segunda-feira, 16 de março de 2009

Educação, capital humano - Marcondes Rosa de Sousa / Fortaleza


Abro O POVO e nele, duas manchetes me chamam a atenção. Mais ostensiva, ressalta-se a declaração da ministra Dilma Rousseff: “o desenvolvimento do País só poderá ser alcançado por meio de ações contra as desigualdades social e econômica”. E, em tom mais discreto: “Prefeitura destina 40% do orçamento para a educação”.

Por instantes, em minha mente, desfilam múltiplas distorções sabidas e denunciadas dos programas assistencialistas a, num crescendo, afastarem seus beneficiários do mundo construtor do trabalho. E, nisso, martela-me o refrão do baião “Vozes da Seca”, do médico Zé Dantas e Luiz Gonzaga, o rei do baião: “Mas, doutor, uma esmola, para um homem que é são, ou lhe mata de vergonha ou vicia o cidadão”. Nessa caudal, recordo-me de Ariosto Holanda, em solenidade em Limoeiro do Norte, a confessar, sob forte emoção, lição que lhe havia ficado de dom Aureliano Mattos, a justificar seu Liceu de Artes e Ofício: “Sem uma arte e um ofício, não se é filho de Deus”, força motriz da obstinação a hoje embasar CVTs, Centecs...

Volto à criação do mundo. E, no Gênesis, vejo, instigado pela serpente, Adão seduzido pela intuição de Eva, a despertar de edênico sono. E, imagem e semelhança do Criador, nossos pais darem início ao projeto humano, alicerçado na construção e no trabalho, à luz do “comerás o pão com o suor do teu rosto”, num equilibrado e instigado “crescei e multiplicai-vos”...

Hoje, o globo inteiro abala-se em desequilíbrios: o ecológico, o desemprego, a educação vista em seu papel de capital humano, a exigir-se ferramenta para que a imagem e semelhança do Criador se dignifique sob a integrada tríade do “profissional, cidadão e pessoa”, pois, “sem uma arte e um ofício não se é filho de Deus.” Só assim o desenvolvimento poderá encarar-se ... sustentável!

Texto publicado originalmente no jornal O Povo, de Fortaleza.

Marcondes Rosa de Sousa é professor da Universidade Federal do Ceará (UFC) e da Universidade Estadual do Ceará (UECE).
Postagem anterior
Próximo Post

Postado por:

0 comentários:

As opiniões expressas aqui não reflete a opinião do Blog Primeira Coluna.