sexta-feira, 30 de abril de 2010

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Quilombos do Brasil estão de portas abertas para o mundo


De 7 a 10 de junho, a cidade de Eldorado, em São Paulo, (SP) receberá o I Encontro Nacional de Turismo em Comunidades Quilombolas. O evento, que tem apoio do Ministério do Turismo (MTur), é organizado pelos ministérios do Meio Ambiente (MMA), da Cultura (Minc), do Desenvolvimento Agrário (MDA), da Educação (MEC), além da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial(SEPPIR). O Sebrae (SP), a Fundação Palmares e o Instituto Socioambiental também apóiam o encontro, que pretende oferecer um intercâmbio de idéias e experiências entre as comunidades quilombolas, tanto as que já desenvolvem atividades turísticas, como as que possuem potencial para isso. A programação será variada e contará, por exemplo, com a visita aos quilombos de Ivaporunduva e André Lopes. As pré-inscrições já estão abertas e podem ser feitas clicando aqui:
[
http://blog.mma.gov.br/turismoquilombola].

O encontro pretende discutir alternativas para o desenvolvimento etnossustentável das comunidades quilombolas que, historicamente, estão localizadas em áreas com importantes recursos naturais. Por conta desse diferencial, esses povoados acabaram se tornando exemplos de sustentabilidade ambiental e de resgate cultural, transformando-se também em regiões com grande potencialidade turística.

O principal objetivo do evento é estimular o debate e a construção de propostas de aprimoramento do turismo sustentável, do ponto de vista da valorização e do fortalecimento da cultura quilombola e de seus produtos específicos, para divulgar, preservar e conservar o seu patrimônio.
Frase do dia
"A única novidade agora é a linguagem chula e agressiva que lembra a direita sobre a repressão."

José Dirceu, sobre a proposta de José Serra de criar o Ministério da Segurança Pública

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Copa, Olimpíadas e infraestrutura - Por Luiz Nelson Porto Araújo / S. Paulo


Em maio de 2009, a Fifa anunciou que Belo Horizonte, Brasília, Cuiabá, Curitiba, Fortaleza, Manaus, Natal, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, São Paulo e Salvador foram escolhidas para sediar a Copa do Mundo de 2014. Receber um evento desse porte significa hospedar 32 equipes e suas comitivas durante um mês e criar estrutura para a realização de 64 partidas, que serão transmitidas para todo o mundo, no maior evento midiático do planeta (estima-se que, durante a Copa de 2014, cerca de três bilhões de telespectadores assistirão às transmissões). Meses depois, o Rio de Janeiro foi eleito para receber os jogos olímpicos em 2016.

A infraestrutura e a segurança constituem elementos essenciais ao sucesso desses dois eventos. Para entendermos se, de fato, o Brasil dará conta do desafio, é necessário avaliar fatores como a nossa estrutura urbana.

Estudos preliminares apontam que a Copa demandará investimentos superiores a US$ 5 bilhões de dólares. Os valores para as Olimpíadas são inferiores – e devem ser reduzidos por aqueles que serão gastos em 2014 – mas também são relevantes. Os maiores gastos com infraestrutura nas cidades onde acontecerão os jogos compreendem reforma e construção de estádios/vilas olímpicas, obras em rodovias, aeroportos, hospitais e sistemas de telecomunicações.

A realização da Copa e das Olimpíadas é uma grande oportunidade para antecipar e adensar os investimentos necessários para superar as carências crônicas das cidades-sede, com efeitos multiplicadores sobre toda a economia. Para que os investimentos sejam, de fato, estruturantes, é fundamental não repetir os problemas observados na época do Pan 2007, no Rio de Janeiro, quando os orçamentos iniciais foram superados pelos custos reais, a ajuda emergencial do Estado tornou-se imprescindível para a conclusão das obras e não houve melhorias efetivas na infraestrutura do entorno dos estádios e das cidades.

Mais ainda: o Brasil não pode perder a oportunidade de se valer desses dois eventos para alavancar a sua projeção no cenário mundial, para melhorar as condições de acessibilidade e mobilidade urbanas e para expandir as condições de acesso a serviços de saneamento, energia, transporte e telecomunicações.

Luiz Nelson Porto Araújo é consultor da BDO e autor do estudo A INFRAESTRUTURA BRASILEIRA – DESAFIOS E OPORTUNIDADES, publicado pela BDO.
Frase do dia
"Quem é contra o Bolsa Família é quem não precisa do Bolsa Família."

Dilma Rousseff

terça-feira, 27 de abril de 2010

Meu Jeito Agreste - Por Dalinha Catunda / Rio de Janeiro
Não nasci de sete meses,
Não sou mulher assustada.
Nunca fui guia de cego
Mas sou bem desaforada.
O meu nome é Dalinha,
Outro melhor não tinha
Para eu ser retratada.
.
Não sou de dizer amém
Cabeça não sei baixar.
Tenho nariz empinado
Não sou de me rebaixar.
Tenho cabelos na venta
Meu pirão é com pimenta
Que arde de transpirar.
.
Nasci no meu Ceará
O meu chão é Ipueiras.
Adoro o meu Nordeste.
Sou da ala das guerreiras.
Preservo meu ar agreste,
Já peguei cabra da peste,
E nele botei coleiras.
.
Quem quiser me seguir
Que acompanhe meu passo.
Nem devagar nem ligeiro,
Pois tenho o meu compasso.
Aprendi lá no sertão,
A pisar em qualquer chão
Nem fico nem ultrapasso.
.
Sou abelha Dalinha,
Doce e de amargar.
Se hoje oferto mel
Também posso ferroar.
Meu mel e meu ferrão,
Conforme a situação
Sou obrigada a usar.
.
Gosto de ser instintiva
Não queira me adestrar.
Este meu jeito agreste
Trouxe do meu Ceará.
Tenho lá minha doçura
Mas só mostro ternura
Se de fato me encantar.

Dalinha Catunda é escritora e natural de Ipueiras, Ceará
Saiba o que é Mielodisplasia - Por Lilian Poleti / S. Paulo
Facilmente confundida com anemia, a mielodisplasia origina-se de mutações em células-tronco da medula óssea, que são responsáveis pela formação de glóbulos vermelhos, brancos e plaquetas do sangue. As células apresentam anormalidade de tamanho, na forma e na organização, e se essa disfunção não for tratada pode virar uma leucemia aguda.

A doença incide principalmente entre a 3º Idade (60 e 80 anos de vida), e pode começar com uma anemia leve e evoluir para leucemia aguda. “Fazemos o diagnóstico por meio de um exame de hemograma do mielograma (bolsão do osso), mas só fechamos após os exames de acompanhamento médico e descartada a hipótese de anemia”, explica o hematooncologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz e Sírio Libanês, Celso Massumoto.

