de estudos clínicos recentes. O estudo ENDURANCE (2009) acompanhou o desempenho de 201 homens com disfunção erétil associada a doenças como diabetes, síndrome metabólica e hipertensão durante oito semanas. Todos os participantes passaram por dois períodos de testes, um utilizando LEVITRA® (vardenafila, princípio ativo produzido pela Bayer Schering Pharma) e outro tomando placebo (comprimidos sem princípio ativo). Após tomar comprimidos de vardenafila, os participantes relataram uma duração média da ereção de até 12 minutos. Ao ingerir placebo, essa média diminuía para 5 minutos. Antes, uma pesquisa canadense havia demonstrado que uma relação sexual satisfatória para o casal tem duração de 7 a 13 minutos e que para homens saudáveis, o tempo médio de ereção é de 10 minutos.

Outro ponto abordado pelo levantamento foi o conhecimento dos homens a respeito do próprio envelhecimento. Mais da metade dos entrevistados (52,31%) afirmou saber que a andropausa (como é conhecido popularmente o Distúrbio Androgênico do Envelhecimento Masculino – DAEM) atinge homens com mais de 40 anos. Além disso, 65,60% dos participantes disseram já ter ouvido falar sobre o problema.

Cibele Pereira

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Frase do dia
"Vim reiterar meu apoio a essa mulher de fibra que vai herdar o sucesso da justiça social, uma marca do Lula. Somos iguais, não falamos fino com Washington nem grosso com a Bolívia e Paraguai."

Chico Buarque, em ato de apoio a Dilma Rousseff, ontem à noite, no Rio

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Prefeituras têm até 29 de outubro para informar a frequência escolar de alunos do Bolsa Família - Por Rogéria de Paula / Brasília
As prefeituras de todas as cidades brasileiras têm até 29 de outubro para informar a frequência escolar de crianças e adolescentes do Programa Bolsa Família, do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS). O acompanhamento da assiduidade escolar é tarefa dos municípios, assim como o monitoramento das ações de saúde. Mandar os filhos à escola, manter em dia a vacinação das crianças e o pré-natal das mulheres são exigências a serem cumpridas pelas famílias que recebem a transferência de renda do programa.

Atualmente, 17,6 milhões de crianças e adolescentes do Bolsa Família enquadram-se no perfil de educação, ou seja, estão na faixa etária de 6 a 17 anos, aptos a estudar. O processamento das informações sobre educação mostra que, até agora, em todo o País, o percentual de alunos na faixa etária de 6 a 15 anos cuja frequência escolar foi acompanhada chega a 22,12%. Já para os jovens entre 16 e 17 anos, esse monitoramento alcança 15,95%.

Frequentar a escola é condição para crianças e jovens de famílias beneficiadas pelo Bolsa Família. A baixa frequência ou a ausência da escola podem levar ao bloqueio e até ao cancelamento do benefício. O programa exige que a assiduidade escolar seja de no mínimo 85% para alunos dos 6 aos 15 anos e de 75% para os de 16 e 17 anos.

Cabe aos municípios a responsabilidade de registrar os dados das duas condicionalidades nos sistemas do Ministério da Educação e do Ministério da Saúde, e acompanhar as famílias, registrando inclusive os motivos da ausência nas salas de aula, da baixa frequência das crianças e adolescentes ou da negligência relativa a alguma ação de saúde, como a vacinação.

No caso de a família estar descumprindo a condição, o objetivo não é cortar o benefício, e sim resgatar a criança para a escola, garantir a permanência e assegurar o acesso aos serviços de saúde. Para esse trabalho, as prefeituras recebem repasses financeiros do Índice de Gestão

Descentralizada (IGD), criado e repassado pelo MDS para apoiar a gestão do programa.

O Bolsa Família beneficia 12,7 milhões de lares. Atualmente, os valores pagos variam entre R$ 22 e R$ 200, de acordo com a renda mensal por pessoa da família e o número de crianças e adolescentes de até 17 anos.

Rogéria de Paula
Frase do dia
"As pessoas erram. Erenice errou. Considero a situação da Erenice com muita indignação, porque não concordo com a contratação de parentes e amigos."

