quinta-feira, 18 de outubro de 2018

Em 2019, Eunício pode assumir cargo no Governo Camilo

Quem esperava por um rompimento entre o governador Camilo Santana (PT) e o senador Eunício Oliveira (MDB), se decepcionou. Os dois estiveram juntos nessa quarta-feira, 17, em Brasília para assinatura de convênios e viabilização de recursos para o Estado.

No Ceará, assessores do MDB apontam como certa a participação do senador Eunício na equipe de governo de Camilo no próximo mandato. Pessoas próximas a Eunício garantem que ele terá que adiar sua aposentadoria. Fala-se em secretário da Casa Civil.

Em Brasília, Camilo e Eunício assinaram contrato de financiamento entre o Estado e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) no valor de US$ 70 milhões de dólares. A agenda de Eunício e Camilo passou ainda por acompanhamento de projetos e liberação recursos destinados as obras do Hospital Regional do Vale do Jaguaribe.

Madson Wagner é radialista

sábado, 13 de outubro de 2018

Número da candidatura de Bolsonaro é mais lembrado que o de Haddad

Uma pesquisa do instituto Datafolha, divulgada nesta quinta-feira, mostrou que 92% dos eleitores de Jair Bolsonaro - mesmo esta sendo a primeira vez que o militar reformado se candidata - sabem que o número do candidato do PSL à Presidência da República é 17. Por outro lado, a pesquisa aponta que apenas 87% do eleitorado sabe que o número de Fernando Haddad, candidato pelo PT, concorre com o número 13, mesmo esta sendo a oitava eleição nacional do partido.
E esse fenômeno de lembranças e esquecimentos pode ter algumas explicações. Na avaliação do cientista político da FGV Eduardo Grin, os eleitores de Bolsonaro têm muito mais convicção do voto no candidato do PSL, do que os eleitores que vão votar em Haddad.
Além disso, o cientista político explica outra atitude do PT agravou essa situação: o fato de que, até um mês atrás, o Partido dos Trabalhadores não tinha definido, ainda, quem seria o candidato ao Planalto.
Tudo isso, segundo Eduardo Grin, soma-se ao perfil do eleitorado de Bolsonaro, característica que também é decisiva na memorização do número que será escolhido nas urnas.
“O perfil socioeconômico e cultural do eleitor do Bolsonaro é muito mais elevado que do Lula, como mostram as pesquisas. Eleitor com mais escolaridade, mais renda. Um eleitor que se comunica mais pelas redes sociais, tem mais informações e tem mais facilidade em fixar questões como essa de decorar número de candidatura”.
Ainda de acordo com a pesquisa, apenas 7% das pessoas que votam em Bolsonaro não sabem o número do candidato. Por outro lado, 11% dos votantes em Haddad não sabem o número do petista.
Para fazer a pesquisa, o Datafolha foi à 227 municípios e ouviu 3.225 eleitores. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.
Fonte: Agência do Rádio
4 coisas que você precisa saber sobre o padre que promoveu missa-comício para Haddad
A internet já está repleta de informações sobre o último tiro no pé dado pela campanha de Fernando Haddad com os cristãos, que teve a ideia genial de ir à missa de Nossa Senhora Aparecida numa paróquia da periferia de São Paulo, comungar em condições ilegítimas, levar consigo a vice comunista que afirmou não ser cristã e fazer uso descarado da igreja para a promoção de sua candidatura. Não pretendo repetir tudo que já está bombando especialmente nas redes católicas, mas destaco alguns pontos que podem ter passado despercebidos sobre o maior responsável por aquela patetice toda: o padre Jaime Crowe.

1) Ele é um fracasso como influenciador

A militância partidária do padre Jaime Crowe para favorecer a candidatura de Fernando Haddad, desde o primeiro turno, não parece ter grande efeito sobre os fiéis que devia pastorear. No dia 7 de outubro, a zona eleitoral do Capão Redondo, à qual pertence o Jardim Ângela, onde fica a paróquia do padre, na periferia de São Paulo, deu vitória tranquila a Jair Bolsonaro. O capitão obteve 36,62% dos votos contra 28,38% do candidato do padre. Ciro obteve 14,7%, Alckmin 8,25% e Amoedo, 4,54%.

Convém destacar que em eleições anteriores essa foi uma região que sempre favoreceu o PT. Isso já era.