Atualmente existem novas drogas aprovadas pelo Food and Drug Administration (FDA), que objetivam a melhora dos sintomas e a qualidade de vida, porém o desafio dos médicos é definir qual será a droga ideal para cada paciente. “Acredito que no futuro o tratamento deva ser realizado por meio de uma ou mais drogas. Drogas orais também são promissoras devido à comodidade do paciente, qualidade de vida e provavelmente maior sobrevida global”, diz Massumoto.

No Brasil, ainda não há estatísticas sobre a doença. Já os dados dos Estados Unidos revelam a existência de 10 a 20 mil casos por ano. Em relação à idade, a incidência é de 3,1 casos para 100 mil habitantes até 80 anos, e de 16 casos para 100 mil habitantes após os 80.

Lilian Poleti

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Frase do dia
"Dilma é uma figura de grande valor. Decente, competente, honesta. Lula escolheu a melhor."

Ciro Gomes em entrevista, nesta madrugada, à Rede TV

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Zeca Frosino o Rei do Forró - Por Dalinha Catunda / Rio de Janeiro



Em 9 de março do ano de 1926, nascia no lugarejo chamado Abílio Martins, interior de Ipueiras, aquele que pode ser chamado, por direito, de nosso rei do forró.José Batista dos Santos, conhecido popularmente como "Zeca Frosino", hoje na cultura cearense é sinônimo de tradição.

Sendo, portanto, parte importante do patrimônio histórico de Ipueiras.Filho de Eufrasino Batista dos Santos e Silvina Maria da Conceição, casado com Dona Maria Cordeiro dos Santos (serrana de fibra), de cuja união nasceram onze filhos, companheira de garra, que sempre acompanhou o marido, ajudando-o nos momentos difíceis, e incentivando-o nas horas dos sonhos.

Há mais de cinquenta anos, com muito sacrifício, porém com muita coragem, teve ele a singela idéia de organizar um forró para animar sua gente. A partir daí, chovendo ou fazendo sol, em todo primeiro sábado de lua cheia, no mês julho, ele faz Ipueiras dançar em ritmo de forró.A sabedoria dos simples deu a ele o poder de reunir numa mesma festa o povo da cidade e as gentes do interior numa perfeita confraternização.

Foi pautado na amizade, na honestidade, e acima de tudo no respeito, que "Zeca Frosino" conquistou uma legião de admiradores e seguidores.Assim, este ipueirense carismático, de alma festiva, digno de nosso respeito e admiração, lenda viva de Ipueiras, deixará em nossa história seu nome e a certeza de que passará de pai para filho a responsabilidade de levar adiante tão importante missão.

Dalinha Catunda é escritora e natural de Ipueiras, Ceará
Morre a figura mais popular de Ipueiras - Por Carlos Moreira / Ipueiras



Morre aos 84 anos a lenda viva de Ipueiras, Zeca Frosino.

Ipueiras amanheceu hoje de luto, morreu na Santa Casa de Misericórdia de Sobral, Zeca Frozino. Deixa um legado para os mais novos, querido pelos amigos e amado pela família, deixa filho(a)s, mulher e muita saudade.

Por mais de ciquenta anos promoveu o "Forró do Zeca Frozino", conhecido em toda região, o tradicional forró sempre era realizado nas noites de "lua cheia" no mês de Julho.


Segue abaixo uma homenagem da poetisa Dalinha Catunda a Zeca Frozino



Proseando Com Zeca Frosino

Nasci no Curupati,
No arroz eu me criei.
Um ranchinho na Floresta,
Pra morar eu levantei.
E meu primeiro forró
Foi nele que realizei.

Era lua e lamparina,
Minha iluminação.
Os recurço era pouco,
Mas sobrava animação.
Foi assim que virei lenda,
Cultura e tradição.

Um sanfoneiro dos bons,
Sempre comanda a folia.
No meu forró de matuto,
O que não falta é alegria.
Começa na boca da noite,
Termina ao raiar do Dia.

É hoje no Corte Branco,
Minha quadra, meu terreirão.
Onde reúno os amigos
Com grande satisfação,
Pra prestigiar esse velho,
que prestigia o sertão.

Meu nome é “Zeca frosino”,
Você já sabe de cor.
Também sabe que não vivo,
Sem folia sem forró.
Cachaça, forró e família
Não vejo nada melhor.

Carlos Moreira
Frase do dia
"Creio que o presidente, pelas declarações que deu no Dia do Diplomata, fez do Itamaraty um palanque eleitoral. Aproveitou para partidarizar a política externa, o que me parece um equívoco porque a política externa deve ter elementos de continuidade e sempre foi uma política de Estado."

Celso Lafer, ex-ministro das Relações Exteriores, rebatendo críticas de Lula ao governo FHC

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Vivaleitura 2010 abre temporada para inscrições - Por Vanessa Costa / S. Paulo


A EDIÇÃO 2010 DO PRÊMIO VIVALEITURA JÁ ESTÁ RECEBENDO INSCRIÇÕES DE PROJETOS VINDOS DO BRASIL TODO.

O VIVALEITUA É O MAIOR PRÊMIO INDIVIDUAL DO BRASIL QUE TEM COMO OBJETIVO ESTIMULAR, FOMENTAR E RECONHECER TRABALHOS QUE INCENTIVAM A LEITURA E AMPLIAM O ACESSO AOS LIVROS NO PAÍS. O PRÊMIO É UMA INICIATIVA DA ORGANIZAÇÃO DOS ESTADOS IBERO AMERICANOS PARA A EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E CULTURA (OEI), DOS MINISTÉRIOS DA CULTURA E EDUCAÇÃO, E TEM O PATROCÍNIO E EXECUÇÃO DA FUNDAÇÃO SANTILLANA.

ESTA É A QUINTA EDIÇÃO ANUAL DO PRÊMIO.

AO LONGO DAS EDIÇÕES PASSADAS, O VIVALEITURA JÁ CONSEGUIU REUNIR MAIS DE 8 MIL PROJETOS INSCRITOS PROVENIENTES DE TODAS AS REGIÕES DO PAÍS, SENDO QUE DESTES 75 FORAM CLASSIFICADOS COMO FINALISTAS E 12, PREMIADOS.