Dilma Rousseff, no debate da RedeTV!, ontem

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Região Nordeste: uma nova chance? - Por Cláudio Ferreira Lima / Fortaleza


Que passos importantes foram dados para se tentar resolver a questão regional no Brasil? A ideia mais criativa e ousada nesse terreno é de Celso Furtado com o Conselho de Desenvolvimento do Nordeste (Codeno), que reunia os governadores da Região e representantes da União, depois, mantendo as características, transformado no Conselho Deliberativo da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene). Era ali onde se formava a vontade política regional.

Paulo Bonavides viu nesse arranjo institucional, desmontado pelo regime militar de 1964, a semente do federalismo das regiões, em que a Região é elevada à categoria de ente federativo.

Na Assembleia Nacional Constituinte, tentou-se consagrar na Carta Magna esse federalismo. Uma emenda com tal propósito foi acolhida pelo relator deputado Bernardo Cabral (PMDB-AM). Mas eis que, na votação do relatório, o senador José Richa (PMDB-PR) propôs a sua supressão, “por ser um incitamento ao separatismo”.

Assessor da bancada do Nordeste, alertamos do fato o senador Aloysio Chaves (PFL-PA), que foi ao senador Virgílio Távora (PSD-CE), e este, após se entender com o autor da emenda supressiva, nos orientou: “Doutorzinho, procure o Andradinha (deputado Bonifácio de Andrada (PSD-MG), regimentalista), que ele vai-lhe dizer como fazer”.

Assim, o dispositivo foi desbastado dos pontos mais polêmicos e, em vez de capítulo do título “Da Organização do Estado” tornou-se a seção “Das Regiões”, do capítulo “Administração Pública”, do mesmo título, ou seja, o artigo 43 da Constituição Federal. Era o possível.

Qual o significado desse dispositivo? Para Janice Morbidelli, ele “introduziu elementos de tratamento diverso entre os Estados (...). Esse componente denota a institucionalização de um federalismo assimétrico, de atendimento constitucional a desigualdades incompatíveis com a simetria do federalismo tradicional”.

Segundo Paulo Bonavides, “a constitucionalização administrativa das Regiões (...) deve ser reputada predecessora da constitucionalização política, portanto, como largo e significativo passo para vencer o atraso e os enormes obstáculos ainda existentes, que impedem a Federação brasileira de caminhar rumo à incorporação das Regiões na estrutura do seu sistema associativo”.

No entanto, dá-se um passo atrás. A Sudene, já esvaziada, é extinta em 2001; em seu lugar, a Agência de Desenvolvimento do Nordeste (Adene), uma agência vazia política e orçamentariamente. Recriada em 2007, está longe do que fora em seus primórdios. É por isso, aliás, que os governadores do Nordeste reúnem-se, periodicamente, em fórum próprio, a fim de discutir temas comuns e buscar soluções conjuntas para os problemas regionais.

Na atual quadra, quando se evolui na construção de um vigoroso mercado interno, surge nova oportunidade para o Nordeste, desta feita como uma das principais fronteiras de crescimento do País. Diante disso, é preciso restabelecer a política regional dentro de um projeto para o Brasil, por sinal, uma das tarefas mais importantes dos parlamentares e governadores nordestinos que deveremos eleger no dia 3 de outubro.

Cláudio Ferreira Lima - Economista

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Frase do dia
"A acusação contra ele é injusta. Não houve desvio de dinheiro de campanha por parte de ninguém, nem do Paulo Souza."

José Serra, defendendo Paulo Souza - ou Paulo Preto - da acusação feita por Dilma de ter sumido com R$ 4 milhões da campanha presidencial do PSDB
Só sendo do Ceará - Por Dalinha Catunda / Rio de Janeiro
1

Esta cabecinha chata,
Esta falta de cintura
Ser doidinha por queijo,
E adorar uma rapadura
Só sendo lá do Ceará.
Essa dita criatura!

2

Quando chega a noitinha,
Ela acha uma gostosura,
Se balançar numa rede,
Para abanar a quentura
Só sendo do lá Ceará
Essa dita criatura!
3

Adora uma paçoca
Não fica sem a fussura.
Ficar sem baião de dois,
Ela acha uma tortura.
Só sendo lá do Ceará,
Essa dita criatura!

4

Às vezes é muito braba
Noutras anjo de candura
Quando fica enfezada,
Diz que fica com gastura.
Só sendo lá do Ceará,
Essa dita criatura!