2) Ele é um velho amigo do PT

Não foi a primeira vez em que o padre Jaime usa uma missa para favorecer seus amigos no PT. Ele estava na celebração ecumênica da despedida de Lula, no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, pouco antes do corrupto e lavador de dinheiro ser levado para a cadeia pela Polícia Federal. Na ocasião, ele manteve-se o tempo todo ao lado de dom Angélico, o bispo socialista que conduziu a “cerimônia”.

Em 2016, ele também já havia homenageado Haddad com o prêmio de Direitos Humanos Dom Paulo Evaristo Arns. A premiação aconteceu depois das eleições municipais, quando o candidato do PT e então prefeito já havia sido rejeitado pelos eleitores nas urnas, sofrendo derrota no primeiro turno para João Dória, um recém-chegado na política.

3) Ele não é do Brasil

O anfitrião de Haddad, que mandou para aquele lugar a orientação tradicional da Igreja de que clérigos não devem fazer promoção político-partidária, nem sequer nasceu no Brasil. Embora esteja no país desde 1987, ele é irlandês.

4) Ele não responde à arquidiocese de São Paulo

Muita gente está falando horrores sobre dom Odilo Scherer por permitir um absurdo daqueles, mas o cardeal é inocente. Essa confusão ocorre porque, na maior parte do Brasil, as dioceses tendem a cobrir toda uma cidade e ir até além dos limites municipais. Mas não é o caso de São Paulo. A capital paulista é tão grande e tem tantos fiéis que precisou ser dividida em várias dioceses. A do padre petista é a Diocese de Campo Limpo, cujo bispo é dom Luís Antônio Guedes.

Caso algum católico queira manifestar seus sentimentos a dom Luís sobre o ocorrido, esse é o site da diocese. O telefone é (11) 3584-9000 e o endereço da mitra dioceseana é Rua Lira Paulista, 30 – Jardim Bom Refúgio. A diocese também tem página no Facebook.

Até a publicação desse post, o bispo ainda não havia dado declaração alguma sobre a missa-comício sob sua jurisdição.

Fonte: Gazeta do Povo
Falta água e sabão à ‘frente democrática’ do PT

Numa entrevista de porta de cadeia, o grão-petista Jaques Wagner insinuou nesta quinta-feira (11) que todos os atores políticos comprometidos com a democracia têm a obrigação de aderir voluntariamente à “frente democrática” pró-Haddad. “A responsabilidade com o país nessa esquina da história brasileira é de voluntariado”, declarou Wagner. “Não acho que ninguém tenha que ser convidado. Quem tem responsabilidade tem que vir para dentro de uma plataforma democrática.”
A formulação de Jaques Wagner é tola e desonesta. Flerta com a tolice porque carrega nas entrelinhas a mensagem segundo a qual o PT faz ao país o favor de liderar uma cruzada anti-Bolsonaro. Roça a desonestidade porque o orador bem sabe que seu partido tornou-se um pedaço do problema, não da solução.
Ainda não se formou defronte do comitê de campanha de Fernando Haddad nenhuma fila de lideranças políticas ávidas por aderir à “frente democrática” do PT. Ao contrário. Ciro Gomes voou para a Europa. Marina Silva trancou-se em suas mágoas. Fernando Henrique Cardoso observa a movimentação de esguelha. Todos já foram vítimas de cotoveladas de Lula e do petismo.
Novo coordenador político do comitê de campanha de Haddad, Wagner encontrou os repórteres depois de conversar com Lula na cadeia. Era portador de um recado do presidiário. Ele mandara dizer que o PT, “com seus acertos e com seus erros”, sempre respeitou a democracia e as instituições. Conversa fiada.
A teoria da conspiração contra Lula, a “alma mais honesta desse país”, joga água no moinho antidemocrático do desrespeito às decisões judiciais e da fantasia de uma imprensa venal a serviço de uma elite invisível. As coisas seriam mais simples se pessoas como Lula, Wagner e Haddad admitissem que o PT operou como caixa registradora de propinas e que a cúpula partidária foi parar na cadeia porque cometeu crimes como corrupção e lavagem de dinheiro.
Em vez de autocrítica, Wagner despejou sobre os microfones autoelogios: “Continuo dizendo que o que a gente fez pela democracia brasileira e pelo povo é infinitamente maior do que os erros, que são públicos e eu não preciso relatar.” Os petistas têm dificuldades para chamar seus crimes pelo nome. Preferem classificar de “erros”, eufemismo para roubalheira.
Além de engordar patrimônios individuais, o mensalão e o petrolão não foram senão atentados contra a democracia, mecanismos de compra de apoio congressual com verbas surrupiadas do Estado. Quem acompanhou o processo de julgamento da chapa Dilma-Temer no Tribunal Superior Eleitoral, no ano passado, pôde perceber no voto do ministro Herman Benjamin que o mandato de 2014 foi comprado com verbas sujas da Odebrecht. Ao enterrar as ações por 4 votos contra 3, o TSE apenas piorou o soneto.
Com um pano de fundo assim, tão enodoado, a formação de uma frente anti-Bolsonaro encabeçada por Haddad seria vista como uma tentativa de enxaguar a roupa suja do petismo. Salvar-se-ia não a democracia, mas o PT. O petismo parece não ter percebido o que está se passando. Bolsonaro só chegou à antessala do gabinete presidencial porque representa os interesses da maior força política existente hoje no Brasil: o antipetismo. Falta água e sabão à proposta de “frente democrática” do PT.
Fonte: Blog do Josias de Souza 

