quarta-feira, 12 de abril de 2006

O Arco da Velha - Por Dalinha Catunda / Rio de Janeiro


Foi num passeio no sítio Lago Encantado, que a menina Marilu viu pela primeira vez um arco-íris. Ficou tão impressionada com aquela aparição deslumbrante, que parecia enfeitiçada.
O grande arco em listas coloridas aparecia refletido no lago onde patos, gansos e marrecos nadavam ao entardecer.
Não demorou muito tempo e o sol se escondia atrás da serra carregando com ele o arco colorido e o clarão do dia. Mas, o acontecimento singular não saía da cabecinha de Marilu, que não se cansava de fazer perguntas.
- Mãe, o arco-íris é a entrada do céu ?
- Não minha filha é apenas um fenômeno.
- Quêêê !?
- O arco-íris é um fenômeno atmosférico luminoso que tem a configuração de um arco apresentando as sete cores do espectro solar.
A explicação colhida de um dicionário não agradou Marilu. Ela tinha certeza que por trás daquele arco tão colorido e bonito um mundo mágico se escondia.
Recorreu ao avô, seu contador preferido de histórias. Se ele já havia contado tantas outras histórias: de fadas, de bruxas, animais, certamente saberia algo sobre o arco-íris.
E não é que o avô sabia mesmo.
Naquela mesma noite, sentada no colo do avô que por sua vez sentara numa cadeira de balanço Marilu era embalada ao som de histórias do arco-da-velha.
E assim começou o bom velhinho a repetir para sua neta as histórias e lendas que ouvira há tempos atrás e continuam passando de geração a geração.
- Pequena Marilu, o arco-íris também é chamado de arco-da-velha, por ter o formato de uma corcunda. Tem sete cores: vermelho, alaranjado, amarelo, verde, azul, anil e violeta.
Conta uma das lendas que o arco-íris engolia todas as crianças que andavam na beira do rio. Marilu assustou-se.
- Não tema é apenas uma lenda. Acalmou o avô - já em outra, reza que o sertanejo não gosta do arco-íris, pois o mesmo é considerado um ladrão de águas. Ele se alimenta das águas dos rios, lagoas, fontes e ainda por cima rouba as águas das nuvens. Só escapa a água do mar por ser salgada.
Dizem ainda que quem passar por debaixo do arco-íris muda de sexo. Se for menino, vira menina e vice-versa. Para desfazer o encanto, é só fazer o caminho de volta.
Há ainda quem diga que o arco-íris é uma grande serpente colorida que vive no firmamento.
Enquanto o velho buscava na memória mais e mais histórias de arco-íris, nem se apercebeu que Marilu já havia adormecido e agora sonhava com um lindo arco-íris que lhe hipnotizava roubando seu coração.*PC*

Dalinha Catunda é escritora e natural de Ipueiras, Ceará.
Postagem anterior
Próximo Post

Postado por:

0 comentários:

As opiniões expressas aqui não reflete a opinião do Blog Primeira Coluna.