domingo, 16 de novembro de 2008

O Nordeste Hoje - Por Marcondes Rosa de Sousa / Fortaleza


Foi num misto de emoção e surpresa que, em 31 de outubro, recebi de Rosa Furtado, Presidente Cultural do Centro Internacional Celso Furtado, e de Robert Smith, Presidente do BNB, convite para o Seminário “O Pensamento de Celso Furtado e o Nordeste Hoje”.

Cedo, lá cheguei, reencontrando rostos muitos, a evocar lutas e sonhos, desde Celso entre nós, no Auditório Castelo Branco (UFC), a nos pautar, nos anos 80, a redemocratização e o desenvolvimento. Ali, falara-nos das potencialidades e limites da região.

De caminhada a ter, passo primeiro, o repensar da nação, no contexto global/regional. Caminhos, a reforma agrária, num clima de resistência às estiagens. A indústria e o mercado regional, as vias mais rápidas para a inclusão social. Eo horizonte a atingir-nos: ”O que caracteriza o desenvolvimento é o projeto so­cial subjacente. O crescimento econômico, tal qual o conhecemos, funda-se na preservação dos privilégios das elites, que satisfazem seu afã de modernização. Quando o projeto social dá prioridade à efetiva me­lhoria das condições de vida da maioria da população, o crescimento se metamorfoseia em desenvolvi­mento”.

No seminário, queixas explícitas muitas: um Brasil esmaecido em seu papel de “foedus” (aliança), a “região” reclamando-se “ente federativo”. “Inclusão social”, a transpor a caricata dimensão das “bolsas” a se esgotar na esmola a viciar os cidadãos, sob a luz do “sem arte e ofício, não somos filhos de Deus” (Dom Aureliano a Ariosto Holanda)...

Na voz e no rosto de muitos, o sentimento de novo ciclo, no País e no Mundo. “Um longo amanhecer”, depoimento otimista deixado por Celso Furtado onde a CNBB “não vê atitude de desesperanças”, mas “a metáfora de um país que ainda não encontrou o caminho de um desenvolvimento sustentado”.

No País e no globo, a esperança!

Texto publicado originalmente no jornal O Povo, de Fortaleza.

Marcondes Rosa de Sousa é professor da Universidade Federal do Ceará (UFC) e da Universidade Estadual do Ceará (UECE).

Postagem anterior
Próximo Post

Postado por:

0 comentários:

As opiniões expressas aqui não reflete a opinião do Blog Primeira Coluna.