quinta-feira, 11 de outubro de 2018

Reconhecimento de firma e autenticação de documento serão dispensados

O Ceará deve ampliar a informatização e celeridade dos serviços públicos com a nova Lei de desburocratização (13.726/2018). Publicada e sancionada no Diário Oficial da União (DOU) na terça-feira, 8, a legislação determina que órgãos governamentais não poderão mais exigir que o cidadão reconheça firma e autentique documentos a partir de janeiro de 2019. O processo presencial de reconhecimento já tem sido substituído pela assinatura digital nas entidades cearenses. No entanto, ainda era necessária a autenticação dos documentos.

O texto também determina a criação do selo de desburocratização na administração pública e premiação aos órgãos que simplifiquem o funcionamento e melhorem o atendimento. Carolina Monteiro, presidente da Junta Comercial do Estado do Ceará (Jucec), explica que a regra vai ajudar a eliminar mais uma etapa burocrática na rotina de pessoas físicas e jurídicas. "Essa regulamentação é muito importante para o que o Estado vem trabalhando em termos de inovação. O processo digital diminui a fraude, simplifica e desburocratiza a prestação de registro do trabalho governamental", avalia.

Carolina pondera que a nova prática precisa estar acompanhada de uma infraestrutura. "O Ceará já vinha trabalhando nessa pauta e está preparado para executá-la. No nível nacional, é importante que todos os órgãos adotem mecanismos tecnológicos de segurança jurídica para resguardar também o cidadão", observa.

O trâmite nos cartórios estende e encarece processos de financiamentos, abertura de contas bancárias e compra da casa própria. Empresas também sentem os impactos da burocracia nos contratos de compras, aluguéis, empréstimos, dentre outros. Com a mudança, pessoas como a microempreendedora Glória Ribeiro, 39, poderão economizar tempo e dinheiro. "Esses procedimentos chegam a atrasar as transações por cerca de 15 dias".

Para Leonardo Leal, presidente da Comissão de Estudo e Defesa da Concorrência da Ordem dos Advogados do Brasil Secção Ceará (OAB-CE), a medida representa avanços. "O Brasil é tradicionalmente burocrático. Isso traz custo, demora na prestação das tarefas e gera dificuldade operacional. Situação que não é justificável ocorrer hoje em dia. A lei vai ajudar a desburocratizar essas etapas e reduzir gastos para quem utiliza". Segundo Leonardo, a mudança do trâmite não oferece risco à segurança e não causará efeitos negativos. "Os cartórios têm condições de se manter com outras fontes", diz.

Tatiana Martins, membro da Comissão de Legalização de Normas Técnicas Aplicadas a Legislação Societária do Conselho Regional de Contabilidade do Estado do Ceará (CRC), reitera que a norma viabilizará melhorias. O selo é outro ponto positivo que tende a melhorar muito o ofício público", destaca.

ORIGEM

A Lei entra em vigor no dia 8 de janeiro de 2019. A regra tem origem no substitutivo da Câmara (SCD 8/2018) ao PLS 214/2014, aprovado em setembro e de autoria do senador Armando Monteiro (PTB-PE).

Entenda o que mudou

O que diz a Lei

Órgãos públicos de todas as esferas não poderão mais exigir do cidadão o reconhecimento de firma, autenticação de cópia de documento, além de apresentação de certidão de nascimento, título de eleitor (exceto para votar ou registrar candidatura) e autorização com firma reconhecida para viagem de menor se os pais estiverem presentes no embarque.