OS TRABALHOS PODEM SER INSCRITOS EM TRÊS CATEGORIAS DIFERENTES - (1) BIBLIOTECAS PÚBLICAS E PRIVADAS (2) ESCOLAS PÚBLICAS E PRIVADAS E (3) SOCIEDADE: EMPRESAS, ONGS, PESSOAS FÍSICAS, UNIVERSIDADES E INSTITUIÇÕES SOCIAIS.

EM CADA CATEGORIA, OS VENCEDORES, QUE DEVERÃO SER REVELADOS EM NOVEMBRO, RECEBERÃO UM PRÊMIO DE R$ 30 MIL.

AS INSCRIÇÕES PODEM SER FEITAS ATÉ O DIA 2 DE JULHO POR MEIO DO SITE
http://www.premiovivaleitura.org.br/, OU POR CARTA REGISTRADA, NO ENDEREÇO CAIXA POSTAL 71037-7 - CEP 03410-970 - SÃO PAULO - SP)

MAIS INFORMAÇÕES PODEM SER OBTIDAS PELO TELEFONE 0800-7700987 COM LIGAÇÃO GRATUITA.

Vanessa Costa

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Foto do dia
BRASÍLIA 50 ANOS

Construção da catedral de Brasília, 1959 - Foto: El País



Catedral de Brasília - Foto: Tom Rabelo

Frase do dia
"Você acredita que haja melhor escola e preparação do que ter sido a coordenadora de todos os programas de governo do presidente Lula durante os últimos cinco anos?"

Dilma Rousseff, respondendo às dúvidas sobre sua falta de experiência para ser presidente da República

terça-feira, 20 de abril de 2010

Fortaleza, minha metrópole de luz - Por Bérgson Frota / Fortaleza



Terra da luz imaculada pelo sol que te banha e pela lua que te faz mais bela, pérola de todo cearense que te deixou, mas sempre regressa, tu és Fortaleza, neste teu aniversário a mais bela cidade do mundo, pois o sentimento brota do coração e como eu cearense negar que sejas tu e não outra a mais bela cidade do mundo ?

À noite tu nos lembra o céu sem lua.

Todo iluminado por estrelas, teus edifícios e torres parecem árvores natalinas a piscar permanentes.

Tuas praias brilhantes e naturais colhem a espuma dos vagalhões como um beijo de gratidão do mar, do verde mar que tanto te ama e encanta quem o ver.

No teu aniversário terra de Alencar e de Rachel, longe nas brumas do imaginário os tabajaras cantam teu nascimento na melodia tribal como a dizer ser teu berço

Como não te amar com tuas tão belas e naturais paisagens.

Recebe dos cearenses a homenagem do teu aniversário, pois o coração de todo Moacir bate em uníssono este festejo.

Parabéns Cidade Maravilhosa.

Parabéns minha bela e grandiosa Fortaleza.

Texto publicado originalmente no jornal O Povo, de Fortaleza.

Bérgson Frota, escritor, contista e cronista, é formado em Direito (UNIFOR), Filosofia-Licenciatura (UECE) e Especialista em Metodologia do Ensino Médio e Fundamental (UVA), tem colaborado com os jornais O Povo e Diário do Nordeste, desenvolvendo um trabalho por ele descrito de resgate da memória cultural e produzindo artigos de relevância atual.

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Frase do dia
"Aproveito para fazer um desafio a Sérgio Cabral. Que ele me processe pelo o que vou dizer: quero que ele prove e explique publicamente onde arranjou dinheiro para comprar sua mansão em Mangaratiba e dois apartamentos no Leblon, o metro quadrado mais caro do Rio."

Garotinho, ao se lançar candidato ao governo do Rio pelo PR

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Frase do dia
"A história acabou? Não há mais o que criticar ou discutir? Oito (anos) de Lula, quatro de Dilma, mais oito de Lula é o melhor que podemos construir pro futuro de nosso país?"

Deputado Ciro Gomes (PSB), aspirante a candidato à vaga de Lula

quinta-feira, 15 de abril de 2010

De maravilhosa a calamitosa - Por Dalinha Catunda / Rio de Janeiro


As nuvens desabaram
Inundando todo chão
A cidade maravilhosa
Virou caos e confusão
Nunca vi tanta enchente
Levando casa e gente,
E causando destruição.
.
O caos invade a cidade,
Trazendo a devastação.
A tragédia assola o Rio,
Cidade de São Sebastião.
E a cidade maravilhosa
Tornou-se calamitosa,
Quem padece é a população.
.
E triste ver a desgraça
Massacrando tanta gente.
No Sudeste tanta água
E no Nordeste diferente.
Falta chuva no Nordeste,
Água no Rio virou peste,
Devastação e enchente.
.
“Desgraça pouca é bobagem,”
Ainda temos que padecer.
Com políticos oportunistas,
Que só querem aparecer:
-“Com minha casa minha vida
“A problemática tá resolvida,”
Ouvi um maioral dizer.
.
Muitos já não precisam,
De casas para morar.
Sete palmos é o suficiente.
Para os mortos enterrar,
Chorar e abraçar família,
Isso é pura demagogia,
Mas de político é peculiar.
.
Nas manchetes dos jornais,
Ou mesmo na televisão,
Cada imagem mostrada,
É de enternecer coração.
Que Deus tenha piedade,
Do povo desta cidade,
Cidade de São Sebastião.

Dalinha Catunda é escritora e natural de Ipueiras, Ceará
Grávidas do Ceará ainda estão desprotegidas contra a gripe H1N1


Balanço aponta que 41,3% dessa população procurou os postos de vacinação desde o dia 22 de março. Uma em cada três mortes neste ano está relacionada às gestantes

O Ministério da Saúde reforça o alerta para que as gestantes do Ceará se vacinem. Até a manhã desta quarta-feira, 41,3% delas haviam se vacinado contra a gripe H1N1 no Estado. A preocupação do governo se deve ao fato de elas estarem entre osgrupos mais vulneráveis à doença. Dos índices relacionados à nova gripe neste ano, as gestantes representam uma em cada três mortes da nova gripe. No Ceará, mais de 1,68 milhão de pessoas foram vacinadas. Até o dia 23, os postos receberão as gestantes, doentes crônicos, crianças de 6 meses a menos de 2 anos e jovens de 20 a 29 anos.

“O comparecimento das gestantes ao posto de vacinação é fundamental para a proteção dessa população. A doença tem demonstrado grande agressividade sobre as grávidas. A melhor forma de prevenção é tomar a vacina”, afirma o ministro da Saúde, José Gomes Temporão. Ele ressalta que a vacina é segura, afinal mais de 300 milhões de pessoas receberam a imunização em todo o mundo sem relatos de efeitos adversos graves. Só no Brasil, mais de 22 milhões de doses foram aplicadas sem registro confirmado de reações fortes à vacina.

