terça-feira, 9 de agosto de 2005

Vaticínios a gosto - Por Marcondes Rosa e Sousa / Fortaleza


Eder - A Charge Online


Na televisão, assisto à "novela política". E, ávido pelo fundo do poço, torço por apocalipse a nos gerar mundo não tão farisaico, a partir dos vaticínios de agosto. O telefone toca. É Vera Uchoa, em luta pelos direitos sociais dos professores. Ela me dá conta de questão (tabu de 20 anos, não resolvido) entre professores da UECE e Estado. Queixa-se do "corpo mole" do Sindicato dos Professores e seus advogados. E me conta de como teriam - Helena Frota e ela - a expensas próprias, ido ao Supremo Tribunal Federal e, no "salão verde", conversado com o ministro relator. Apoios, os do jurista Paulo Bonavides e da OAB. Do relator, dois sentimentos: de início, o da "visão monocrática", em favor dos professores; depois, ouvido o Estado (dívida insolúvel, gastos com as secas etc.), a favor deste.

"E onde os direitos, o lado jurídico?" - indagam as professoras. "Cedem lugar ao social" - a resposta. "E não são sociais os direitos trabalhistas?" - a réplica, em meio ao triste quadro. Muitos, já mortos sem receber o direito. Aposentados, a amargar penúrias. A maioria aceitando acordo, anistiando o passado e garantido o "pra frente".

O relator promete rever a questão. Mas Vera é pessimista: "É procurar trabalho até a morte e ter pena dos novos docentes: titulação crescente exigida, condições de trabalho e salários precários". Ela me agradece o ouvir, em mim deixando inquietações com o drama pessoal, maior que o social.

Na TV, a crise se embaralha. Cansado, adormeço. E, em sonho, dou com Montesquieu, o autor de O Espírito das Leis (Séc. XVIII), na praça dos Três Poderes em Brasília, tristonho. Por quê? Ele, surrealista, me diz: "Espero que os brasileiros não me deturpem a obra, tentando distorcida harmonia entre os poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário) à custa dos mensalões". *PC*

Texto publicado originalmente no jornal O Povo, de Fortaleza.

Marcondes Rosa de Sousa é professor da Universidade Federal do Ceará (UFC) e da Universidade Estadual do Ceará (UECE).

(051)

Postagem anterior
Próximo Post

Postado por:

0 comentários:

As opiniões expressas aqui não reflete a opinião do Blog Primeira Coluna.