Como será quando a Lei entrar em vigor

O servidor vai comparar a assinatura do cidadão com a firma que consta na identidade. No caso da autenticação de cópia de documento, haverá a comparação entre original e cópia e o próprio funcionário atestará a autenticidade. Já a apresentação da certidão de nascimento poderá ser substituída pela identidade, título de eleitor, identidade expedida por conselho regional de fiscalização profissional, carteira de trabalho, certificado de prestação ou de isenção do serviço militar, passaporte ou identidade funcional expedida por órgão público.

Quando não for possível a comprovação?

O cidadão poderá firmar declaração escrita atestando a veracidade das informações. Em caso de declaração falsa, haverá sanções administrativas, civis e penais

Com isso vai ajudar a melhorar o serviço público?

O Selo de desburocratização visa estimular projetos, programas e práticas que simplifiquem o funcionamento da administração pública e melhorem o atendimento aos usuários dos serviços públicos. Assim, serão premiados, anualmente, dois órgãos ou entidades, em cada unidade federativa, selecionados com base nos critérios estabelecidos pela nova Lei.

Fonte: Agência Senado 

quarta-feira, 3 de outubro de 2018

Brasil é o país que mais acredita em fake news, aponta pesquisa

O Brasil é o país que mais acredita nas informações falsas publicadas e divulgadas na internet, as chamadas fake news. A constatação foi feita pela Ipsos, empresa que faz análise de dados. Em um ranking com 27 países, o Brasil ficou com o primeiro lugar. Segundo o levantamento, cerca de 62% da população acredita nos boatos propagados, por exemplo, em redes sociais.

Apesar do alto índice de pessoas que admitiram já terem acreditado em uma notícia falsa, a pesquisa aponta que 68% dos entrevistados sabem diferenciar os conteúdos verdadeiros. Ainda de acordo com a pesquisa, que ouviu mais de 19 mil entrevistados, 51% dos brasileiros não confiam no senso crítico do restante da população para diferenciar as informações verdadeiras e falsas.
Entre os motivos apresentados pela pesquisa para que o índice atingisse esse nível é que boa parte da população acredita que as fake news são criadas por políticos e pela mídia, principalmente quando o assunto é redução das taxas de criminalidade.
Apenas 14% dos entrevistados acreditam que os enganos são causados por dados errados, enquanto 18% acredita na dificuldade da população com as estimativas e números.
Fonte: Agência do Rádio

terça-feira, 2 de outubro de 2018

As peripécias de um “moleque traquino”

Quanto vale um beijo de um traidor? Nada. Sabe por quê? Porque a política abomina os traidores. “O beijo de Judas foi, de acordo como os evangelhos sinóticos, a forma que Judas Iscariotes identificou a Jesus aos soldados que vieram prendê-lo”.

Notadamente o momento politico revelou o nosso “Judas”, aquele que se rebelou contra o seu criador, este, por sua vez, lhe concedeu a oportunidade de torna-lo um politico, mais ainda, um “vereador eleito”, e não passou disso. Ao tentar se reeleger, não obtendo êxito, tornou-se um politico sem expressão, sem voz, sem nada. Pobre de espirito, de dignidade, de caráter. Hoje não passa de um “moleque traquino” querendo se dar bem. O usurpador age de má fé, tentando ludibriar e enganar os “filhos da terra”. Sem eloquência, se perde nas palavras, nas ações.

De uma ignorância colossal, o “traquino” acredita que engana à todos ao sair vendendo “gato por lebre”. Tem apresentado candidatos e mente ao dizer que estes, tem o apoio do prefeito, que por sua vez, o desmentiu nas redes sociais.

Os ipueirenses reconhecem os verdadeiros representantes do povo. Os deputados estadual Jeová Mota (PDT) e federal Leônidas Cristino (PDT), estes sim, tem o apoio do grupo politico do prefeito Nenem do Cazuza (PDT).

Por tanto, cuidado meus amigos com este transgressor contumaz. Logo, trata-se de um embuste. Só falta agora o “moleque traquino” dizer que já foi “osculado no entrudo”. Será?

Carlos Moreira é radialista 

Ciro diz que tem meta de dar 'trabalho para os pais e educação para os filhos'

O candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes, disse nesta segunda-feira (1º), durante ato de campanha em Suzano (SP), que tem como meta dar "trabalho para os pais e educação para os filhos". De acordo com o candidato, essas são as únicas conquistas que podem "emancipar" o país.