Além das gestantes, o outro grupo que precisa de reforço é o de doentes crônicos. Do total estimado para o Ceará, 34% procuraram os postos de vacinação.

O grupo que mais se vacinou no Estado foi o de profissionais de saúde envolvidos no atendimento a pacientes com sintomas de gripe: 100% do público-alvo, demonstrando a confiança na campanha de vacinação. As crianças também apresentam índices melhores (72,8%). A etapa de jovens de 20 a 29 anos teve início há apenas uma semana e obteve, até o momento, o índice de 20,3% dessa população vacinada.

Preocupa a possibilidade de muitas pessoas deixarem para a última hora. Isso porque a vacina garante imunidade somente 15 dias depois de aplicada, e deve ser tomada antes do período de maior transmissão da doença, que se inicia em maio. “A estratégia de vacinação tem o objetivo de dar proteção antes do período em que aumenta o número de casos de doenças respiratórias. Ou seja, para ter certeza de que não serão atingidas pela gripe H1N1, as grávidas devem procurar agora os postos de vacinação”, disse o ministro.

Em 2010, foram registrados 361 casos graves da gripe H1N1, até o dia 3 de abril. Desse total, um em cada cinco casos está relacionado às gestantes. Em relação às mortes, um total de 50, as mulheres correspondem a 76% do total e as gestantes 32%. No ano passado, os 2.051 óbitos registrados, 1.539 (75%) ocorreram em pessoas com doenças crônicas. Entre as grávidas (189 morreram, ao todo), a mortalidade foi 50% maior que na população geral. Adultos de 20 a 29 anos concentraram 20% dos óbitos (416, no total). E as crianças menores de dois anos tiveram a maior taxa de incidência da doença no ano passado (154 casos por 100 mil habitantes).

Ao todo, o Ministério da Saúde adquiriu 113 milhões de doses para vacinar 91 milhões de pessoas contra gripe H1N1. A meta é imunizar pelo menos 80% desse público-alvo. Os grupos prioritários são aqueles que têm o maior risco de desenvolver formas graves da doença e de morrer. Eles foram definidos pelo Ministério da Saúde em consenso com sociedades científicas, entidades de classe e representantes de estados e municípios. Serão vacinados trabalhadores de serviços de saúde, indígenas, gestantes, pessoas com doenças crônicas, crianças de seis meses a menos de dois anos e adultos de 20 a 29 anos e de 30 a 39 anos.

Agência saúde

Frase do dia
"(...) eu quero dizer que o Bolsa Família, na minha perspectiva, deve ser reforçado. Nós devemos, tendo a família como centro, complementar o Bolsa Família dando oportunidade de emprego e outros tipos de cuidado, inclusive na área da saúde."

José Serra

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Número de pessoas vacinadas contra H1N1 passa de 20 milhões



PREVENÇÃO E PROTEÇÃO

Número de pessoas vacinadas contra H1N1 passa de 20 milhões

Registro saltou 57,4% nos últimos três dias. Cobertura de grávidas e doentes crônicos cresceu, mas ainda preocupa. Eles têm até 23 de abril para se imunizarem, juntamente com adultos de 20 a 29 anos e crianças de 6 meses a menores de 2 anos.

A vacinação contra a gripe H1N1 saltou 57,4% desde sexta-feira (9), e atingiu a marca de 20 milhões de pessoas imunizadas, segundo balanço parcial do Ministério da Saúde. O número passou de 12.971.885 para 20.416.331, entre as 9h de sexta-feira e as 18h desta segunda-feira (12). Com 75,3% de cobertura, a imunização de crianças de 6 meses a menores de 2 anos está próxima de atingir a meta de 80%, enquanto que a de profissionais de saúde superou os 97%. O Ministério da Saúde alerta, no entanto, que a cobertura de vacinação de grávidas (48,7%) e doentes crônicos com menos de 60 anos (44,2%) ainda está abaixo do esperado.

Os números revelam o impacto positivo do “Dia Nacional de Vacinação contra a Gripe H1N1”, promovido pelo Ministério da Saúde, estados e municípios, no último sábado (10/4). Os 36 mil postos de vacinação em todo o país abriram para atender às pessoas que ainda não tinham se imunizado. “Foi uma iniciativa extremamente positiva. Em dois dias, o número de pessoas vacinadas no sistema de informações cresceu em mais de 7 milhões. Isso mostra o comprometimento e o esforço de toda a sociedade brasileira, incluindo profissionais de saúde e pessoas que devem se vacinar”, avalia o ministro José Gomes Temporão.

As 20,4 milhões de pessoas vacinadas, até o momento, representam uma cobertura de 34,8% em relação ao público-alvo das três primeiras etapas (58.695.070 pessoas). A vacinação de adultos de 20 a 29 anos tem, até o momento, cobertura de 20,2%. É importante ressaltar que se trata do maior público de todas as etapas (35,1 milhões de pessoas) e que a vacinação desse grupo segue até 23 de abril. Neste mesmo dia, termina a imunização de grávidas, doentes crônicos e crianças.

É preciso reforçar a importância da vacinação desses quatro grupos, que concentraram 90% dos casos de doença respiratória grave e mortes em 2009. Dos 2.051 óbitos registrados no ano passado, 1.539 (75%) ocorreram em pessoas com doenças crônicas. Entre as grávidas (189 morreram, ao todo), a mortalidade foi 50% maior que na população geral. Adultos de 20 a 29 anos concentraram 20% dos óbitos (416, no total). E as crianças menores de dois anos tiveram a maior taxa de incidência da doença no ano passado (154 casos por 100 mil habitantes).

Em 2010, até o dia 3 de abril, foram registrados 361 casos de pessoas internadas com doença respiratória grave em todo o país. Mais da metade (56,2%) ocorreu na região Norte (203 casos). No mesmo período, houve 50 óbitos, nos estados do Pará (25), Paraná (8), Amazonas (6), Amapá (2), Maranhão (2), Minas Gerais (2), Goiás (1), Piauí (1), Ceará (1), Paraíba (1) e São Paulo (1). Entre as mortes ocorridas este ano, 16 foram em grávidas.

AVALIAÇÕES REGIONAIS – Paraná, Maranhão, Goiás, Distrito Federal, Minas Gerais e Santa Catarina são as unidades da federação que, até as 18h desta segunda-feira, tinham as mais altas coberturas vacinais, considerando os públicos-alvo das três primeiras etapas. Em relação à cobertura vacinal das crianças de 6 meses a menores de 2 anos, nove estados já tinham atingido a meta de imunizar pelo menos 80% desse grupo: Goiás, Maranhão, Paraná, Minas Gerais, Santa Catarina, Sergipe, Distrito Federal, Espírito Santo e São Paulo.

