terça-feira, 1 de junho de 2010

Copa e eleições na web: especialista em internet dá sete dicas - Por Ana Rogers / S. Paulo



O aumento da conectividade por banda larga e a chegada de grandes eventos como as eleições e a Copa do Mundo influenciam a aceleração da atividade de spam, ou seja, mensagens enviadas para vários destinatários que não a solicitaram. Disfarçados de e-mails sérios, essas de promoções que “levam você à África do Sul”, por exemplo, e que pedem dados pessoais são armadilhas fáceis de cair. Por isso, é importante ficar atento a alguns cuidados para não se deixar enganar por esses cibercriminosos. É o que alerta o estrategista de internet Gabriel Rossi, consultor para grandes marcas na web. “É preciso educar as pessoas quanto aos potenciais riscos da Internet”, explica.

O especialista ressalta que as marcas também devem se precaver. “Spammers usam a web para tentar vender maus produtos. Marcas genuínas, principalmente na era digital, usam a internet para construir relacionamentos e transmitir seus atributos da melhor forma possível.”
Para Rossi, a prática do spam não apenas afasta o consumidor, mas cria o sentimento de invasão de privacidade e falta de personalização. “Generalização e invasão de privacidade é tudo que não queremos na era da participação”, completa.

A seguir, sete dicas essenciais para evitar o cibercrime:

1) Nunca responda ao "spam"
Na maioria das vezes é mentira quando eles dizem que irão tirar o seu nome fora da lista, caso você responda à mensagem fazendo essa solicitação. O que o remetente deseja realmente é confirmar que seu e-mail é ativo. Além disso, se você responder, eles vendem o seu endereço a outros “spammers” ao redor do mundo, o que pode significar mais sujeira na sua caixa de e-mails.

2) Não anuncie seu e-mail
Não faça propaganda de seu endereço em sites de busca, listas de contato, redes sociais ou páginas da web. Se você utilizar sistemas de chat, não exponha o seu endereço de e-mail e nunca o revele a ninguém, caso não sejam seus amigos ou pessoas do seu conhecimento. Sites que exigem que você se inscreva ou solicitam um e-mail para produtos ou serviços gratuitos ou concursos geralmente enxergam no seu e-mail um método de gerar receitas. Se você é um ativo participante, por exemplo, de fóruns de discussões, será apenas uma questão de tempo para entrar na mira dos spammers, pois este tipo de ambiente on-line é um dos principais terrenos de captação para os cibercriminosos. Como participar sem maiores problemas? Use um endereço de e-mail diferente daquele que você usa para conversar com amigos e parentes.

3) Use um filtro de Spam
Embora ainda não funcionem perfeitamente, softwares anti-spam podem ajudar a manter o spam a nível administrável. Verifique com o seu provedor qual é a política de SPAM. Muitos deles já permitem que você encaminhe as mensagens de spam que você recebe, ajudando a evitar que os mesmos tipos de e-mail o alcancem no futuro.

4) Não caia na armadilha das correntes de e-mail
Nunca envie um e-mail que afirma que é capaz de ajudar a gerar receitas para uma determinada causa dependendo do número de pessoas que recebem a mensagem. Estes "e-mails corrente", repletos de situações dramáticas e que muitas vezes usam até fotos de crianças, são geralmente falsos e ajudam cibercriminosos a obter o endereço de e-mail adicionais para SPAM.

5) Verifique políticas de privacidade das empresas com cuidado.
Se você está comprando um produto on-line ou se cadastrando para a utilização de um determinado serviço, olhe atentamente a política de privacidade da empresa antes de fornecer o seu endereço de e-mail ou qualquer outra informação confidencial. Pergunte-se: como a empresa utiliza certas informações privadas? Quais restrições ela possui sobre a distribuição e uso de informações particulares dentro do ambiente interno e para outras empresas? Se você está se inscrevendo para qualquer lista de e-mail, veja se a empresa tem algum tipo de política aberta sobre SPAM ou e-mail.

6) Não envie ou recomende e-mail de familiares e amigos a não ser que você conheça e confie bastante no serviço e na marca. Marcas sérias, que respeitam o consumidor, usam a internet para construir relacionamentos e transmitir seus atributos da melhor forma possível e não para bombardear o público com mensagens irrelevantes.

7) Atenção para a caixinha da confirmação Quando for preencher qualquer tipo de formulário na web, observe com cuidado qualquer tipo de caixa que, por padrão, precisa da sua verficação para que você receba um boletim informativo ou que seu e-mail seja compartilhado com terceiros.

Ana Rogers
Postagem anterior
Próximo Post

Postado por:

0 comentários:

As opiniões expressas aqui não reflete a opinião do Blog Primeira Coluna.