Este foi o primeiro ato de campanha de Ciro nas ruas após ter passado, na última terça-feira (25), por um procedimento de cauterização da próstata. Ele cumprimentou eleitores e fez um discurso em um coreto.

"Eu vou fazer o que estiver ao meu alcance para garantir isto: trabalho para os pais e educação para os filhos", afirmou o candidato.

"Isso no limite é a única coisa que emancipa a nossa nação. Com 13,7 milhões de desempregados, 4 milhões que pessoas que desistiram, 32 milhões vivendo de bico, e a nossa juventude evadindo-se da escola, porque é uma escola careta, e sendo presa fácil dos gaviões da violência, do narcotráfico, esse país não terá sorte", completou Ciro.

O candidato repetiu uma de suas principais propostas de sua campanha: um programa para limpar o nome do devedor no Serviço de Proteção ao Crédito (SPC). Ciro também afirmou que, em seu eventual governo, Banco do Brasil e Caixa Econômica vão competir no mercado com juros mais baratos.

Ele disse que vai tirar os bancos públicos do "cartel", numa crítica ao fato de, segundo Ciro, não haver competição no mercado bancário do país.

"Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal serão tirados do cartel e passarão a competir com a menor taxa do mercado para ajudar a família brasileira a superar , primeiro, o nome sujo no SPC", disse Ciro.

Fonte: G1

Pesquisa Ibope de 1º de outubro para presidente: rejeição por sexo, idade, escolaridade, renda, religião, raça e região

Pesquisa Ibope para presidente divulgada nesta segunda-feira (1º) apontou os índices de rejeição dos candidatos à Presidência da República por segmentos de sexo, idade, escolaridade, renda, religião, cor de pele e região.

Para medir a rejeição, o Ibope perguntou: "Dentre estes candidatos a Presidente da República, em qual o(a) sr(a) não votaria de jeito nenhum? Mais algum? Algum outro?". Como os entrevistados puderam citar mais de um nome, a soma dos índices de todos os candidatos pode ultrapassar 100%.
Antes de detalhar os segmentos, os índices totais de rejeição foram:

·         Jair Bolsonaro (PSL): 44%
·         Fernando Haddad (PT): 38%
·         Marina Silva (Rede): 25%
·         Geraldo Alckmin (PSDB): 19%
·         Ciro Gomes (PDT): 18%
·         Henrique Meirelles (MDB): 10%
·         Cabo Daciolo (Patriota): 10%
·         Eymael (DC): 10%
·         Guilherme Boulos (PSOL): 10%
·         Vera (PSTU): 9%
·         Alvaro Dias (Podemos): 9%
·         João Amoêdo (Novo): 8%
·         João Goulart Filho (PPL): 7%
·         Poderia votar em todos: 2%
·         Não sabe/não respondeu: 6%

Fonte: G1

segunda-feira, 1 de outubro de 2018

“O bicho maluco beleza” nos deixou

Ipueiras amanheceu mais triste hoje. A música está de luto. Perdemos um bamba, um amigo, um irmão. Antonio Aragão Catunda, aos 60 anos, nosso querido “Tony Aragão” - era compositor, interprete, cantor e atualmente exercia o cargo de assessor de imprensa da prefeitura municipal de Ipueiras. Amante da cultura, Tony era uma daquelas figuras que brilhava onde chegava, sua alegria era contagiante, adorava contar histórias, falava e destacava com detalhes, “as zipueira” dos anos 70 e 80”. 

Fã de Raimundo Fagner, Benito de Paula e Alceu Valença, Tony sonhava em um dia participar de um show de Alceu e cantar ao lado do ídolo a música “Bicho Maluco Beleza”, era bem a cara dele. Bicho solto. Falava o que vinha em mente, não tinha filtro, irradiava bom humor, contentamento. Extrovertido, Tony animava onde chegava, sua presença era marcante, forte, única.


A vida é um sopro. O desaparecimento do nosso amigo é uma perca irreparável. Só nos resta agora as boas lembranças, os bons momentos. A tristeza nos consome, mas acredite companheiro, onde quer que você esteja, tenho certeza que cantaria “Do jeito que a vida quer” de Benito.

O meu choro é de uma criança.

“Se você procurar um amigo, pode me procurar. Se você precisar de uma ajuda, também posso ajudar. Se você precisar de um conselho, também vamos conversar”. Esse era Tony Aragão.

O “bicho maluco beleza” nos deixou !  


Registro da participação de Tony Aragão no programa do Carneiro Portela

Carlos Moreira é radialista