“A vacina é absolutamente segura e eficaz. Os efeitos adversos, que são raros, se manifestam de forma leve, como dor no local da aplicação, dor de cabeça, febre e cansaço. Para as pessoas que fazem parte do grupo prioritário, o perigo não é tomar a vacina, mas correr o risco de pegar a gripe”, alerta o ministro José Gomes Temporão. Ele lembrou que a segurança da vacina é evidenciada pelos 97,4% de cobertura entre os trabalhadores dos serviços de saúde – um dos públicos da primeira etapa, juntamente com os indígenas, que têm cobertura de 61,9%, até o momento.

Temporão também alertou para a circulação de boatos sobre a segurança da vacina, principalmente na internet. “Informações desse tipo são um disparate e revelam profunda ignorância. A população deve confiar no seu médico e nas autoridades de saúde, não em qualquer texto, escrito não se sabe por quem, que circula na rede mundial de computadores”.

ESTRATÉGIA DE CONSENSO– A estratégia de vacinação contra a influenza pandêmica foi dividida em cinco etapas, para públicos específicos (veja cronograma abaixo). Os grupos prioritários são aqueles que têm o maior risco de desenvolver formas graves da doença e de morrer. Eles foram definidos pelo Ministério da Saúde em consenso com sociedades científicas, entidades de classe e representantes de estados e municípios.

Os critérios para definição dos grupos prioritários levaram em conta as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS), os dados epidemiológicos observados na primeira onda da pandemia no Brasil e a experiência dos países do Hemisfério Norte.

A OMS recomendou a imunização de quatro grupos: trabalhadores de serviços de saúde, indígenas, gestantes e pessoas com doenças crônicas. O governo brasileiro ampliou a vacinação para outros três grupos: crianças de seis meses a menos de dois anos e adultos de 20 a 29 anos e de 30 a 39 anos.

Ao todo o Ministério da Saúde adquiriu 113 milhões de doses para vacinar 91 milhões de pessoas contra gripe pandêmica. A meta é imunizar pelo menos 80% desse público-alvo.

Agência Saúde

terça-feira, 13 de abril de 2010

Pesquisa aponta alto potencial de compra pela internet entre a 3ª idade - Por Lilian Ambar / S. Paulo



Estudo da GfK realizado na Alemanha mostra que 40% das pessoas com idades entre 50 e 69 anos fizeram compras online nos últimos 12 meses.

No ano passado, mais de 34 milhões de alemães com idades entre 14 e 69 anos compraram bens e serviços pela internet. Os resultados são de uma pesquisa realizada pela GfK e representam 2,2 milhões de clientes a mais em relação ao ano passado.

Esse valor inclui 15,2 milhões de consumidores que compraram serviços de viagem online e 7,9 milhões que compraram produtos de uso pessoal pela internet. Com 14,9 milhões de compradores online, os livros são os produtos mais populares, seguidos das roupas, com 14,7 milhões de compradores.

A pesquisa aponta também o alto potencial de compra da 3ª Idade. Cerca de 40% dos entrevistados com idade entre 50 e 69 anos fizeram compras online nos últimos 12 meses. A internet foi usada por este segmento para alugar carros, comprar computadores, medicamentos e suplementos alimentares.

No Brasil, de acordo com um estudo realizado pela GfK, 88% dos idosos possuem renda própria e representam 17% do poder de compra do país. Outro levantamento, feito pelo IBGE, aponta que em 2020 as pessoas com idade acima de 50 anos representarão 18 milhões de consumidores no País.

Para Paulo Carramenha, diretor presidente da GfK Brasil, a maior expectativa de vida da população é uma das cinco tendências mundiais que influenciam o consumo. "No Brasil esta tendência, que já começa a ser observada com atenção pelas indústrias do turismo, da saúde e da beleza, entre outras, também deverá pautar a indústria da tecnologia e do comércio eletrônico. Mas o fundamental é atentar para as especificidades desse público que ao envelhecer adota novos hábitos, seja por necessidade física, seja por transformação de interesses", afirma Carramenha.

Realizada em janeiro e fevereiro de 2010 com 1.183 alemães, a pesquisa da GfK analisou a internet e seu impacto nos hábitos de compra em 29 itens de bens e consumo.

Sobre a GfK

Criado há mais de 75 anos na Alemanha, o Grupo GfK é a 4ª maior empresa de pesquisa de mercado do mundo. Com 115 subsidiárias, está presente em mais de 100 países nos cinco continentes, gerando mais de 10 mil empregos diretos. No Brasil é a 4ª maior empresa de pesquisa, com 23 anos de atuação no mercado.

Lilian Ambar
Frase do dia
"Esta eleição tem a ver com o futuro. Porque o Lula não é candidato, nem o Fernando Henrique é candidato, nem o Collor e o Sarney, que apoiam a Dilma, são candidatos. Às vezes eu fico intrigado por que ex-presidentes que são aliados da Dilma são bem tratados, não têm problema nenhum. Mas quando não são aliados, são muito criticados pelo PT e tudo o mais."

José Serra

segunda-feira, 12 de abril de 2010

FAzer bonito - Por Marcondes Rosa de Sousa / Fortaleza



A propósito da discussão do "desencontro, entre nós, da educação e da cultura", procurei o artigo abaixo "Fazer bonito". Pensei tê-lo perdido. Encontrei-o, na Web, publicado, no Jornal Folha Popular, de Palmas, em Tocantins, na data de hoje!...( 10:27 @ 09/03/2006).

''Perda de tempo'' - cheguei a pensar, lhes confesso! Jamais imaginei que história tão trivial me levaria a reflexão tão insistente sobre a formação dos ''profissionais, cidadãos e pessoas'', em nossas escolas. .

Simples a tarefa, rezava o convite: compor júri, naquela final de semana (a do folclore), num concurso aberto a alunos da escola pública e particular, onde equipes deveriam construir mais arraias a serem postas no ar. Organizavam e dirigiam o evento, pessoas ligadas às áreas de ''educação'' e de ''arte e cultura''. .

Ao longo da feitura das pipas pelas equipes, sentia eu a presença de ''duas culturas'' em oposição. A dos professores exigia aos alunos ''atenção'', ''silêncio'', ''seriedade'' e ''trabalho''.

