quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Taís Araújo brilha na capa da revista Nova - Por Karen / S. Paulo


Aos 17 anos, Taís Araújo ficou em dúvida entre estudar odontologia, ou seguir a carreira de atriz. Escolheu a segunda e hoje reluz feito ouro na pele da protagonista de Viver a Vida.

A atriz de 31 anos, e mais de dez de carreira, se lembra exatamente do caminho que percorreu para chegar até aqui. "Eu não tinha em quem me espelhar quando comecei", conta. "Todos os atores negros eram mais velhos. Hoje, sei que garotas da minha cor olham para mim e sabem que podem sonhar mais alto. Isso tem valor social!", diz, orgulhosa de suas vitórias.

Carioca do Méier, zona norte do Rio de Janeiro, Taís é filha de pai economista e de mãe pedagoga. Sagitariana irrequieta, começou no teatro amador aos 11 anos. Aos 16, soube que a extinta TV Manchete abrira testes para a novela Tocaia Grande. "Fiz e passei!", lembra. Quando gravava as últimas cenas, tomou coragem e bateu na porta do diretor Walter Avancini para garantir uma vaga na trama seguinte, Xica da Silva. "Ele disse que seria bem difícil. E eu, que não estava certa se devia seguir a carreira de atriz, fazer intercâmbio ou tentar a faculdade de odontologia [ela é aficionada por dentes], desanimei." Quando já pensava em um plano B, foi chamada para interpretar a personagem principal.

Engajada, Taís afirma à NOVA que nunca sentiu vergonha de relembrar sua origem: "Tenho certeza de que meu jogo de cintura e bom humor para contornar as dificuldades da vida vêm dessa escola. Meus pais sempre batalharam para oferecer a melhor educação a mim e a minha irmã (hoje, médica). Quando fiz 8 anos, nos mudamos para um condomínio na Barra da Tijuca. Mas minhas lembranças de infância mais gostosas são do tempo do Méier: brincar na rua, pedir doce em festa de Cosme e Damião... Na Barra, os costumes eram mais refinados, as relações, menos calorosas".

A atriz conta ainda um episódio na escola que a marcou muito: "Uma menina veio perguntar se era a patroa da minha mãe quem pagava as mensalidades. Só havia duas crianças negras no colégio: eu e minha irmã! Na adolescência, nunca fui uma opção de paquera para os garotos brancos do condomínio. Ainda hoje as pessoas têm dificuldade de aceitar com naturalidade o fato de um negro ocupar o mesmo espaço na sociedade que um branco".

Sobre seus cuidados com a beleza, Taís diz que é vaidosa, mas não gosta de escravidão: "Esse negócio de 'ter que' que passar creme todo dia, 'ter que' sair maquiada por aí. Sou pouco disciplinada. Então, o que eu faço é lavar o rosto com um bom sabonete, hidratar e passar filtro solar. Também passo hidratante no corpo. Adoro maquiagem, mas meu kit se restringe a corretivo, máscara para cílios, blush e batom".

A bela revela o que faz para manter as atuais curvas: "As mulheres da minha família têm tendência a engordar. Para driblar os genes traiçoeiros, sempre controlei o que entra no meu prato. Passo longe de frituras e comidas gordurosas. Também não sou fã de leite e derivados. No mais, como de tudo um pouco - e o ponteiro da balança não costuma ultrapassar os 52 quilos. Mas, para interpretar Helena, que é modelo, quis dar uma afinada. Cortei carboidratos após as 18 horas.Também intensifiquei a malhação. Eu, que não sou chegada em exercício, corri muito e tive de ir à academia todos os dias".

Sobre sua relação com o ator Lázaro Ramos, com quem retomou recentemente seu casamento, a atriz conta que a segunda chance só aconteceu porque há muito amor entre eles: "Em um casal, os dois precisam estar comprometidos com a missão de manter o clima de romance. Para quem viaja o tempo todo por conta do trabalho e de quebra tem a vida vigiada por paparazzi, é uma aventura e tanto. Eu e o Lázaro sabemos que precisamos fazer um esforço extra. E a gente se empenha. Nosso maior desafio é conseguir tempo para estar junto e a sós. Tanto para namorar, como para resolver as questões do dia-a-dia. Somos um casal como qualquer outro".

Karen é jornalista da CR Comunicação
Postagem anterior
Próximo Post

Postado por:

0 comentários:

As opiniões expressas aqui não reflete a opinião do Blog Primeira Coluna.