5

Já provou como remédio
De bunda de tanajura.
Pra garganta inflamada
Dizem que traz a cura.
Só sendo lá do Ceará
Essa dita criatura!

6

E quem quer ser só as pregas,
Ela mesma não atura.
Pois acha que gente fresca
Nunca muda de postura.
Só sendo lá do Ceará
Essa dita criatura!

7

Às vezes se faz de besta
Mas tem a sua cultura.
Se for preciso dá coice
Se precisar tem lisura.
Só sendo do lá Ceará
Essa dita criatura!

8

Cantada de muriçoca
Seguida de picadura.
Ela fica arretada
E perde a compostura.
Só sendo lá do Ceará
Essa dita Criatura!

9

Quando está com raiva,
Joga praga, esconjura.
Às vezes cheia de calma
Demonstra sua ternura.
Só sendo do lá Ceará
Essa dita criatura!

10

O Ceará é seu céu,
Não muda de postura,
Ficar distante de lá
Ela acha uma tortura
Só sendo lá do Ceará,
Essa dita criatura!

11

Ela pinta seu Ceará,
Desenha, faz escultura.
E coloca na parede
Na mais bonita moldura.
Só sendo do lá Ceará,
Essa dita criatura.

12

E se nasceu no Ceará,
Lá será sua sepultura.
É assim que ela fala
Na atual conjuntura.
Só sendo do lá Ceará
Essa dita criatura.

13

Ficar longe é difícil,
Mas a onda ela segura.
Repleta de bom humor
Não conhece amargura.
Só sendo lá do Ceará,
Essa dita criatura!

14

Falar mal do Ceará
Perto dela é loucura.
É procurar levar coice,
De quem não tem ferradura
Só sendo lá do Ceará,
Essa dita criatura!

15

De andar sempre na linha,
Não teve a desventura.
Seu nome é Dalinha
E não está na escritura.
Só sendo lá do Ceará
Essa dita Criatura!

16

Nasceu lá em Ipueiras
A referida figura,
O amor por sua terraI
nabalável perdura.
É mesmo do Ceará
Essa dita criatura!

Dalinha Catunda é escritora e natural de Ipueiras, Ceará

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Que País é este? - Por Marcondes Rosa de Sousa / Fortaleza
Pela manhã, nos jornais cearenses que assino, o impacto da manchete: “Casal de empresários é morto em casa de praia”. Chocado, absorvo a matéria em seus detalhes, perplexo ante o crime.

Nas revistas que me chegam, o crime em detalhe de Bruno, goleiro do Flamengo, levado afinal à prisão. Na Internet, são cada vez mais frequentes as listas dos “fichas sujas”, num apelo aos eleitores para que lhes neguemos o voto. Entre educadores, cresce a intensidade dos bullyings – as violências físicas ou verbais, mais frequentes, a cada ano, em nossas escolas.

Em meio a tudo isso, eis que, em minha conta bancária, sou surpreendido com a notória agressão, vítima eu a sofrer de estelionato: “Artigo 171 do Código Penal – Obter para si ou para outrem, vantagem ilícita, em prejuízo alheio, induzindo ou mantendo alguém em erro, mediante artifício, ardil, ou qualquer outro meio fraudulento”.

No caso, constato, em minha conta bancária, o lançamento, numa única data, de sete débitos supostamente autorizados por mim.. Tudo em favor de Associação de Servidores Públicos Federais, estranhamente localizada em São Luiz, no Maranhão. Agora exige o banco, que me tem como “cliente desde 3/1991”, seja eu quem tenha de provar não haver contraído o estranho débito... Deverei registrar a queixa num Boletim de Ocorrência (BO), só após o que terei crédito...

Queixas assim, ouço-as de colegas e amigos, com contas no mesmo e em outros bancos. E, cada vez mais, relembro o refrão de Fitzgerald, repisado, em meus tempos de faculdade, pelo escritor e professor Moreira Campos: “Drama social algum é maior que minha dor de dente”.

“Dor de dente” que terminamos por aprender a suportar. Mas isso, sem que deixemos de ora apregoar, aos quatro ventos, a indagação a nós deixada por Darci Ribeiro: “Que país é esse?”

Marcondes Rosa de Sousa é professor da Universidade Federal do Ceará (UFC) e da Universidade Estadual do Ceará (UECE).