A dos artistas, em contraponto, sugeria às equipes ''desconcentração'', ''cochicho entre os do grupo'', ''aprender com os outros", ''sorrisos'', ''brincadeira'', enfim. Hora da merenda. Silêncio, fila, cada um a receber seu quinhão - era a palavra-de-ordem de professora. Ao longo da fila, o sussurro dos artistas: sem atropelos, cada um, na mesa, pegando seu lanche. Final da manhã. Sob dourado sol a pino, os papagaios projetam-se rumo ao azul dos céus. Curioso, lá foram ficando, mais numerosos, os produzidos em clima lúdico e cooperativo, onde sensibilidade estética e intuição se deram as mãos.

Na hora dos prêmios, falei da moral desta história: técnica e saber vão melhor tendo por pilastras a solidariedade e o senso estético. Dias depois, em reunião nacional, falava eu dessa lição na construção das ''competências básicas'' hoje, em nossa educação. Aí, dei pela voz em eco de minha mãe, analfabeta quase. ''Serviço porco'', jamais! A ordem era ''fazer bonito''. Um ''bonito'' longe do ''fazer feio'', a irmanar o belo e o bem (o estético e o ético) na construção do trabalho e da vida, como em nosso imaginário popular.

Marcondes Rosa de Sousa é professor da Universidade Federal do Ceará (UFC) e da Universidade Estadual do Ceará (UECE).

sábado, 10 de abril de 2010

Frase do dia
"No meu governo, quero ter o presidente Lula muito perto de mim, me dando conselho. Eu tenho orgulho de ter trabalhado junto dele todos os dias nesses últimos sete anos e meio. Quero que ele tenha essa presença bendita no meu governo, essa presença bendita de conselheiro."

Dilma Rousseff

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Uma Páscoa mais espiritualizada - Por Bérgson Frota / Fortaleza


A Páscoa é um período de grande festejo para os cristãos. Durante uma semana rememoramos a vida, morte e ressurreição de Cristo.

Como toda comemoração, existe junto hoje uma comercialização muito grande da data, fato que desvirtua um pouco o espírito da mesma, e o lucro muito prepondera sobre a religião.
Façamos nós uma Páscoa mais espiritualizada, uma Páscoa mais mística, relembrando os ensinamentos de Cristo e os praticando.

O Salvador que veio para nos libertar deixou-nos seu exemplo de vida, deixou ensinamentos e esperança, normas santas e aplicáveis, cabe a nós pôr em prática estas dádivas espirituais e tornar nosso mundo melhor.

Amor e caridade, fé, perdão e esperança.

Daquela cruz há dois mil anos atrás, em suas últimas palavras ele disse : Pai perdoai-lhes pois não sabem o que fazem.

Lembremos e saudemos com o coração esta frase que ecoa forte até hoje, e conscientes tornemo-nos menos comercial e mais espiritual esta data que acima de tudo nos atesta uma futura redenção e ressurreição para toda humanidade.

Que a morada do Pai esteja aberta a todos, e que ricos e pobres, pecadores ou não, possam um dia herdá-la.

Jesus ressuscitou.

Uma feliz Páscoa para todos.

Texto publicado originalmente no jornal O Povo, de Fortaleza.

Bérgson Frota, escritor, contista e cronista, é formado em Direito (UNIFOR), Filosofia-Licenciatura (UECE) e Especialista em Metodologia do Ensino Médio e Fundamental (UVA), tem colaborado com os jornais O Povo e Diário do Nordeste, desenvolvendo um trabalho por ele descrito de resgate da memória cultural e produzindo artigos de relevância atual.
Sábado é o “dia D” de vacinação contra a nova gripe



O Ministério da Saúde, em parceria com Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde, promove neste sábado, 10 de abril, o “Dia Nacional de Vacinação contra a Gripe H1N1”. Todos os 36 mil postos de vacinação do país deverão estar abertos, em horários a serem informados pelos estados e municípios, que também vão definir a necessidade de postos volantes para aplicação das doses. Devem ser vacinados doentes crônicos com menos de 60 anos, grávidas em qualquer período de gestação, crianças de seis meses a menores de dois anos e adultos de 20 a 29 anos.

O objetivo do “Dia D” é reforçar a importância da vacinação para os grupos prioritários e dar uma nova oportunidade às pessoas que ainda não se imunizaram. “É uma iniciativa importante, pois as pessoas costumam ter mais tempo livre no fim de semana. Estamos seguros de que todos os brasileiros, mesmo os que não vão tomar a vacina, estarão empenhados nesse grande esforço para proteger a saúde das pessoas mais vulneráveis à nova gripe”, diz o ministro José Gomes Temporão.Nesta sexta-feira (9), o ministro dará entrevista coletiva para apresentar um balanço parcial da vacinação e novos números da gripe H1N1 em todo o país. Será às 14h30, no auditório Emílio Ribas, na sede do Ministério, em Brasília.

PRORROGAÇÃO – A vacinação de grávidas, crianças e doentes crônicos, que tinha previsão para terminar dia 22 de março, foi prorrogada até 23 de abril. O público-alvo, considerando esses três públicos, é de 20,4 milhões de pessoas. Até 23 de abril, todas as grávidas, independentemente do período de gestação, que ainda não se vacinaram, devem tomar a vacina. As mulheres que engravidarem após o fim da terceira etapa poderão se imunizar nas fases seguintes. Não é necessário apresentar atestado médico para comprovar a gravidez.

Na vacinação das crianças, pais e responsáveis devem levar aos locais de imunização apenas os bebês de seis meses a menores de dois anos. É muito importante levar o cartão de vacinação das crianças. Elas receberão uma dose dividida em duas vezes. A segunda meia dose será administrada 30 dias após a primeira. Se a criança completar seis meses depois de 23 de abril, também poderá ser vacinada nas etapas seguintes.

Em relação aos doentes crônicos, devem procurar os postos de vacinação pessoas com menos de 60 anos que têm problemas crônicos de coração, pulmão, rins, fígado, diabéticos, pacientes em tratamento para aids e câncer ou os chamados grandes obesos (veja lista abaixo). Aqueles que serão vacinados devem levar aos postos um documento de identidade com foto e a carteira de vacinação do adulto, se possuírem. Também não é preciso levar atestado médico comprovando a doença crônica.

“DIA D” DOS IDOSOS – Os idosos com doenças crônicas devem aguardar, pois terão um “Dia D” exclusivo para eles. Será em 24 de abril, quando começa a Campanha Nacional de Vacinação do Idoso contra a gripe comum, que vai até 7 de maio. Nesse período, todas as pessoas com mais de 60 anos serão imunizadas contra a gripe comum, como acontece todos os anos. Se tiverem doenças crônicas, serão vacinadas também contra a gripe pandêmica. Assim, o idoso só precisará ir ao local de vacinação uma única vez.

