quarta-feira, 10 de maio de 2006

Imprensa e imagem turística - Por Ivonildo Lavor - Fortaleza

Passado o impacto das reportagens sobre turismo sexual no Jornal da Globo, onde Fortaleza e Natal (mais Fortaleza) tiveram forte exposição na mídia nacional, o assunto merece ainda alguma reflexão.
Após a divulgação, nenhuma ação objetiva foi tomada pelos poderes públicos para tentar amenizar os fatos reais e tristes mostrados. Tudo voltou "a normalmente", tanto na Praia de Iracema como nas barracas de paria da Beira Mar. Parece até que nada aconteceu.
Confesso que esperava que a prefeita Luizianne Lins, que na época de deputada estadual combateu o turismo sexual, apresentasse alguma iniciativa contundente para amenizar o problema. Faltou também do governo do Estado novas medidas para encarar a situação.
O turismo tem na imprensa um forte parceiro. No entanto, a cobertura do dia-a-dia das mazelas brasileiras incomoda empresários do turismo e representantes governamentais da área. Tenho ouvido muitas reclamações nesse sentido.
Uma celeuma recente entre a Rede Globo e o prefeito César Maia, do Rio de Janeiro, sobre as gravações de uma cena de arrastão na Praia do Leblon, a ser exibida na novela "Páginas da vida" - que sucederá "Belíssima", causou polemica. Maia disse que as imagens causariam estrago no turismo do Rio. Alguns ajustes foram feitos e a prefeitura do Rio liberou as gravações. O autor Manoel Carlos disse ao jornal O Globo que as cenas vão ao ar no primeiro capítulo, em 10 de julho.
Pode até existir exageros na forma da divulgação, afetando diretamente destinos, como no caso da série de reportagens do Jornal da Globo, onde foi apresentado o turismo sexual e infantil apenas em Fortaleza e Natal.
No entanto, exagerada é a reação de parte de setores do turismo e de governantes brasileiros, segundo a qual a veiculação dessas notícias causa "estragos irreparáveis" de imagem. Não é tanto assim. O certo é que só ações planejadas e um policiamento eficaz e permanente resolve o problema, afastando o perigo e permitindo a volta do turismo sadio. Tentar encobrir as nossas mazelas só vai favorecer a contravenção e premiar a omissão dos órgãos públicos no combate à criminalidade. *PC*

Ivonildo Lavor é presidente da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo (Abrajet-Ce) e colunista de O Povo.

Postagem anterior
Próximo Post

Postado por:

0 comentários:

As opiniões expressas aqui não reflete a opinião do Blog Primeira Coluna.