segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Contas Gotas - Por Lúcio Albuquerque - Rondônia

HISTÓRIA
Dia 28 Rondônia, e um grupo de avôs, terão um motivo importante para comemorar: Afinal de contas naquele dia estará sendo completado meio século de uma epopéia, a chegada a Porto Velho da primeira
caravana de carros que circulou pela BR-29, que depois tornou-se BR-364.
Uma viagem de 60 dias de São Paulo até chegarem aqui, onde foram recebidos com festas. Mas, numa terra que não se cultua a História, é difícil imaginar que alguém considere isso. Uma lástima!

COMENTÁRIO
Outro dia comentei a questão da WikiLeaks, e citei que a culpa não pode ser atribuída ao jornalista, ou ao veículo que veiculou a notícia, porque apenas cumpriram seu papel de informar o que entenderam ser de interesse público. Aí um camarada ligou para saber por que eu não elogiei o senhor Luiz Inácio, que condenou as pressões ao site. Bom, camarada, não elogiei porque parece que o senhor Luiz Inácio opera pela lógica de que “pimenta no dos outros é refresco”. Temos um jornal O Estado de São Paulo sob censura, e o cidadão não disse nada. Seu ministro defende abertamente a censura e ele não diz nada. Então por que elogiar?

IRMÃ DULCE
O Vaticano beatificou – o que na linguagem ritualista católica representa estar a um passo da santificação – a freira Irmã Dulce, depois de comprovar por três comissões diferentes um milagre a ela atribuído. Da linha de outra santa católica, Madre Tereza de Calcutá, a vida de Irmã Dulce deveria ser motivo de estudos e melhor divulgação numa época conturbada como a que vivemos.

FÉRIAS
Olhaí pessoal do trânsito: está começando o período de férias, o que obriga autoridades a agirem preventivamente no controle do tráfego de veículos, e de pedestres. Não adianta nada chegar depois. A ação preventiva é muito melhor e rende muito mais do que mandar a perícia ao local.

PREÇO
Uma banana comprida verde cobrada a um real. Um quilo de farinha d’água a 6 reais. E ainda há quem jure que o índice inflacionário está correto, que não temos tido aumento considerável no custo de vida. São os idiotas da objetividade, como diria Nelson Rodrigues.

COTOVELO
O que tem de nego por aí com dor de cotovelo porque o FLU ganhou o Brasileirão não é normal. "Eu até que torci pelo fluminense", é frase muito ouvida por aí, de quem tenta tirar uma lasquinha e também se sentir campeão. Repito: para ser tricolor é preciso mais que torcer. É preciso saber por que se é tricolor. E não apenas torcedor. Ah!, sim: se seremos campeões em 2011? Nós tricolores não temos o poder da adivinhação. Somos apenas campeões.

ARTE
Uma semana artística para ninguém botar defeito, é o que teremos a partir deset domingo, 12, no SESC. São muitas atrações e creio que o Teatro Um vai ficar sempre lotado. Quem gosta de coisa boa tem um rumo certo na semana que vem, o Teatro Um, no SESC esplanada.

MOTOS
Oficinas e empresas que tratam ou vendem motos estão colocando esses equipamentos no meio da rua, prejudicando o trânsito e ninguém da Prefeitura parece ver isso. É só dar uma olhada, por exemplo, na Getúlio Vargas, naquele trecho da Dom Pedro até a Sete de Setembro.

CONTAS
O ano de atividades do Tribunal de Contas do Estado ficou, com certeza, muito acima da média. O grande salto foi a implementação da Ouvidoria, a busca constante da aproximação maior com jurisdicionados e com a sociedade de maneira geral, a realização de cursos, treinamentos, oficinas, inauguração da secretaria regional em Vilhena e a aplicação de palestras para estudantes buscando aumentar a parceria com a comunidade, tornando o tribunal mais visível junto ao cidadão.

RODOVIÁRIA
A falta de fiscalização e de organização por parte de quem tem o dever de fazer as duas coisas, está transformando qualquer ida à rodoviária porto-velhense num exercício de paciência e de autêntico treinamento de sobrevivência. Quem se aventura a comprar uma passagem é assediado por funcionários da empresa detentora do maior espaço ali, pelos taxistas que fazem os intermunicipais e por outras figuras que bem mereceriam uma averiguação. Aliás, a Polícia bem que poderia dar uma presença melhor, e a prefeitura organizar aquela bagunça.

Inté outro dia, se Deus quiser!

José Lúcio Cavalcante de Albuquerque. É presidente da Academia de Letras de Rondônia. Ex-editor dos jornais Tribuna, Alto Madeira, e com passagens em outras publicações como o Estadão do Norte, Lúcio Albuquerque, egresso da imprensa amazonense, tem projeção nacional, desde a década de 80, quando foi correspondente do Estadão de São Paulo. Com um dos currículos mais completos do jornalismo rondoniense, Lúcio Albuquerque, graças ao seu diligente trabalho de apuração, ganhou prestigio e credibilidade na imprensa regional. Pela relevância do seu trabalho escreve para uma rede de sites e jornais de todo o Estado, honrando o gentedeopinião, com artigos de sua lavra. Jornalista e historiador, Albuquerque é testemunha ocular da explosão rondoniense, seja como repórter, ou fundador da primeira entidade representativa dos jornalistas, ainda no final dos anos 70.
Postagem anterior
Próximo Post

Postado por:

0 comentários:

As opiniões expressas aqui não reflete a opinião do Blog Primeira Coluna.