PÚBLICO ADULTO – A meta do Ministério da Saúde é imunizar pelo menos 80% do público-alvo de 20 a 29 anos, formado por 35,1 milhões de pessoas. Essa faixa etária foi a que teve o maior número proporcional de casos de doença respiratória grave causada pelo novo vírus no ano passado: 23% do total de 461000 casos, em todo o país. O grupo também concentrou 20% das mortes ocorridas em 2009 (ao todo, foram 2.051).

A quinta e última etapa de vacinação, para adultos de 30 a 39 anos, será de 10 a 21 de maio. Esta faixa etária concentrou 15% dos casos de doença respiratória grave e 22% dos óbitos causados pelo vírus H1N1 em 2009.

ETAPAS DE VACINAÇÃO – A estratégia de vacinação contra a influenza pandêmica foi dividida em cinco etapas, para públicos específicos (veja cronograma abaixo). Os grupos prioritários são aqueles que têm o maior risco de desenvolver formas graves da doença e de morrer. Eles foram definidos pelo Ministério da Saúde em consenso com sociedades científicas, entidades de classe e representantes de estados e municípios.

Os critérios para definição dos grupos prioritários levaram em conta as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS), os dados epidemiológicos observados na primeira onda da pandemia no Brasil e a experiência dos países do Hemisfério Norte.A OMS recomendou a imunização de quatro grupos: trabalhadores de serviços de saúde, indígenas, gestantes e pessoas com doenças crônicas. O governo brasileiro ampliou a vacinação para outros três grupos: crianças de seis meses a menos de dois anos e adultos de 20 a 29 anos e de 30 a 39 anos.Ao todo o Ministério da Saúde adquiriu 113 milhões de doses para vacinar 91 milhões de pessoas contra gripe pandêmica. A meta é imunizar pelo menos 80% desse público-alvo.

Agência Saúde

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Receita de Malassada - Por Dalinha Catunda / Rio de Janeiro


Sabores da minha terra,
Não consigo esquecer.
Sobretudo as iguarias
Que eu adorava comer.
A Saborosa malassada
Deixava-me encantada,
Por isso aprendi a fazer.
.
A malassada é da família,
Da omelete e do pastelão
Sempre muito apreciada,
Pelo povo do meu sertão.
É da culinária nordestina
Delícia que me fascina
Por ter sabor de tradição.
.
Três ovos batidos em neve,
É a base da malassada.
Duas colheres de farinha,
De mandioca peneirada.
Cebola, cebolinha e coentro
Você pica bem e joga dentro
De sal apenas uma pitada.
.
Agora está tudo no ponto,
Esquente numa frigideira,
Uma porção de óleo generosa,
Para não grudar nas beiras.
E ponha a massa para fritar
Vire para o outro lado dourar.
E está pronta a brincadeira.
.
Esta é a malassada básica,
Que eu comia no meu Ceará.
Mas poderá ser até diferente,
Dependendo de onde se está.
Entrando outros ingredientes,
Conforme o gosto das gentes,
E da cultura de cada lugar.

Dalinha Catunda é escritora e natural de Ipueiras, Ceará
Frase do dia
"Como houve o 'Lulécio', (é possível que haja) a 'Dilmasia'. Eu acho até melhor a inversão, né? 'Dilmasia' é meio esquisito. Anastadilma, qualquer coisa assim."

Dilma Rousseff, estimulando o voto nela e em Antonio Anastasia, candidato do PSDB à sucessão em Minas do ex-governador Aécio Neves

quarta-feira, 7 de abril de 2010

site gratuito busca números telefônicos sem burocracia - Por Cristina Thomaz / S.Paulo


Esqueça todos os sites que você usa para procurar telefones comerciais na Internet. A tarefa demorada, trabalhosa e complicada está muito mais fácil: agora a rede mundial de computadores conta com nova ferramenta de busca de números telefônicos, o site QNúmero (www.qnumero.com.br), capaz de localizar telefones comerciais de qualquer parte do país. Basta saber o nome do estabelecimento – mesmo fantasia –, ou mesmo o ramo de negócios, e a cidade ou bairro onde se situa.

Em matéria de busca por números de telefone, o grande diferencial deste site é a simplicidade. Não é preciso saber o nome “oficial” da empresa, como normalmente exigem as listas telefônicas tradicionais, mesmo as virtuais. De maneira inédita, é possível encontrar em poucos segundos a informação no site, mesmo que se conheça apenas o nome fantasia do estabelecimento.

Trata-se, portanto, de uma busca informal, tão simples e rápida que também pode ser feita em trânsito, a partir de celulares e i-phones que tenham acesso à rede de computadores. Para esses casos, se utiliza o QNúmero Mobile (
mobile.qnumero.com.br), ainda em testes. A pesquisa no site QNúmero é totalmente gratuita e, com informações sempre atualizadas, localiza o telefone com muito sucesso. “A exatidão se deve à inédita e exclusiva tecnologia utilizada”, conta o empresário Guilherme Soter, responsável pela novidade. “É, sem dúvida, imbatível para se achar números de restaurantes, bares e hotéis, por exemplo”, comenta o empresário. Soter criou o site QNúmero a partir de uma necessidade pessoal: “Eu sentia dificuldade em encontrar os números corretos de telefones por buscas informais e vi que outras pessoas passavam pelo mesmo problema. Foi então que me ocorreu a idéia de desenvolver o projeto”, explica.

Essa exatidão pode ser comprovada em qualquer tipo de pesquisa, nos campos ‘Buscar telefone de onde? Ou do quê?’ e ‘Em que localidade?’. Mesmo buscas com erros de digitação no nome ou ramo da empresa e sua cidade ou bairro poderão ser bem-sucedidas. O resultado é infalível: surgirão sempre três números de telefone, por ordem de probabilidade. E, em geral, o primeiro já é o correto. Podem, eventualmente, ocorrer erros em casos de empresas com nomes compostos por palavras muito comuns ou de sentido dúbio, mas são raros os casos. Se o telefone que você esta buscando estiver divulgado em algum lugar da Internet, muito provavelmente o QNúmero vai achá-lo.

Cristina Thomaz

terça-feira, 6 de abril de 2010

Vamos discutir a sério? - Por Marcondes Rosa de Sousa / Fortaleza
Em "Espelho, espelho meu", aqui lançado, dei vazão a papo de professores da Universidade Federal do Ceará (UFC) a reclamarem desta, presença maior em nossa sociedade. Logo após, artigo do vice-reitor Henry Campos mostrava a "UFC presente na construção do CE". Ao comentar meu artigo, a presidente do CIC, Roseana Medeiros, propõe que governo, academia e iniciativa privada unam-se com vistas ao bem-estar social. E de Paulo Elpídio recebo a provocação: "Vamos discutir a sério essa questão?"

