segunda-feira, 17 de abril de 2006

O Astronauta João - Por Bérgson Frota / Fortaleza


João era um garoto de oito anos que morava no Interior do Ceará.Morando com os pais num pequeno terreno, ele ajudava a família levando no seu burrinho Mascote lenha para vender na pequena cidade de Esperança, assim ele conseguia trazer para casa mais alimentos.Mas João era um garoto esperto, gostava de estudar, e não perdia as aulas que assistia perto de sua casa. Foi lá que ele primeiro ouviu a palavra foguete. Era um carro que levava as pessoas para as estrelas, explicou a professora.João desde então não cansava de olhar o céu estrelado, a lua cheia a iluminar todo o sertão. Meu Deus, pensava o garoto, como seria bom se eu pudesse ter um carro-foguete para viajar pelas estrelas.E assim o tempo foi passando, e João nunca esqueceu o seu maior desejo que era o de ser um motorista de carro-foguete, um astronauta.Um dia já rapaz recebeu um convite para trabalhar numa fábrica de motores, pois João sem saber tinha uma grande facilidade de consertar e melhorar a potência destes aparelhos. Logo seu trabalho chamou a atenção de seus superiores e João foi promovido.Passaram poucos anos e a fábrica de motores agora produzia aviões, e por que não foguetes ? Pensou João que nunca havia desistido do sonho.Apresentou ao chefe um modelo nunca visto, criado da vontade aliada a sua imaginação de subir às estrelas.Por mais que parecesse impossível tudo no papel fazia sentido, aquela máquina voaria até a Lua se João quisesse lá ir, e foi assim que num dia de muito sol e céu limpo partiu o primeiro foguete brasileiro rumo ao espaço sideral. Em homenagem a sua cidade João o batizou de Esperança I, porque nunca havia desistido de concretizar o maior de todos os seus desejos.O foguete subiu rápido ao céu, deu várias voltas em torno da Terra e se dirigiu à Lua. João viu pela janela as crateras lunares e olhou a Terra que de lá parecia uma bola azulada. Depois de dar várias voltas em torno da Lua ele começou a descer numa pequena cápsula que caiu no mar.Desde então João ficou famoso, era chamado de João, o astronauta. Ele fez depois mais viagens no seu foguete e para todos que lhe perguntavam como havia conseguido ser astronauta repetia a mesma coisa: Nunca desisti de acreditar em meu maior sonho ! *PC*

Texto publicado originalmente no jornal Diário do Nordeste, de Fortaleza.

Bérgson Frota é professor visitante da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA) e professor de Grego Clássico no Seminário da Prainha - Fortaleza.
Postagem anterior
Próximo Post

Postado por:

0 comentários:

As opiniões expressas aqui não reflete a opinião do Blog Primeira Coluna.