Assessor de planejamento de Paulo Elpídio, abro o Volume 3 da Coleção "Documentos Universitários", por mim coordenada: "Seminário Geral - uma tentativa de administração solidária", estratégia que resgatava, dos tempos de Martins Filho, o diálogo entre o dentro e o fora da instituição. E, lá, a proposta da abertura de "canais em dupla mão com os setores sociais", o que redundaria na criação da Rádio Universitária (FM), com tal vocação.

Abro e folheio, em suas 301 páginas, o livro "Para onde vai a universidade brasileira?", das Edições UFC, apresentado pelo então reitor Paulo Elpídio. Nele, figuro a compor a comissão organizadora. E, no final, ao lado de Sofia Lerche, com leitura sobre o evento, a ressaltar a necessidade de a vida acadêmica trilhar duas vertentes no jogo dialético: entre a corporação acadêmica e seu entorno (a vida social). Ou em meus termos: o olhar em frente (dimensão prospectiva) e dos valores a se perseguir (dimensão teleológica).

Razões a Roseana Medeiros. Que governo, academia e iniciativa privada se voltem para o bem-estar social. Vamos discutir a sério essa questão? Sim, é todo o nosso entorno social hoje a exigir tal postura de nossas "indústrias sem chaminés" - isto é, toda a rede de instituições (privadas e públicas) de nosso ensino superior.

Texto publicado originalmente no jornal O Povo, de Fortaleza.

Marcondes Rosa de Sousa é professor da Universidade Federal do Ceará (UFC) e da Universidade Estadual do Ceará (UECE).

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Frase do dia
"No exercício da presidência da República eu não terei candidato. Todos serão meus candidatos. Mas quando acabar meu expediente, eu terei candidato. Que será o do meu partido."

Lula

sábado, 3 de abril de 2010

Detecção precoce do câncer de mama aumenta a possibilidade de cura da paciente - Por Cibele Pereira / S. Paulo



No dia 8 de abril acontece o Dia Mundial de Luta Contra o Câncer, uma oportunidade para relembrar a importância da prevenção da doença a partir da realização de exames regulares. Segundo tipo de câncer mais frequente em mulheres no mundo, o câncer de mama representa aproximadamente 22% dos casos novos registrados a cada ano. No Brasil, de acordo com estimativas do INCA (Instituto Nacional do Câncer), foram diagnosticados 49 mil novos casos de câncer de mamar nos últimos dois anos.

O câncer de mama é uma doença tratável, especialmente quando diagnosticado precocemente. No Brasil, a maior incidência deste tumor ocorre por volta dos 59 anos, o que não descarta casos em pacientes jovens (com menos de 30 anos) e em idosas (com mais de 80 anos). O câncer de mama se inicia como um nódulo geralmente indolor, que cresce com o tempo e pode se espalhar para áreas próximas à mama, como músculos e pele. Com a realização de exames de rastreamento, como o autoexame mensal e o acompanhamento médico anual, aumenta-se a chance do tumor ser detectado precocemente, o que amplia a possibilidade de cura e permite o uso de tratamentos menos agressivos. “Quando detectado em sua fase inicial, o tratamento para câncer de mama tende a ter mais êxito, desta forma é essencial que a mulher faça um acompanhamento médico regular, especialmente se notar a presença de um nódulo”, afirma o Dr. Carlos Barrios, professor da Faculdade de Medicina da PUC-RS e diretor do Instituto do Câncer do Hospital Mãe de Deus, de Porto Alegre.

Opções de tratamento

Quando diagnosticado em fase inicial, o tratamento do câncer de mama consiste em uma cirurgia para a extração do tumor, sendo que a retirada de uma parte ou a totalidade da mama dependerá da extensão do câncer. Após a cirurgia, uma série de elementos do tumor e da paciente são analisados, o que pode levar à recomendação de um tratamento com radioterapia e administração de medicamentos como hormonioterapia ou quimioterapia. Cada paciente recebe a modalidade de tratamento mais indicada para o seu caso, sendo possível a combinação de terapêuticas para a cura ou estabilização da doença. “Cada caso precisa ser analisado individualmente, por isso, é importante que a paciente converse claramente com o seu médico em relação ao seu diagnóstico, perspectivas de tratamento e as chances de resposta para cada alternativa apresentada” comenta o Dr. Carlos Barrios.

Quando o câncer não está mais restrito à mama (metástase), as opções de tratamento são semelhantes às realizadas em casos iniciais, embora seja menos frequente a recomendação de uma cirurgia em um tumor que atingiu outros órgãos ou tecidos do corpo.

Cibele Pereira

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Ministério das Comunicações estabelece diretrizes para o rádio digital



Uma portaria assinada pelo ministro das Comunicações, Hélio Costa, e publicada nesta quarta-feira (31/3) no Diário Oficial da União, define as diretrizes para a adoção do padrão digital de rádio no país.

No seu artigo segundo, o texto prevê que seja utilizado o mesmo padrão para ondas médias (AM) e frequência modulada (FM). O artigo terceiro estabelece os objetivos que devem ser alcançados com a digitalização do rádio.

Entre eles, estão: permitir a implantação da tecnologia digital de forma simultânea; possibilitar o desenvolvimento de novos modelos de negócios; proporcionar transferência de tecnologia e participação de universidades e centros de pesquisa brasileiros no processo de melhoria do sistema; e incentivar a indústria; e incentivar a indústria regional e local na produção de equipamentos e serviços digitais. Para o presidente da Abert (Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão), Daniel Slaviero, "a decisão significa mais um passo dado no processo de transição tecnológica, o que permitirá às emissoras de rádio ingressar na era digital".

Slaviero destaca a importância da definição do novo padrão para um mercado robusto: "O setor envolve 4,5 mil emissoras comerciais de rádio, mais de 200 milhões de receptores, presentes em 50 milhões de domicílios", afirma.

Segundo o presidente, a definição do governo permite seguir acompanhando o desenvolvimento dos dois padrões mais conhecidos no mundo até que atendam de forma plena a necessidade das emissoras brasileiras. "A digitalização do rádio é uma necessidade tecnológica, que permitirá a evolução do setor e a convergência com novos meios e plataformas."

Frase do dia
"Creia em si, mas não duvide sempre dos outros."

Machado de Assis